Toda Luz que Não Podemos Ver | | O Mar de Chamas existe na vida real? Entenda

Publicidadespot_img

Em ‘Toda Luz Que Não Podemos Ver’, da Netflix, um diamante se torna uma das coisas inesperadas que unem uma garota francesa e um jovem soldado nazista. Enquanto a França é devastada pela Segunda Guerra Mundial, o pai de Marie, curador do Museu de História Natural, está focado em apenas uma coisa: não pode deixar uma pedra preciosa cair em mãos erradas. Embora existam muitos objetos de valor no museu, nenhum se compara à lenda do Mar de Chamas. Considerando que a série se passa durante a Segunda Guerra Mundial, questiona-se se o Mar de Chamas também pode ser uma das coisas que foram baseadas na realidade. 

ALERTA DE SPOILERS!

O início da história do Mar de Chamas

Crédito da imagem: Atsushi Nishijima/Netflix

‘Toda Luz que Não Podemos Ver’ é baseada no romance homônimo de Anthony Doerr e tece uma história fictícia sobre Marie-Laure e Werner. No início de seu processo, Doerr se perguntou como poderia unir os dois personagens. Como a história se passava em Saint-Malo, o autor começou a ler sobre a história da França, o que o levou a pesquisar o início da ocupação alemã da França, e leu sobre o Louvre e outros museus sendo esvaziados para salvá-los da pilhagem nazista.

“Eles realmente só tiveram semanas para tirar tudo isso de Paris. Rembrandts e a Mona Lisa foram enrolados e transferidos para fora da cidade. Há algumas fotografias incríveis de Rembrandts sendo embrulhados e dos corredores do Louvre se transformando em depósitos de palha, barbante e caixotes”, observou o autor. Isso o levou ainda mais ao Museu de História Natural de Paris, que abrigava “riquezas minerais incalculáveis”, juntamente com coisas insubstituíveis como fósseis e meteoritos. “Qualquer coisa que fosse leve o suficiente para ser movida, eles estavam tentando descobrir o que fariam com isso. Eu estava apenas imaginando essas circunstâncias”, acrescentou Doerr.

Descendo pela toca do coelho, Doerr acabou lendo sobre uma estranha ametista chamada Delhi Sapphire no Museu Britânico. Com base nas lendas que rodeiam a pedra real, ele inventou o mito do Mar de Chamas e usou-o como um “veículo narrativo”, colocando-o deliberadamente na posse de uma menina “que poderia ser imune aos seus encantos visuais”. Também se tornou um ponto de virada que afastaria o pai dela e atrairia pessoas como Reinhold von Rumpel.

A história por trás da verdadeira pedra preciosa que inspirou o fictício Mar de Chamas

Na história de Doerr, diz-se que o Mar de Chamas é a pedra que concede a imortalidade ao seu dono, mas traz uma terrível desgraça às pessoas que amam. O livro expande a história da pedra, traçando suas origens na Índia, onde também começa a história da Safira Delhi. Alegadamente, a ametista foi encontrada na Índia durante a rebelião de 1857 e teria sido roubada do Templo de Indra.

Ela foi trazida para a Inglaterra por um cavaleiro de Bengala chamado Coronel Derris, que enfrentou todos os tipos de problemas desde que a pedra estava em sua posse. A série de infortúnios continuou para as pessoas a quem a pedra foi passada até que finalmente Edward Heron-Allen reconheceu o que estava acontecendo. Heron-Allen tentou se livrar da pedra e notou que onde quer que a ametista fosse, ela era seguida de azar. Curiosamente, a joia parecia ter desenvolvido uma afinidade particular com ele, e não importava o que ele fizesse para se livrar dela, a Safira sempre encontrava o caminho de volta para ele da maneira mais estranha.

Eventualmente, diz-se que Heron-Allen empacotou a pedra e ordenou que ela fosse trazida de volta a público trinta e três anos após sua morte. No entanto, a sua filha deu-a ao Museu Britânico de História Natural alguns meses depois do seu falecimento em 1943. O aviso acompanhou a pedra, mas o museu não só a aceitou como também a manteve em exposição como parte da sua coleção.

Leia também:


Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e também no Google News

Quer receber notícias direto no seu celular? Entre para o nosso canal no WhatsApp ou no Telegram.

Última Notícia

Mais recentes

Publicidade

Você também pode gostar: