BELAS ARTES À LA CARTE, streaming de filmes do Cine Petra Belas Artes, nasceu de uma carência no mercado em encontrar uma plataforma online com cinema de qualidade. Em 2019, surgiu uma versão beta da plataforma, e em abril de 2020 tornou-se um serviço aprimorado, já com uma grande quantidade de filmes como uma oferta de produções de todas as décadas da história do cinema e dos mais diferentes países do mundo.

Em seu aniversário de um ano o Belas Artes À LA CARTE se consolida com uma plataforma entre os fãs de cinema que encontram no streaming um acervo que já conta com 400 filmes, que permanecem em seu catálogo e assim, os assinantes não precisam ter pressa para assistir. A seleção inclui títulos de todos os cantos do mundo e de todas as épocas: contemporâneos, clássicos, cults, obras de grandes diretores, superpremiados e principalmente aqueles que merecem ser revistos e que tocam o coração dos cinéfilos. O streaming, que é 100% nacional, conta com o valor de assinatura mais acessível do mercado: apenas R $9,90, o mesmo desde o lançamento.

E para comemorar um ano de existência, o Belas Artes À LA CARTE presenteia seu público com diversas novidades: serão quatro festivais em abril e pelo menos uma mostra mensal no decorrer do ano.

Outra vantagem para os assinantes que procuram por cinematografias mundiais são os festivais. Recentemente o À LA CARTE trouxe especiais dedicados à cinematografia francesa, italiana, coreana e espanhola. E em maio chega mais uma novidade:  o”Volta ao Mundo: Suíça”.  Esta é a primeira parceria internacional exclusiva do À LA CARTE e será realizada com a Swiss Film Foundation. O festival acontecerá entre os dias 6 e 19 de maio e reúne filmes raros do país e inéditos nos cinemas brasileiros, entre eles dois longas do aclamado diretor Alain Tanner.

Em junho chega uma outra surpresa! Entre os quatro novos filmes que estreiam todas as quintas-feiras no chamado “cardápio semanal” (títulos que passam a integrar o catálogo), um deles será um longa contemporâneo e INÉDITO no Brasil.

Abril dos festivais

Em abril quatro festivais chegam ao streaming! São eles: Cinefantasy,  Festival Internacional de Cinema em Balneário Camboriú, Festival Cinema Brasileiro: Anos 2010 (10 olhares) e o Volta ao Mundo: Suíça

Entre os dias 16 e 29 de abril o À LA CARTE, exibe os filmes da 11ª edição do CINEFANTASY – Festival Internacional de Cinema Fantástico. Considerado o maior e o principal festival brasileiro de cinema fantástico, recebeu mais de 780 filmes inscritos de 69 países, onde foram selecionados um total de 137 filmes, sendo 18 longas e 119 curtas-metragens de 32 países dos 5 continentes. Entre os destaques, as estreias nacionais dos filmes Amigo, de Óscar Mártin (Espanha),  Coração Dilatado, de Parish Malfitano (Austrália), Mãe, Sou Amiga De Fantasmas, de Sasha Voronov (Rússia), Playdurizm, de Gem Deger (República Tcheca), Os Guardiões Do Tempo, de Alexey Telnov (Rússia), Post-Mortem, de Péter Bergendy (Hungria), Sayo, de Jeremy Rubier (Canadá), Ravina, de Balázs Krasznahorkai (Hungria), e o documentário A Senhora Que Morreu No Trailer, de Alberto Camarero e Alberto de Oliveira (Brasil). A abertura acontece no dia 16 de abril com a exibição do  filme Horror Noire: A História Do Horror Negro, dirigido por Xavier Burgin, e baseado no livro de não ficção de 2011, “Horror Noire: Blacks in American Horror Films, da década de 1890 até o presente”, de Robin R.Means Coleman. A programação contará ainda com uma homenagem aos 80 anos de Neville D’Almeida,  um dos maiores ícones do cinema nacional e responsável por recordes de bilheterias com os filmes “A Dama do Lotação”, “Matou a Família e Foi ao Cinema”, “Navalha na Carne”, entre outros sucessos. Todos os assinantes terão acesso aos filmes. Os não assinantes podem assinar o serviço e acompanhar toda a mostra por R$ 9,90.

Festival Internacional de Cinema em Balneário Camboriú, que acontece entre os dias 19 e 30 de abril, celebra 10 anos de muita cinefilia e oferece 12 dias de exibições de 38 obras de longa e curta-metragem, selecionados e premiados em edições anteriores do evento, além de também terem sido reconhecidos em festivais como Berlim, Roterdã, San Sebastian, Cannes, Locarno, Sundance e muitos outros. Preocupada em fazer um recorte diversificado de filmes que foram exibidos ao longo de 10 anos durante o FICBC, a curadoria selecionou filmes de mostras como a “Internacional” – que apresentam filmes estrangeiros e brasileiros com o melhor cinema contemporâneo, a “Vivo” – com um olhar aprimorado a novas tendências e experiências do audiovisual, e a “Catarina” – que apresenta talentos catarinenses para todo o Brasil. Entre os filmes estão O Verão Lá Fora/Draussen ist Sommer (Dir. Friederike Jehn, Alemanha, 91min), Aleksi (Dir. Barbara Vekaric, Croácia, 90min) e A Idade Atômica/L’âge Atomique (Dir.  Héléna Klotz, França, 67min).

Os fãs do cinema brasileiro ganham um presentão: o Festival CINEMA BRASILEIRO: ANOS 2010 10 OLHARES, que acontece entre os dias 22 e 30 de abril e será gratuito. O que o cinema nacional pode dizer sobre o país da última década? O festival resgata a produção desse período e joga luz sobre o estado do presente a partir do passado recente. Longas, médias e curtas, divididos em 10 segmentos temáticos, cada um com curadores específicos, exploram esse período de ebulição da nossa cinematografia, que contou com um número inédito de mulheres e minorias (como realizadores negros e indígenas) envolvidas na produção cinematográfica. Os filmes selecionados refletem e fazem refletir sobre os conturbados anos que culminaram na eleição de um governo declaradamente contrário ao fomento cultural de seu país.

“Volta ao Mundo” é o nome do festival criado pelo À LA CARTE para destacar a cinematografia dos mais diversos países ao redor do mundo. E, para inaugurar a novidade, o streaming marca também a sua primeira parceria internacional exclusiva, com a Suíça, para a realização do festival com oito filmes produzidos no país. Realizada em parceria com a Swiss Film Foundation, “Volta ao Mundo: Suíça”, acontece entre os dias 6 e 19 de maio e reúne filmes raros e inéditos nos cinemas brasileiros, entre eles dois longas do aclamado diretor Alain Tanner. Confira a seleção: “Desejo de Voar”/Mare (2020), de Andrea Staka; “O Caminho para Moscou”/Moskau Einfach! (2020), de Micha Lewinsky; “Espacate”/Spagat (2020), de Christian Johannes Koch; “Love Me Tender” (2019), de Klaudia Reynicke; “Deserto”/My Little One (2019), de Frédéric Choffat e Julie Gilbert; “Sturm” (2020), de Oliver Rihs; “Na Cidade Branca”/Dans La Ville Blanche (1983) e “O Último a Rir”/Charles mort ou Vif (1969), estes dois últimos dirigidos por Alain Tanner. Todos os assinantes terão acesso aos filmes. Os não assinantes podem assinar o serviço e acompanhar toda a mostra por R$ 9,90.

Estreias de agosto da Disney+ Melhores Filmes da Netflix em 2021 Melhores séries Rua do Medo: 1666 – PARTE 3 – Final #Crítica Atypical