No dia 4 de abril, Chris Pratt esteve no Brasil em um evento para falar sobre a produção do novo filme dos Vingadores, conversar com a imprensa, com os fãs e, claro, mostrar um pouco do novo longa do supergrupo. Estivemos presente e pudemos assistir exatos 23 minutos de Vingadores: Guerra Infinita. Confira abaixo nossas impressões iniciais do filme:

[Cuidado com possíveis spoilers]

Contextualização

Todas as cenas que vimos acontecem em algum momento não especificado durante o meio do filme, ou seja, não assistimos ao início do longa. Começamos vendo um encontro entre Tony Stark (Robert Downey Jr.), Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch), Bruce Banner (Mark Ruffalo) e Wong (Benedict Wong) no Sanctum Sanctorum, local sede de Stephen Strange.

Logo de início, já é perceptível que o local já foi atacado – provavelmente, algum dos generais de Thanos tentou roubar a Joia do Tempo do Doutor Estranho – e os heróis estão conversando sobre o perigo que Thanos traz. Durante esses minutos iniciais, Bruce Banner, junto de Wong e Stephen, estão explanando para Tony sobre as Joias do Infinito, seus poderes e suas localizações – a Joia da Alma continua sendo um mistério neste ponto. Até este momento, fica claro que Thanos já tem duas joias: a do poder e a do espaço.

 

A dinâmica entre os personagens é aquilo que já era esperado: as piadas não ficam de fora e encaixam bem – principalmente entre Tony e Stephen, que ficam se provocando. Depois de contextualizarem Stark, os heróis começam a se preparar para enfrentar Thanos e seu exército, planejando encontrar Visão e proteger sua joia. Neste momento, Tony explica que Visão foi embora por algum motivo não especificado e a única pessoa que pode encontrá-lo é Steve Rogers.

A conversa é interrompida quando eles ouvem gritos. Os quatro saem do Sanctum Sanctorum, indo para as ruas de Nova York e encontrando uma confusão generalizada: as pessoas estão correndo e gritando. Em seguida, Tony e companhia encontram dois generais da Ordem Negra de Thanos: Fauce de Ébano e Cull Obsidian.

Batalha em Nova York

A dinâmica de humor permanece sutilmente nas cenas seguintes, mas de maneira mais leve – principalmente quando os heróis começam a perder a batalha. Antes da luta começar, fica subentendido que Bruce Banner não está conseguindo se transformar no Hulk por algum motivo e fica de fora da batalha. Além disso, o foco dos heróis é proteger a Joia do Tempo, que está com Stephen Strange. Quem assume a linha de frente é Tony, que está com uma armadura nova que é ativada na própria roupa que utiliza no corpo – uma espécie de macacão tecnológico.

A armadura é a Extremis dos quadrinhos, com nanotecnologia – o que aumenta exponencialmente seu poder de fogo e também abrange o leque imaginativo dos irmãos Russo. Além dos canhões e da grande resiliência do traje, a armadura possui armas que desacoplam e atacam sob comando de Tony. Homem de Ferro encara Cull Obsidian inicialmente, leva a melhor, mas em seguida é despachado e mandado para longe.

Neste momento, Doutor Estranho e Wong formam a linha de defesa, protegendo Bruce Banner. Fauce de Ébano ataca e já fica evidente que o personagem possui poderes muito diferentes dos quadrinhos. Nos gibis, ele atua mais como estrategista e não muito como combatente, enquanto que no filme ele possui poderes psíquicos e também se sai bem na luta corpo-a-corpo.

Um corte de cenas acontece e mostra Peter Parker (Tom Holland) no ônibus da escola, com o sentido aranha sendo ativado quando a nave de Thanos está se aproximando de Manhattan. O adolescente pede para seu amigo Ned (Jacob Batalon) distrair as pessoas para que ele possa vestir seu uniforme e ir ajudar. Peter consegue escapar pela janela e vai de encontro ao outros Vingadores.

Voltamos para a luta de Tony contra Cull Obsidian, em que Stark está perdendo. Bruce também está lá depois que Stephen Strange o teleporta. Homem de Ferro está prestes a ser morto quando o Homem-Aranha chega – já fazendo piadinhas – e o salva. A batalha vira o foco: os dois lutam juntos contra Cull Obsidian, que tem como principal atributo a força bruta.

 

A cena volta para a luta entre Fauce de Ébano e Doutor Estranho. Wong é despachado rapidamente pelo general de Thanos, e a batalha fica apenas entre os dois. O Mago Supremo utiliza alguns feitiços para atrasar Fauce, mas nada permanente. Stephen Strange acaba perdendo e é capturado pelo general e em seguida, é levado para a nave de Thanos.

Tony descobre que o Doutor Estranho foi abatido e manda Peter salvá-lo, enquanto segura Cull Obsidian. Durante todo esse tempo, Bruce Banner trava uma batalha interna com Hulk, tentando se transformar, mas sem sucesso. Peter Parker chega à nave, que está indo em direção ao espaço e começa a perder seu fôlego.

Homem de Ferro enfim derrota Cull Obsidian – pelo menos temporariamente – e vai em direção à espaçonave, enquanto fala com seu sistema operacional Friday, pedindo um traje especial. A armadura na verdade não é para Tony, mas sim para Peter. Neste momento, nasce o Aranha de Ferro – com um traje muito semelhante aos dos quadrinhos. Homem de Ferro manda o garoto ir embora e entra na nave, em busca de Stephen Strange.

Peter, em vez de realmente ir embora, entra na nave por uma outra saliência. A última visão que temos dos heróis é deles nessa espaçonave, indo para o espaço – não é à toa que vemos Tony, Stephen e Peter junto com os Guardiões da Galáxia nos trailers.

Guardiões da Galáxia

Falando nos Guardiões, depois de todas essas cenas frenéticas, somos apresentados ao núcleo deles. Vemos o grupo de heróis em sua nave, indo atender um sinal de socorro. As coisas não mudaram tanto desde a última vez que os vimos: Peter Quill (Chris Pratt) parece ainda tentar algo com Gamora (Zoe Saldana), Rocket Racoon (Bradley Cooper) continua o piadista junto de Drax (Dave Batista) e o grupo também conta com Mantis (Pom Klementieff) e Groot (Vin Diesel), que agora está adolescente – o que rende ótimas piadas, com direito a Quill dando uma de paizão e Groot sendo o filho revoltado.

Chegando ao local do sinal de socorro, o grupo literalmente esbarra em Thor (Chris Hemsworth), em meio a uma tripulação morta. Não fica claro como Bruce Banner – que estava com o deus do trovão no fim do último filme – chegou à Terra ou o que aconteceu com Loki e companhia. Os Guardiões resgatam o herói e o deixam em uma maca – em mais uma cena recheada de humor, com Drax e Gamora falando dos músculos do Thor, e Peter Quill com inveja dele.

Quando o deus do trovão acorda, ele começa a contar o que aconteceu e cita Thanos, o que assusta Gamora. A filha de Thanos explica para todos os poderes das Joias do Infinito; Thor também fala sobre isso, dizendo que sabe onde estão as Joias, com exceção da Joia da Alma – neste momento, Gamora arregala os olhos, o que pode significar que ela sabe onde está.

 

Depois de mais algumas piadas, eles decidem se separar em dois grupos: Thor, Rocket Racoon e Groot vão procurar pela Joia da Alma, enquanto Senhor das Estrelas, Gamora, Drax e Mantis vão até o Colecionador, buscar a Joia da Realidade – de acordo com Thor, é para lá que Thanos também está indo.

Os 23 minutos de exibição terminaram neste momento, com os dois grupos se separando e deixando um gostinho de “quero mais!”. A impressão final que fica é a de que o novo filme da Marvel tem muito equilíbrio em relação à dramaticidade e humor. O que deve realmente pesar para o drama no longa é a presença de Thanos e o confronto com o Titã.

Outro ponto que vale destacar é a estrutura do roteiro, que parece destoar um pouco, seguindo grupos em núcleos diferentes, como se cada pequena missão ajudasse no plano geral. Vai ser interessante acompanhar Tony, Peter e Stephen em um canto, os Guardiões em outro e o núcleo de Wakanda também.

Vingadores: Guerra Infinita estreia nesta quinta-feira, 26 de abril, com direção de Joe e Anthony Russo.

Comments