Em dezembro de 2017 chegava de surpresa ao catálogo da Netflix o seriado alemão ‘Dark’. Pouco se sabia sobre a série até então, mas Dark seria responsável por marcar os próximos dois anos e meio de muitos fãs que arrancariam os cabelos tentando compreender todos os pontos de sua trama confusa e que criariam as mais insanas teorias em busca de respostas para a tão aguardada conclusão. 

Foi então que o dia do apocalipse enfim chegou. Em 27 de junho de 2020 (mesmo dia do fim do mundo de Jonas), a derradeira temporada de Dark estreava para responder a todas as perguntas e amarrar todas as pontas soltas deixadas pelos anos anteriores – ou, pelo menos, quase todas. 

Leia a nossa crítica da 3ª temporada de DARK!

Entretanto, apesar de muitas questões serem respondidas, a trajetória da terceira temporada ainda pode ser confusa para muitos, assim como não poderia deixar de ser. Afinal, estamos falando de Dark, uma série que brinca o tempo todo com conceitos relacionados à viagens espaço-temporais, indo na direção oposta de uma narrativa que se organiza de forma linear e cronológica. Sendo assim, alguns pontos-chave para que se entenda por completo o desfecho da série podem permanecer nebulosos para alguns. Esse texto, portanto, terá como objetivo esclarecer os principais acontecimentos da série para que o final possa ser entendido da melhor forma possível. 

7 teorias que você precisa conhecer sobre a 3ª temporada

10 detalhes para prestar atenção antes de assistir a 3ª temporada

Conhece tudo de DARK? Teste o seu conhecimento para a 3° temporada

A partir desse ponto você entrará em uma zona recheada de spoilers referentes às três temporadas de Dark. Aconselhamos que assista à série primeiro e depois volte aqui para compreender melhor o desfecho. Esteja avisado!

Confira o vídeo ou leia o texto abaixo:

Antes de qualquer coisa, é importante explicar como serão nomeadas as diferentes dimensões de Dark nesse texto. O mundo de Jonas (Adam), onde ocorrem os eventos da primeira temporada, será a Terra 1. Já o mundo de Martha (Eva), apresentando no novo ano da série, será a Terra 2. Por fim, a terceira dimensão, na qual Tannhaus cria a viagem no tempo, originando os dois outros universos já mencionados, será a Terra 3.

Adão e Eva

Uma das maiores perguntas deixadas pelos anos anteriores foi: “quais as reais intenções de Adam?”. Muitos acreditavam, inclusive, que o personagem poderia não ser uma versão mais velha de Jonas, como alegava, mas uma outra pessoa qualquer. Entretanto, apesar das teorias criadas pelos fãs, a última temporada da série confirmou que os dois são sim a mesma pessoa. Não contente com isso, Dark volta a nos surpreender com a revelação de que, na Terra 2, o mundo de origem da Martha de cabelos escuros que aparece no final da segunda temporada, existe uma versão mais velha da garota, conhecida como Eva, e que também manifesta interesse em controlar o ciclo temporal de acordo com a sua própria vontade. 

Dessa forma, Adam e Eva são colocados como dois pólos antagônicos ao longo da temporada. Os interesses dessas duas personagens moldam todo o enredo de Dark, mas acabam sendo um pouco confusos, uma vez que somos servidos com inúmeras meias verdades até que, enfim, suas motivações sejam reveladas. 

Sendo assim, descobrimos que Adam deseja, de fato, romper o ciclo temporal tanto da Terra 1 quanto da Terra 2. Para isso, ele precisaria destruir aquilo que acreditava ser a origem deste grande nó: o filho de sua versão mais jovem, Jonas, com a Martha da Terra 2. Adam, portanto, necessita que tudo aconteça exatamente da mesma forma como sempre aconteceu, até o momento em que ele tenha a oportunidade de matar a Martha da Terra 2, com seu filho na barriga, utilizando a energia gerada pelos apocalipses dos dois mundos (como visto no sexto episódio da nova temporada). Ele acreditava que, se alcançasse a escuridão completa com a destruição dos dois mundos, os ciclos seriam quebrados e o seu Paraíso seria, enfim, alcançado. 

Eva, por sua vez, estaria indo em uma direção completamente oposta. O motivo para tal seria o amor pelo filho gerado com Jonas. Assim como Adam, a mulher não mediu esforços para que tudo ocorresse da mesma maneira que sempre ocorreu, trabalhando para que o ciclo temporal fosse mantido. Dessa maneira, para que seu filho pudesse existir, os apocalipses deveriam acontecer nos dois mundos, tanto no seu, quanto no de Adam, e todos que morreram, deveriam permanecer mortos, e a vida seguir para aqueles que tivessem conseguido sobreviver ao fim do mundo.

O gato na caixa

Um detalhe em específico da última temporada de Dark criou um grande nó na cabeça de todos: a sobreposição de realidades. Como foi possível que Jonas se transformasse em Adam se o mesmo havia morrido na terra dois, ainda jovem, pelas mãos de Martha? 

A resposta, infelizmente, não é tão direta quanto se gostaria que fosse. Afinal, isso só é possível graças à mitologia de Dark, onde paradoxos fazem parte do dia a dia de suas personagens. Sendo assim, nos atentemos para o momento em que Jonas acaba de ver sua Martha ser assassinada (na Terra 1). Neste momento, a realidade sofre uma ramificação, pois dois acontecimentos diferentes sucedem o assassinato de Martha: o primeiro, é a chegada da Martha da Terra 2, a qual salva Jonas do apocalipse com o seu dispositivo de viagem interdimensional, levando-o para seu próprio universo. O segundo, é a intervenção de Bartosz poucos segundos antes, impedindo que a Martha da Terra 2 salvasse Jonas, deixando o garoto à mercê do apocalipse da Terra 1.

No primeiro caso, Jonas é salvo por Martha. A história deste Jonas, entretanto, acaba sendo mais curta do que o esperado, uma vez que esta realidade acaba culminando em sua morte, na sede de Eva. Já o outro ramo desta realidade é responsável pela origem de Adam. Jonas consegue sobreviver ao apocalipse da Terra 1. Esta versão seria a mesma a se tornar “O Estranho”, a versão do Jonas Adulto que dá as caras na primeira temporada da série. Esse mesmo Jonas iniciaria uma busca incessante pela origem do ciclo temporal, na intenção de destruí-lo. Assim, este viaja de volta ao passado, seguindo as instruções de Cláudia, para dar início aos acontecimentos que vimos nas duas primeiras temporadas. Isso resultaria em sua fuga para 1888, com Magnus, Franziska e Bartosz. Mais tarde, certo de que a única forma de romper o ciclo temporal seria com a escuridão absoluta, esta versão de Jonas acaba por se transformar em Adam. 

Confuso, não é mesmo? A maneira mais fácil de compreender essa loucura é abraçar o fato de que, em Dark, paradoxos são completamente possíveis e aplicáveis na realidade da qual fazem parte os seus personagens. No início do sétimo episódio, a série explica esta mecânica a partir da Teoria do Gato de Schrödinger. Da mesma forma que o gato preso na caixa poderia estar vivo e morto, ao mesmo tempo, a série sobrepõe dois ramos de uma mesma realidade, abrindo caminho para a morte de Jonas e a criação de Adam, simultaneamente. 

A origem

Muito se discutiu sobre a origem do grande nó que conectava todos os personagens em Dark. Na última temporada da série, foi revelado que Jonas e Martha da Terra 2 tiveram um filho. Este, por sua vez, seria aquele personagem com a cicatriz no lábio superior, que sempre anda acompanhado por sua versão mais jovem e também pela mais velha. O filho de Martha e Jonas viria a se relacionar com Agnes, tanto na Terra 1 quanto na Terra 2, originando a grande árvore genealógica que conecta a maioria dos personagens das duas dimensões. Sendo assim, tanto Adam quanto Eva passam a acreditar que essa criança seria a responsável pela criação do ciclo temporal, que ela seria a origem de tudo. Dessa forma, Adam e Eva passam a travar uma incessante batalha entre si pela destruição e pela vida de seu próprio filho. 

Entretanto, a criança nunca foi a origem do ciclo temporal, apenas a junção dos dois universos e também a responsável pela origem de todos os personagens conectados pelo nó familiar. Após matar a Martha da Terra 2, que carrega seu filho no ventre, Jonas percebe que falhou, e que seu universo não foi destruído junto com a criança. É nesse momento que Cláudia, em sua versão mais velha, volta dos mortos com todas as respostas que faltavam.

Ela explica para Adam que o filho de Jonas e Martha da Terra 2 nunca foi a origem. O começo de tudo estaria situado em um terceiro mundo, a Terra 3. Atormentado pela perda de sua família, H.G Tannhaus da Terra 3 daria início a uma série de experimentos com a intenção de poder voltar no tempo e trazer de volta aqueles que amava. Entretanto, as coisas não saíram como o esperado, e Tannhaus da Terra 3 acaba por criar, acidentalmente, dois outros universos: a Terra 1 e a Terra 2. 

Assim, a versão mais velha de Claudia explica para Adam que, para quebrar o ciclo temporal, era preciso impedir que Tannhaus inventasse a viagem pelo espaço-tempo no mundo de origem. Dessa maneira, a Terra 1 e a Terra 2 deixariam de existir para sempre, assim como todas as pessoas conectadas pelo nó gerado por Jonas e Martha. Os únicos que sobreviveriam, no fim, seriam aqueles que não tivessem relação nenhuma com esta árvore genealógica, sendo Regina, filha de Claudia, uma destas pessoas. 

Mas afinal, como é possível que essa versão mais velha de Cláudia tenha ido se encontrar com Jonas sendo que ela havia sido morta por Noah na temporada anterior? Segundo a própria Claudia, que buscou uma forma de salvar sua filha durante muitos anos, o tempo parou por um nanosegundo durante os apocalipses. Sendo assim, ao viajar para outro período durante essa pequena fração de tempo, seria possível sair do ciclo. Assim, sua conversa com Adam, naquele momento, nunca teria acontecido antes. Era algo novo, o que possibilitou Adam a utilizar essa pequena fração de tempo para viajar de volta ao passado, salvar sua versão mais jovem do apocalipse, e encaminhá-lo para uma nova direção: ir até a origem com a Martha da Terra 2 e impedir que Tannhaus da Terra 3 criasse os dois outros mundos.

Os remanescentes 

Ao conseguirem impedir que Tannhaus da Terra 3 perdesse seu filho e criasse, acidentalmente, outros dois universos, Martha da Terra 2 e Jonas desaparecem, assim como todas as outras pessoas que foram geradas pelo nó criado por eles nas Terras 1 e 2. 

A cena final, portanto, conta somente com os personagens que não faziam parte desta árvore genealógica iniciada por Jonas e Martha da Terra 2, como Hannah, Peter, Katharina, os irmãos Wöller e, é claro, Regina. Todos os personagens que possuíam qualquer grau de parentesco com Jonas e Martha da Terra 2, deixam de existir. 

Porém, uma das últimas falas da série pode gerar certa confusão. Hannah, que está grávida de seu novo companheiro, Torben Wöller, deixa subentendido que gostaria de dar o nome de “Jonas” para seu filho, abrindo espaço para que alguns interpretem que, de alguma forma, Jonas poderia vir a existir neste mundo. Entretanto, o mais provável é que Hannah estivesse tendo apenas algum tipo de déjà-vu, uma vez que o seu filho com Wöller seria uma pessoa completamente diferente. 

Share This