True Detective: Terra Noturna | “Há uma atmosfera de John Carpenter”, conta diretora em coletiva

Publicidade

A cidade de São Paulo foi palco de um evento memorável para os fãs de True Detective, com a coletiva de imprensa da tão aguardada 4ª temporada, intitulada Terra Noturna. A série, que promete a temporada mais sombria de todas, foi apresentada ao público na CCXP23, revelando detalhes intrigantes de sua trama e contando com a presença ilustre da renomada Jodie Foster, estrela icônica do cinema, que agora empresta seu talento à televisão.

A trama da quarta temporada mergulha os espectadores em uma longa noite de inverno em Ennis, no Alasca, onde o mistério toma forma quando os oito homens responsáveis pela operação da Estação de Pesquisa Tsalal Arctic desaparecem misteriosamente. A narrativa intrincada e envolvente conduzirá as detetives Liz Danvers, interpretada por Foster, e Evangeline Navarro, papel de Kali Reis, a enfrentarem não apenas os desafios externos, mas também os abismos de escuridão que residem dentro de si mesmas. A investigação as levará a desvendar verdades assombradas que estão ocultas sob o gelo, desencadeando uma trama que promete surpreender e envolver os espectadores.

Na coletiva, o Pipocas Club teve o privilégio de presenciar a genialidade por trás da série, com a roteirista e diretora, Issa López, compartilhando insights sobre o processo criativo que deu vida à Terra Noturna. A mente brilhante por trás de sucessos como Tigers Are Not Afraid traz sua visão única para o universo de True Detective, prometendo uma temporada que transcende as expectativas do público.

Tudo que rolou na Coletiva de Imprensa de True Detective: Terra Noturna

A criadora Issa López começou a sessão destacando as influências cinematográficas da temporada. “Essa temporada tem muitas influências que os fãs vão identificar, como Se7en – Os Sete Crimes Capitais e, claro, O Silêncio dos Inocentes. Há momentos em que as pessoas vão identificar como algo vindo da cinematografia de John Carpenter, em especial de O Enigma de Outro Mundo“, revelou López, prometendo uma experiência rica em referências e homenagens ao cinema.

Jodie Foster, que interpreta a detetive Liz Danvers, compartilhou a intensidade das filmagens, ressaltando: “Minha personagem tem amor no coração, o mundo mudou de uma forma que ela precisa se adaptar. Esse é o ponto de partida para sua história. Eu fiquei doente uns 10 dias e sem voz por conta do frio extremo, foi difícil, é como parir um filho, você esquece como é difícil fazer algo assim, mas valeu a pena cada minuto, estou muito orgulhosa dessa série que fizemos. Vivo uma personagem complexa e desconfiada, tem muitas camadas. Fizemos um filme, bom, um longo filme seriado.”

A estrela Kali Reis, responsável por dar vida à detetive Evangeline Navarro, expressou sua empolgação em fazer parte do projeto. “Foi incrível fazer parte disso tudo, com esse time de mulheres incríveis. Issa [roteirista e diretora] criou uma história muito visual e visceral, muito enigmática e envolvente. Estou ansiosa para compartilhar isso com o mundo em breve. Sempre fui fã dessa série e da química entre esses personagens que precisam conviver nas adversidades. Esse equilíbrio do time é muito atrativo, intrigante e imprevisível.”

A criadora Issa López compartilhou sobre o processo de escrita, destacando a escolha do Alasca como cenário. “Olha, eu sou mexicana, eu odeio o frio, mas decidi fazer essa trama no Ártico por conta não apenas do clima, mas pela atmosfera de suspense e isolamento. Gravamos no meio da pandemia e tivemos dificuldades de ir ao Alasca. Quando tudo se acalmou, pegamos um avião e fomos para lá escutar as pessoas das cidades pequenas, durante o inverno mais intenso, pessoas entediadas que gravavam suas rotinas todos os dias e isso nos ajudou a construir esse drama local.”

López ressaltou a essência de True Detective: “True Detective é feita sobre três coisas principais: resolver crimes, não entender o que estão buscando de fato e o lugar onde estão vivendo e como isso influencia a jornada. Dessa vez isso está ainda mais presente.”

Foster acrescentou sua perspectiva sobre a série, comparando-a à sua experiência em O Silêncio dos Inocentes: “Enquanto eu filmava O Silêncio dos Inocentes, eu percebi que precisava entender melhor esse tipo de personagem complexo e as relações entre as pessoas. Achar o assassino é imersivo, mas a série é, acima de tudo, sobre amor, perda e luto. É entender o mundo dos serial killers para entender o nosso mundo como um todo. Fazia muito tempo que não me sentia tão empolgada assim desde O Silêncio dos Inocentes, eu creio.”

López encerrou a coletiva destacando a liberdade criativa proporcionada pela HBO: “Para fazer algo de gênero você precisa seguir certas regras. É uma história de amor entre duas parceiras que precisam conviver e resolver um mistério e, com isso, aprender algo uma com a outra. Diferente de outras produções, não é uma série comum sobre a detetive de cidade pequena, é algo que ninguém viu ainda, o segredo está nos detalhes, nas camadas, é similar a muitas séries, mas é diferente de certa forma. A HBO me deu total liberdade criativa para fazer o que achássemos que tornaria essa série ainda melhor.”

A dupla de detetives Liz Danvers e Evangeline Navarro, apesar das desavenças, possui uma conexão única, como explicou Jodie Foster: “Não importa o quanto elas se odeiem, elas possuem essa conexão, a jornada delas pelas sombras as une. Minha personagem vive um despertar para a vida ao longo da trama. Elas se odeiam, mas elas se entendem e se respeitam. No fim, é como uma história de amor convencional.”

Sobre a representatividade na série, Kali Reis destacou: “Mesmo aqui no Brasil esses personagens são relacionáveis, são universais, tenho certeza que vai tocar o coração de muita gente. Tem muita representação de povos indígenas, dos naturais de suas terras. Há um sentimento universal de tristeza também, de mulheres desaparecidas, de violência que vemos em todos os lugares.”

Issa López concluiu a coletiva, enfatizando o cuidado técnico da produção: “Meu design de produção ajudou a traduzir o frio e a solidão do Alasca. Há muito cuidado na produção, os figurinos são locais, dados pelas comunidades para que usássemos na série. A fotografia é de alguém que sabia trabalhar no gelo e capturar toda a atmosfera gélida que precisávamos passar”. “Tudo era muito real no set, tudo era muito real na minha cabeça”, completou Kali Reis sobre figurino e a produção.

Com essas revelações instigantes, a expectativa para a estreia da 4ª temporada de True Detective atinge níveis mais elevados, prometendo uma experiência única para os fãs que anseiam por mistérios profundos e tramas envolventes.

True Detective: Terra Noturna estreia domingo, 14 de janeiro, na HBO e HBO Max.

Se você ainda não é assinante da HBO Max, pode assinar clicando aqui.

Leia também:

Última Notícia

Mais recentes

Publicidade

Você também pode gostar: