Disposta a usar seu personagem mais popular, a AT&T, nova dona da Turner e, consequentemente, da Warner e DC Comics, anunciou uma série do universo do Batman, derivada do vindouro filme estrelado por Robert Pattinson e dirigido por Matt Reeves. Ainda com poucas informações oficiais sobre essa produção, nós juntamos o que se sabe até agora e falamos o que podemos esperar dessa produção do HBO Max. 

A primeira informação relevante da série ainda sem nome oficial é de que se passará no mesmo universo do filme The Batman.

Mas o que sabemos até agora sobre o novo longa do Homem-Morcego? 

Uma obra que sempre é citada pelo diretor Matt Reeves ao falar do filme, é a maxi série O Longo Dia Das Bruxas (clique aqui para adquirir), escrita por Jeph Loeb e desenhada por Tim Sale. Na trama do gibi, acompanhamos um Batman ainda nos primeiros anos de carreira enfrentando um assassino misterioso em uma investigação que se arrasta por meses, envolvendo todo o submundo de Gotham e os principais nomes da galeria de vilões do cruzado encapuzado. 

A descrição da história em quadrinho bate com o que vemos sobre The Batman até aqui. A escalação de Zoey Kravitz como Mulher-Gato, Colin Farrel como Pinguim e Paul Dano como charada indica que teremos vários antagonistas para Bruce Wayne. 

Além disso, pelo que vimos das filmagens até agora, podemos supor que existe uma influência da saga Ano zero (clique aqui para adquirir) na nova produção. Escrita por Zack Snyder e desenhada por Greg Capullo, a história acompanha os primórdios de Bruce Wayne e todo o caminho pavimentado para que ele decidisse usar o manto do morcego e proteger a cidade de Gotham. 

Assim como o Longo Dia das Bruxas, a Saga de Snyder também pontua vários vilões do Morcego, com foco voltado no homem que viria a ser o Coringa e em Edward Nigma, o Charada. 

Mas talvez seja a escalação do ator John Turturro como o mafioso Carmine Falcone que indique mais essa relação com o submundo de crime que não envolve necessariamente malucos fantasiados nas ruas de Gotham City. 

Mesmo sem um nome oficial, a série é chamada de Gotham Central pelos envolvidos com o projeto. Além de explicitamente remeter ao Departamento de Polícia de Gotham City, o nome é o mesmo da obra em quadrinhos que ficou conhecida no brasil como Gotham City Contra o Crime e, mais tarde, como Gotham GCPD. (Clique aqui para adquirir)

Criada pelos escritores Ed Bubaker e Greg Rucka em conjunto com o desenhista Michael Lark, a revista mensal acompanhava os detetives de Gotham em meio ao seu cotidiano em uma cidade infestada de corrupção e lunáticos fantasiados. 

Mas nós já fomos ludibriados antes por esta mesma premissa na série Gotham, que começou como uma visão sobre a polícia de Gotham antes da existência do vigilante mascarado da cidade e acabou se tornando uma série de vilões do batman. 

É aí que os nomes envolvidos na produção ajudam a termos uma esperança de que a série da HBO Max não seguirá o mesmo caminho. Além do próprio Matt Reeves e Dylan Clark, que produziram os filmes de Planeta dos Macacos, Gotham Central vai contar com roteiro e produção de Terrence Winter. 

Winter foi responsável por escrever 25 episódios de Os Sopranos, que lhe rendeu 3 Emmys. Além disso, é o criador da série Boardwalk Empire e roteirista de O Lobo de Wall Street, o que lhe rendeu uma indicação ao Oscar. 

Mas é claro que devemos ter algumas diferenças entre a obra original dos quadrinhos e a vindoura série. Afinal, no universo de The Batman, James Gordon ainda não se tornou Comissário, então deve integrar essa equipe de policiais. O fato de o personagem ser interpretado por Jeffrey Wright ajuda a crer que ele deve estar presente, já que possui um contrato com a HBO em WestWorld. 

Mas, segundo o próprio HBO Max ” estabelecido no mundo em que (Matt) Reeves está criando para o filme The Batman, a série deve girar em torno da investigação e anatomia da corrupção em Gotham, fundamentalmente lançando um novo universo do batman através de múltiplas plataformas. A série dá uma oportunidade sem precedentes de extender o mundo estabelecido no filme e explorar ainda mais na vastidão dos complexos personagens de Gotham”. 

O que pode significar que ainda teremos muito de Batman na série policial, nos levando ao embrião do quadrinho Gotham Central, que é a fase do Escritor Greg Rucka no título Detective Comics (Clique aqui para adquiri). Ali foi onde Rucka estabeleceu melhor a equipe de policiais que viria a ser trabalhada em GCPD, ao mesmo tempo em que nos mostrava o desenvolvimento de Batman. 

Bons exemplos não faltam para que a série do HBO Max tenha uma trama muito boa, resta esperar pra ver, mas dessa vez você pode conferir todo o material original disponível na loja da Amazon. 

Share This