Pouco tempo depois da CBF anunciar igualdade salarial entre jogadores da seleção feminina e masculina. Agora, chegou a vez, da Rainha Marta, seis vezes melhor do mundo, ganhará própria estátua ao lado do Rei Pelé, no Museu da Seleção Brasileira.

A nova ala que contará a história das mulheres no futebol ainda não foi inaugurada, porém quando isso acontecer terá uma estátua de cera da Marta ao lado de Pelé

Contudo, por anos, o Museu da Seleção Brasileira e o próprio país fizeram descaso com o futebol feminino, e é claro que uma estátua não vai apagar tudo que já passou. Mas, pelo menos, vai mostrar aos brasileiros que o futebol feminino do Brasil produziu o melhor dos últimos tempos. 

No entanto, e felizmente, algumas coisas estão mudando no futebol feminino. Hoje são, pelo menos oito mulheres no comando da seleção, sendo Pia Sundhage, Bia Vaz e Lilie Persson (técnica e auxiliares da seleção feminina principal), Duda Luizelli e Aline Pellegrino (coordenadoras de seleções e de competições femininas), Jéssica Freitas (auxiliar da sub-20), Simone Jatobá e Lindsay Camila (técnica e auxiliar da sub-17).

A princípio, a notícia saiu no perfil do Instagram das Dibradoras. A reportagem conta que a estátua será feita por mais de 50 artesãos, e a informação veio diretamente do presidente da CBF, Rogério Caboclo

View this post on Instagram

MARTA VAI VIRAR ESTÁTUA AO LADO DE PELÉ A Rainha, seis vezes melhor do mundo, ganhará uma homenagem digna do seu tamanho para o futebol. Literalmente. Uma estátua feita por uma equipe de mais de 50 artesãos que terão a missão de moldar em cera todos os traços de uma das mulheres mais incríveis que o esporte já produziu. Uma notícia boa demais para não ser compartilhada. E no papo que tivemos com Rogério Caboclo sobre futebol feminino, o presidente da CBF nos trouxe mais uma novidade importante: a @selecaofemininadefutebol terá pela 1ª vez um patrocinador exclusivo. Falamos também com o presidente sobre os erros da CBF com a modalidade e sobre a ausência de mulheres e negros nos principais cargos. E questionamos a falta de reconhecimento do passado da seleção feminina. A invisibilidade era tanta que, no chamado “Museu da Seleção Brasileira”, não havia praticamente nada delas. Felizmente, agora podemos usar esse verbo no pretérito imperfeito. Não perfeito ainda, porque não foi inaugurada a nova ala do museu que contará a história das mulheres que vestiram a camisa do Brasil, mas o evento (quando a pandemia passar) terá a presença das pioneiras. E com a estátua de Marta sendo colocada ao lado do Pelé. O rei e a rainha, os melhores de todos os tempos. As mulheres finalmente começaram a ter voz e vez no futebol. Que seja uma nova era para o futebol delas. (Fotos: Arquivo Pessoal e AFP) #futebol #futebolfeminino #selecaobrasileira #selecaofeminina #jogadoras #mulheresnofutebol #girlpower #mulheresnocomando

A post shared by Dibradoras (@dibradoras) on

Saiba mais sobre o futebol feminino:

De qualquer modo, as mulheres sofreram para conseguir espaço no futebol. Como por exemplo, o país proibiu-as de jogar o esporte e até hoje não ganharam a visibilidade que tanto merecem. Seja as jogadoras da Seleção, do Brasileirão ou da base. 

Dessa forma, e ao longo dos anos, a pauta ficou mais forte e algumas mudanças vêm acontecendo. Por exemplo, o Brasileiro Feminino agora é patrocinado, e a Seleção terá seu primeiro patrocinador exclusivo, que deve será anunciado esse mês. E desde o ano passado, a TV Bandeirantes, na rede aberta, transmite os jogos do campeonato feminino. 

Leia mais: Anitta terá música no FIFA 21 é uniforme personalizado 

Share This