A Menina Que Matou Os Pais | Filho de Cristian Cravinhos pediu anulação da paternidade

Publicidade

Após quase dois anos de espera desde que foram anunciados, já estão disponíveis no Amazon Prime Video os filmes sobre o popular e controverso Caso Richthofen. Em A Menina Que Matou os Pais vemos a versão de Daniel Cravinhos (Leonardo Bittencourt) sobre o crime que chocou o país, já em O Menino Que Matou Meus Pais, vemos o depoimento de Suzane (vivida por Carla Diaz). No entanto, muita gente quer saber o que aconteceu com os outros envolvidos do crime, como Cristian Cravinhos, irmão de Daniel, que cometeu o bárbaro assassinato junto com ele e Suzane.

Leia também: O que aconteceu com Andreas von Richthofen?

Leia as nossas críticas aqui e aqui!

Confira também nossa live especial sobre os dois filmes:

Consequências do crime

Pedro (nome fictício escolhido para preservar a nova identidade do jovem) tinha apenas três anos de idade quando Cristian Cravinhos, seu pai, e o tio Daniel Cravinhos mataram o casal Manfred e Marísia Richthofen, em 31 de outubro de 2002.

Agora, durante uma entrevista em 2020 sobre o assunto e já passados quase 20 anos do assassinato, Pedro diz sofrer constrangimento e ser “fulminado por olhares desconfiados” todas as vezes que precisa apresentar um documento em que consta o nome do se pai. “Eu tenho vergonha”, disse à Justiça, em uma ação na qual pede a anulação da paternidade. Na época, a coluna do site UOL teve acesso às informações do processo.

O jovem conseguiu, em 2009, mudar seu sobrenome por decisão judicial e ano passado decidiu não apenas retirar os dados do pai de todos os seus documentos, como também revogar qualquer dever jurídico da relação pai-filho. Abrindo mão, inclusive, do direito de receber pensão ou eventual herança.

Além do constrangimento, o estudante citou no processo o fato de nunca ter tido amparo afetivo e material do pai. Relatou que, mesmo antes do crime, teve pouco contato com Cristian: por quatro meses após o nascimento, no dia do seu primeiro aniversário e por cinco meses entre 2000 e 2001, quando os pais resolveram tentar viver em família. Em 2010, na última vez que se encontraram, João visitou o pai no presidio de Tremembé, em São Paulo.

Vale lembrar que Cristian Cravinhos foi condenado a 38 anos de prisão em 2006 (hoje ele cumpre o total de 41 anos e 10 meses após cometer novos crimes) e foi para o regime semiaberto em 2013. Atualmente ele tem 45 anos.

Vale lembrar que A Menina Que Matou Os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais já estão disponíveis no Amazon Prime Video. Clique aqui para aproveitar os 30 dias grátis.


Já conhece nosso canal do YouTube? Lá tem vídeo quase todo dia. Se inscreve! Dá uma olhada no nosso vídeo mais recente:

Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e também no Google News.

Quer receber notícias direto no seu celular? Entre para o nosso canal no Telegram.

xxx
Última Notícia
Publicidade

Mais lidas

spot_img

Mais recentes

spot_img
As 10 séries mais assistidas da Netflix Os 10 filmes mais assistidos da Netflix DC FanDome #Crítica | O Menino Que Matou Meus Pais #Crítica | A Menina Que Matou os Pais