O Entregador | A lista Falciani é real? Como está Hervé Falciani atualmente?

O filme espanhol, ‘O Entregador‘, investiga o escândalo da vida real que se desenrolou em Espanha durante o início dos anos 2000, quando numerosos funcionários corruptos – de alto ou baixo nível – lucraram com a bolha imobiliária da época.

Em vez de centrar-se numa figura pública proeminente, o filme equipa a narrativa parcialmente ficcional de Iván Márquez, um indivíduo clássico da pobreza à riqueza que sobe a escada da corrupção de baixo para cima. Depois de começar no cenário da lavagem de dinheiro como mensageiro com uma taxa de comissão de 3%, as grandes ambições e soluções espirituosas de Iván lhe renderam um lugar à mesa até que todo o proverbial jantar, cheio de banqueiros gananciosos, vereadores e outros, enfrente a morte.

Dentro da narrativa do filme, a Lista Falciani, uma coleção de vazamentos que consiste em registros bancários que comprovam evasão fiscal, suborno e fraude no valor de milhões, traz a queda final de Iván e dos negócios de seu associado. Assim, devido à natureza instrumental de Falciani e da sua lista no histórico escândalo bancário, devemos questionar-nos sobre as suas origens na vida real.

A lista Faliciani: o maior vazamento bancário da história

Como ‘O Entregador’ colhe uma quantidade substancial de inspiração narrativa da vida real, o elemento narrativo que permanece significativo para o progresso da trama acaba mantendo uma base evidente na realidade. Como tal, a Lista Faliciani apresenta um elemento que é diretamente retirado da história recente de Espanha.

No filme, um dos membros de TI da equipe de Jacques Stoffel introduz a lista Faliciani na narrativa, entregando apenas sobremesas à quadrilha criminosa que está no centro da história. Revela a história bancária de indivíduos que participam na evasão fiscal através do branqueamento de capitais. Como resultado, contribui notavelmente para provocar a inevitável queda de Anne Marie, do protagonista Iván Márquez e dos seus diversos parceiros de negócios.

Uma reviravolta semelhante ocorreu na vida real, quando Hervé Falciani, especialista em TI e funcionário do banco HSBC em Genebra, ficou de posse de uma lista com informações altamente confidenciais. Listou 130 mil nomes que revelaram evasão fiscal, práticas de lavagem de dinheiro e contas offshore de organizações e indivíduos no sistema bancário suíço. Depois de fugir para a França com a mesma informação em 2008, Falciani acabou vazando a lista, levando a um dos maiores vazamentos bancários da história.

Vários países, incluindo França e Espanha, utilizaram as informações recuperadas da lista Falciani para perseguir os evasores fiscais e minimizar a corrupção financeira existente nos seus sistemas. Assim, as ações do homem contribuíram significativamente para os sentimentos anticorrupção em todas as nações. Mais tarde, quando Hervé Falciani discutiu as suas ações de 2008, destacou a natureza colaborativa por trás da lista.

“Eu não poderia ter feito o que fiz sozinho”, disse Falciani em entrevista ao El Pais. “No banco, eu era responsável por projetos estratégicos – não tinha acesso direto aos dados. A Lista Falciani era um plano coletivo: conversei com técnicos; muitos deles não eram suíços – tinham uma consciência diferente. E o que aconteceu a seguir também foi planejado. Não teria me ocorrido sozinho vir para a Espanha.”

Embora o filme faça referência apenas à Lista Falciani, a relação do elemento narrativo na tela com a realidade permanece evidente e tangível. No filme, os espectadores só vislumbram a ponta do iceberg no que diz respeito às consequências da lista. No entanto, na vida real, a Lista Falciani continua a ter efeitos em cascata até hoje, na minimização da evasão fiscal e no reforço da segurança bancária.

Como está Hervé Falciani hoje em dia?

Depois de Hervé Falciani ter divulgado a sua lista, incriminando os nomes de várias organizações e indivíduos em questões de branqueamento de capitais e evasão fiscal, as autoridades suíças tentaram extraditar e prender o homem. Como resultado, foi emitido um mandado de detenção internacional contra ele em 2009. No entanto, não se seguiram quaisquer detenções oficiais.

Eventualmente, Falciani fugiu para Espanha em 2013, onde o seu pedido de extradição foi rejeitado. A Espanha estabeleceu que os crimes suíços de Falciani não eram crimes legais dentro das suas fronteiras. Consequentemente, passou a dar palestras sobre a sua experiência e manteve um cargo quase permanente na administração fiscal de Espanha.

Crédito da imagem: BBC News/YouTube

No entanto, a Suíça condenou Falciani a cinco anos de prisão em 2015 com base em espionagem financeira e roubo de dados. Embora o homem tenha continuado a viver na Espanha sem qualquer conversa sobre extradição ou prisão durante alguns anos, 2018 trouxe-lhe um período tumultuoso quando foi submetido a uma prisão súbita em Madrid, no dia 4 de abril, com a Espanha finalmente negando suas ordens de extradição.

Atualmente, aos 52 anos, Falciani é considerado por muitos uma figura heróica ao estilo Robin Hood por seu envolvimento no vazamento bancário. No entanto, devido à sua relação controversa com a lei suíça, ele vive uma vida bastante incomum. Quando questionado sobre o seu paradeiro atualizado, disse: “[Moro] em vários países, mas quando a minha vida voltar ao normal, gostaria de regressar a Espanha. Agora eu nem tenho celular comigo.” Além disso, também trabalha com organizações como Baltasar Garzón e Agência Valenciana Antifraude.

Embora Falciani viva uma vida relativamente privada, ele recentemente voltou aos olhos do público através do filme ‘O Entregador’, onde faz uma participação especial para interpretar seu próprio personagem na tela.

Falando sobre o mesmo, disse: “Em relação a este filme em que participei, ‘El Correo’ [título espanhol de ‘O Entregador’], gosto do fato de expor esse poder de uma forma divertida à Geração Z, de que afirma que é mais atraente ser um mensageiro infiltrado, um informante, do que um mensageiro normal [pessoa que transfere dinheiro].”

LEIA TAMBÉM:

Última Notícia

Mais recentes

Publicidade

Você também pode gostar: