Quando Detona Ralph saiu em 2012 muitas pessoas torceram um nariz por um filme com a temática de videogames ter pouquíssimas referências diretas a jogos clássicos. Por outro lado, para quem gostou da primeira aventura do vilão, a trama parecia minimamente sólida para que essa falta de material clássico passasse como algo comum. Em Wifi Ralph a Disney parece ter ativado um modo mais acelerado e com inserções a cada minuto do filme, mas para isso a história parece ter ficado um pouco de lado.

O filme começa mostrando que 6 anos passados do primeiro filme, Ralph e Vanélope mantém sua amizade firme e forte, mas, como em um relacionamento desgastado, enquanto a pequena princesa dos doces quer agitação na vida, Ralph gosta de saber que sua rotina é a mesma. Um acidente com o jogo Corrida Doce acaba pondo em risco o mundo de Vanélope, então Ralph propõe que os dois entrem na recém instalada internet do fliperama para poder comprar peças que resolvam a situação.

Sem muitas surpresas, a trama é basicamente essa até o final, deixando todos os pontos mais marcantes para as referências e piadas de internet ou da cultura pop.

Por um lado isso é excelente, da feita em que a dupla entra na internet é quase impossível não rir com as coisas que pulam na tela e fazem comentários ácidos sobre estereótipos da cultura pop que a própria Disney ajuda a produzir. Mas ao mesmo tempo isso tudo parece uma cortina de fumaça para camuflar o fato do filme simplesmente não ter material para cativar o expectador só com a jornada dos protagonistas.

A versão brasileira não ajuda com a apagada interpretação da voz de Ralph, que beira uma apatia. Vanélope por sua vez permanece tão irritante quanto no primeiro filme. Algo que está longe de ser um elogio, mesmo para uma personagem propositalmente criada para irritar.

O grande trunfo do filme está na qualidade da animação, mesmo com apenas 6 anos de diferença entre um filme e outro, Wifi Ralph parece anos luz à frente de seu predecessor e enche os olhos da plateia com um show de iluminações, movimentação e design.

A criançada deve adorar mais esse capítulo da dupla de videogames da Disney, mas esse não é daqueles que vai marcar os adultos da mesma maneira, como o estúdio costumava fazer.

Comments