A Killer Paradox | Quem é o culpado pelos assassinatos? Entenda o final da série da Netflix

Publicidade

A Killer Paradox, o Kdrama policial da Netflix, leva os espectadores a uma jornada cativante de assassinato e moralidade contada através de um cabo de guerra entre um jovem vigilante e um policial tenaz. O estudante universitário Lee Tang passa pela vida sem rumo até que a vida lhe lança uma bola curva depois que as circunstâncias o levam a cometer um assassinato violento. 

No entanto, a crise ética de Lee é interrompida quando o estudante percebe que sua vítima é na verdade um serial killer. Conseqüentemente, Lee descobre que tem a capacidade de reconhecer bandidos e retribuir-lhes, obrigando-o a deixar uma série de corpos em seu rastro.

No entanto, não demora muito para que as ações de Lee despertem as suspeitas do detetive Jang Nan-gam. Com responsabilidades cósmicas sobre seus ombros e a lei tentando pegá-lo, Lee deve encontrar uma maneira de punir os bandidos por seus crimes sem ser pego pelos seus próprios crimes. 

Qual a trama de A Killer Paradox?

No que diz respeito às falhas morais, Lee Tang não tem necessariamente um histórico imaculado. Desde trair a namorada do colégio até colocar colegas em apuros, o garoto tem muitas coisas pelas quais carregar a culpa. Além disso, sua vida após o serviço militar permanece terrivelmente monótona, repleta de aulas universitárias sem saída e turnos na loja de conveniência. 

No entanto, uma noite, tudo muda depois que Lee Tang encontra um de seus clientes anteriores desmaiado no chão a caminho de casa. Lee também avista o amigo do cara por perto, mas este o repreende quando abordado. Pior ainda, quando Lee tenta empurrar o estranho, ele ataca e começa a espancar o jovem em um beco escuro. 

Portanto, anos de raiva reprimida surgem, levando Lee a assassinar brutalmente o homem com um martelo e fugir do local horrorizado. Em casa, a culpa atormenta a consciência de Lee. No entanto, todas as evidências de seu envolvimento no crime escapam às autoridades quando a polícia, sob o comando do detetive Jang Nan-gam, investiga o assassinato. 

Na verdade, por meio da perícia forense e de uma testemunha ocular, a polícia descobre que o homem e seu amigo se mataram. Mesmo assim, Nan-gam continua desconfiado da solução fácil, e o comportamento nervoso de Lee o irrita. Mesmo assim, o caso desaparece quando a polícia percebe que a vítima era na verdade um serial killer que saiu do controle há algum tempo. 

A revelação também ajuda Lee a limpar a consciência, incapaz de se sentir culpado por matar um assassino e um estuprador. Nos dias seguintes, a instância volta a assombrar Lee quando uma mulher parcialmente cega surge como testemunha das ações de Lee e tenta extorqui-lo, exigindo dinheiro por seu silêncio. Mesmo que Lee cumpra a princípio, a chantagem azeda da mulher o leva ao limite, incitando outra explosão em que ele mata a mulher. 

No entanto, chega outra revelação para limpar a consciência, com Nan-gam descobrindo que a mulher era um monstro egoísta que matou seus pais por causa do dinheiro do seguro. Como tal, mais tarde, Lee percebe que seu desejo de matar jovens delinquentes provavelmente tem uma explicação por trás disso e comete os assassinatos a sangue frio. No entanto, as coisas mudam quando alguém aborda anonimamente o menino em um quadro de mensagens online, “Only For Heroes”.

Depois de uma série de eventos emocionantes, Lee deixa sua vida para trás para se encontrar com o homem por trás de Only For Heroes, um simpatizante anônimo que parece saber tudo sobre seus crimes. Após um encontro premeditado e elaborado, Lee conhece Roh-bin, um gênio da tecnologia com habilidades de hacker especializadas e uma paixão ardente pela justiça. Roh-bin levanta a hipótese de que um poder superior concedeu a Lee a capacidade de destacar os vilões e entregá-los ao seu destino.

Pela mesma razão, apesar dos assassinatos desleixados do homem, Lee ainda teve muita sorte de ser pego. Assim, com a ajuda de Roh-bin, Lee assume a responsabilidade de limpar pessoas inúteis sempre que sua intuição o leva a fazê-lo. Nesse ínterim, Nan-gam se convence de que Lee estava por trás dos assassinatos meses atrás. 

No entanto, Lee evita facilmente os policiais em sua nova vida, ao mesmo tempo que deixa cair novos corpos com frequência. Eventualmente, Nan-gam encontra uma maneira de ir atrás do homem quando outro homem corpulento, Song Chon, começa a perguntar por Lee. Acontece que Nan-gam, Song Chon e Roh-bin têm uma extensa história, que remonta a décadas, quando Song atacou o pai de Nan-gam, deixando-o em coma paralisado. 

Como tal, assim que Nan-gam e Roh-bin, antigos conhecidos controversos, percebem que Song regressou, as suas prioridades mudam para incluir a sua prisão. Enquanto isso, após uma interação desagradável com Song, Lee percebe que está perdendo a cabeça e tenta se esconder com a ajuda de Roh-bin.

Mesmo assim, Roh-bin, que trabalhou com Song no passado, abandona a autopreservação para proteger Lee, juntando-se a Nan-gam para enfrentar Song. Mesmo assim, Lee não permite que seu amigo enfrente a luta sozinho. Assim, o final encontra os quatro homens reunidos em uma fábrica abandonada para um confronto explosivo.

Final de A Killer Paradox: Por que Song Chon matou o pai de Jang Nan-Gam? Nan-gam se vinga?

Embora o personagem de Song Chon faça uma entrada física na narrativa da série nos episódios posteriores, sua presença assombra o enredo desde o início. Seu envolvimento na situação difícil do pai de Nan-gam e na posição como antigo parceiro de Roh-bin no combate ao crime permite aos espectadores uma visão de seu personagem. No entanto, o homem permanece envolto em mistério. 

Durante a caçada policial por ele, enquanto Roh-bin e Lee tentam fugir para o Sul para se esconder, Song ataca o pai de Nan-gam, o detetive Kang, no hospital e o mata. Como o homem já estava em aparelhos de suporte vital, a ação parece ainda mais insensível, consolidando ainda mais a decisão de Nan-gam de matá-lo. Pela mesma razão, ele concorda em trabalhar com Roh-bin quando este revela que sabe a localização de Song devido a uma correspondência anterior. 

Song tem um livro precioso que contém evidências indescritíveis que podem provar os crimes de Lee. Portanto, Roh-bin está desesperado para recuperá-lo do homem para limpar o nome de seu amigo. Mesmo assim, Lee percebe seu plano de auto-sacrifício e o rastreia até o local do encontro.

Conseqüentemente, todos colidem na fábrica, onde uma briga deixa Song ferido, esfaqueado no torso pela lâmina de Lee. Durante esse tempo, o homem revela a verdade por trás de seu passado com Kang. Song costumava ser um policial que trabalhava sob a liderança de Song. Embora o homem tentasse impressionar seu superior, este continuou ignorando seus esforços. Eventualmente, Song descobriu que Kang estava envolvido em um esquema de tráfico de drogas no qual ele usou uma senhora inocente como sua mula involuntária.

Acontece que Kang era um policial corrupto sem intenção de corrigir seus hábitos imorais. Além disso, ele desprezava Song por ser filho de um assassino. Apesar das próprias deficiências de Kang, ele decidiu que Song seria perverso e constantemente o afastava de promoções. Assim que Song confronta Kang sobre seus próprios erros, o homem o espanca e abusa dele verbalmente, forçando Song a agredir seu oficial superior.

Como resultado, Kang acabou em coma e Song perdeu a carreira como policial. O caminho deste último inevitavelmente se cruzou com Roh-bin, que tentou lançar-lhe o mesmo discurso de vigilante que ele compartilha com Lee. Somente o poder chega à cabeça de Song. O homem começou a punir as pessoas pelos menores crimes – um hábito que ele manteve em sua busca por Lee. Depois que Roh-bin testemunhou sua vilania, ele procurou Nan-gam para deter o outro homem.

No entanto, Nan-gam não conseguiu matar o homem e deixou-o escapar de suas mãos. Portanto, anos depois, depois que Song percebe que Roh-bin encontrou outra pessoa para ocupar seu lugar heróico, ele sai da toca, retomando o passado onde o deixou. Pela mesma razão, ele tem como alvo Kang e finalmente o mata. No entanto, ao fazer isso, ele aumenta o ódio de Nan-gam pelo homem. Nan-gam nunca matou ninguém – um fato que o impede de matar Song inúmeras vezes.

No entanto, depois que Song revelou todo o passado a Nan-gam, incluindo o caso de sua mãe com o amigo de Kang, ele continua a provocá-lo sobre a natureza corrupta de Kang. Como tal, Nan-gam, que nunca teve um relacionamento particularmente bom com seu pai agressor, explode. Embora Lee, que matou inúmeras pessoas, se ofereça para terminar o trabalho para Nan-gam, o policial opta por terminar sua história sozinho. No final, Nan-gam mata Song, alertando os sentidos de Lee e significando a moralidade adulterada do primeiro.

Roh Bin morre?

O envolvimento de Roh-bin em actividades criminosas permanece precário desde o início. Quando ele era criança, um ladrão invadiu sua casa, assassinando seus pais. O garoto descobriu os corpos na manhã seguinte, encontrando-se efetivamente sozinho no mundo. Pior ainda, as autoridades nunca encontraram o assassino, o que levou Roh-bin a perceber que a justiça só pode ser feita com poder. Ainda assim, apesar de seus melhores esforços, ele nunca conseguiu encontrar poder próprio. 

Como resultado, ele começou a procurá-lo em outro lugar. Roh-bin tinha os recursos e a inteligência para conduzir uma operação de vigilante. Mesmo assim, ele não tinha força para lutar. Assim, ele se tornou o companheiro perpétuo, em busca de heróis. Sua primeira tentativa deu errado depois que Song mostrou suas verdadeiras cores brutais. No entanto, Lee provou ser diferente. Ao contrário de Song, a intuição de Lee veio de um poder superior – ou assim a dupla acreditava. 

Como algo sobrenatural estava claramente acontecendo com o homem, Roh-bin percebeu que ele era diferente das pessoas que distribuem justiça com base em suas vinganças. Em vez disso, Lee só matou as pessoas que mereciam, agindo como uma espécie de punição cósmica. Pela mesma razão, Roh-bin decidiu defender o homem, mesmo que à custa da sua própria vida. 

No final, durante a briga na fábrica, onde Lee e Roh-bin tentam subjugar Song enquanto Nan-gam atira nele, a bala do homem atinge Roh-bin. Assim, o amado companheiro de Lee sangra até a morte, satisfeito por ter salvado seu amigo.

Além disso, Roh-bin também deixa para trás vários dispositivos de segurança para garantir que os eventos e crimes recentes não acabem caindo sobre os ombros de Lee. Apesar da ambigüidade moral das ações de Lee, Roh-bin as reconheceu como heroísmo e acabou sacrificando sua vida para proteger Lee.

Lee Tang escapa impune de seus crimes?

Ao longo do show, a sorte de Lee o protege consistentemente de ser pego pela lei. Como suas ações parecem ser impostas pelo universo, a mesma força invisível protege seus assassinatos retributivos das repercussões da lei. Na verdade, na única vez que Lee tenta confessar seus crimes à polícia, o destino intervém e se livra de todas as evidências que poderiam incriminá-lo de seus crimes. 

Da mesma forma, seu encontro com Roh-bin parece bom demais para ser verdade, sugerindo que seus poderes os uniram para se tornarem uma dupla de combate ao crime. No final, qualquer força que conceda a ele os poderes de intuição e sorte de Lee o salva de repercussões legais. No momento após a morte de Song e Roh-bin, Lee fica sozinho com Nan-gam. A princípio, o primeiro tenta acabar com a vida nas mãos do detetive, mas a arma do segundo acaba, sinalizando outro golpe de sorte magistral. 

Da mesma forma, embora Nan-gam quisesse processar Lee por seus crimes, algo o impediu de prosseguir. Devido a Roh-bin, Nan-gam sabe que todos que Lee matou merecem seu destino. Além disso, este último implorou pessoalmente a Nan-gam que poupasse seu amigo antes que ele morresse. Por último, Nan-gam hesita em condenar Lee a um destino cruel depois de testemunhar a sua consciência culpada. Pelas mesmas razões, ele decide deixar o homem ir, consolando-se com a ideia de que alguém irá alcançá-lo no caminho.

A partir daí, os planos pré-elaborados de Roh-bin cuidam de tudo. Enquanto o homem preparava a grande fuga de Lee, ele também instalou evidências que levariam a polícia a concluir que a recente série de assassinatos foi cometida por Roh-bin e seu cúmplice, Song Chon. Portanto, assim que a polícia levou adiante a sua investigação após a explosão da fábrica, chegou à conclusão manipulada de Roh-bin.

A última peça do quebra-cabeça vem de Nan-gam, cujo testemunho pode mudar tudo sobre a percepção modificada da lei sobre a inocência de Lee. No entanto, o homem mente pelo bem de Roh-bin e Lee, absolvendo este último de sua culpa. No final, Lee se muda para o Sul, como sugeriu Roh-bin, para fugir das cidades movidas pelo crime e controlar sua intuição assassina.

Mesmo assim, alguns meses depois, Lee é pego por causa de seu passaporte ilegal e embarca de volta para a Coreia do Sul. Eventualmente, seu caminho se cruza com outro vilão na multidão da cidade. Logo, Nan-gam percebe o ressurgimento de Lee após a notícia do misterioso assassinato de um serial killer. Lee consegue escapar impune de seus crimes quando a temporada chega ao fim. 

No entanto, os seus contínuos assassinatos deixam espaço para que as consequências possam acompanhar as suas ações – por mais justas que sejam.

A Killer Paradox já está disponível na Netflix.

Leia também: A Killer Paradox da Netflix é inspirada em uma história verdadeira?


Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e também no Google News

Quer receber notícias direto no seu celular? Entre para o nosso canal no WhatsApp ou no Telegram.

Última Notícia

Mais recentes

Publicidade

Você também pode gostar: