O Pálido Olho Azul | Quem é o assassino? Entenda o final do filme

Publicidade

Baseado no romance homônimo de Louis Bayard, o filme de mistério e assassinato da Netflix O Pálido Olho Azul gira em torno do detetive Augustus Landor, que é designado para investigar a morte do cadete da Academia Militar dos Estados Unidos Leroy Fry, cujo coração foi misteriosamente removido de seus mortos. corpo. Landor se junta a um jovem cadete e poeta chamado Edgar Allan Poe para desvendar o mistério por trás do mesmo, o que os leva a outro assassinato que acontece nas proximidades da Academia.

Estrelando Christian Bale como Landor e Harry Melling como Poe, a direção de Scott Cooper progride através das descobertas que a dupla faz que também mudam suas vidas. O cativante filme termina com uma reviravolta surpreendente e se você quiser uma visão detalhada do mesmo, você está no lugar certo!

Mas antes, o que acontece em O Pálido Olho Azul?

O filme começa com o capitão Hitchcock da Academia Militar trazendo Augustus Landor ao estabelecimento para investigar a misteriosa morte de Leroy Fry. Hitchcock e seu superintendente superior Thayer informaram a Landor que Fry foi enforcado e levado para a academia, apenas para alguém cortar seu coração. Landor não demora a descobrir que Fry foi assassinado. Ele também descobre um pedaço de papel em uma das mãos do cadete morto.

Landor se junta a um cadete chamado Edgar Allan Poe para investigar o assassinato e ambos teorizam que Fry foi chamado ao local do crime por uma pessoa anônima, possivelmente o assassino. Enquanto isso, várias ovelhas e vacas são mortas nas proximidades e os restos das mesmas são encontrados sem seus corações. A descoberta leva Landor e Poe a investigar as práticas religiosas ou ocultas que podem estar ligadas ao assassinato de Fry e à mutilação do gado.

Depois de encontrar um símbolo em meio à investigação, Landor conhece um de seus amigos, que conecta o símbolo e o roubo de corações às práticas ocultas detalhadas no ‘Discours du Diable’ de Henri le Clerc, que instrui os leitores a conduzir práticas pelo bem. de ganhar a imortalidade. Enquanto isso, Poe faz amizade com Artemus Marquis, filho do médico da Academia Daniel Marquis. Logo, Poe se reúne com a irmã de Artemus, Lea Marquis, que sofre de uma doença misteriosa que ameaça sua vida.

A partir de sua interação com outros cadetes, Poe descobre que os marqueses estão envolvidos com práticas não cristãs, das quais também informa Landor. Durante um jantar com a família Marquis, Landor encontra uma cópia rara do ‘Discours du Diable’ na biblioteca de Daniel. Ele então sobe as escadas e encontra um casaco que pertence a Artemus, que foi usado pelo indivíduo que roubou o coração de Fry.

Daniel confessa que extraiu o coração de Fry por causa de sua filha Lea, já que esta acredita que um ritual oculto envolvendo corações humanos pode conceder sua imortalidade. Enquanto isso, outro cadete chamado Randolph Ballinger é encontrado morto nas proximidades da academia, com o coração cortado de seu cadáver.

Enquanto Landor investiga o assassinato, Lea leva Poe para uma sala isolada no estabelecimento e parte para abrir seu coração como parte da prática oculta. O detetive chega ao local antes que Artemus e Lea pudessem matar Poe. Enquanto Landor salva Poe, o celeiro onde a prática é realizada pega fogo, matando Lea e Artemus. O detetive convence o capitão Hitchcock e o superintendente Thayer de que a irmã e o irmão mataram os dois cadetes.

Final de O Pálido Olho Azul: Quem é o Assassino?

O detetive Augustus Landor é o assassino de Leroy Fry e Randolph Ballinger. Após a morte de Lea e Artemus, Landor os apresenta como os assassinos. Não é preciso muito esforço para o detetive convencer Daniel de que seus filhos mataram os dois cadetes, especialmente porque eles o procuraram para remover o coração do cadáver de Fry. Ao criar uma narrativa de que dois mortos, que não podem contestar seus argumentos ou reivindicações, são os assassinos, Landor tenta encobrir os assassinatos que cometeu.

O detetive está se vingando de Fry e Ballinger por estuprar sua filha Mattie. Um pouco antes do assassinato de Fry, Landor encontrou Mattie em perigo na floresta. Com ela, ele soube que um grupo de cadetes a estuprou. Embora não conseguisse identificar os estupradores, ela trouxe para casa uma corrente que pertencia a um dos cadetes com as iniciais “LF”. A corrente levou Landor a Fry e ao subsequente assassinato do cadete. No entanto, o cadete foi inflexível em proteger seus dois amigos que se juntaram a ele para estuprar Mattie.

Quando Landor encontra um beco sem saída enquanto tenta encontrar o resto dos perpetradores, a mãe de Fry entrega o diário do cadete morto, que o leva a Ballinger. Ao perceber que Ballinger é o segundo estuprador, o detetive o mata, mas só depois de garantir que Stoddard é o terceiro cadete do grupo. Landor pode ter matado Stoddard se o cadete não percebeu que sua vida está sob ameaça após testemunhar as mortes de Fry e Ballinger para fugir da academia. Landor enforcou Fry com a esperança de enquadrar a morte como um suicídio.

O que ele não sabia era que Lea e Artemus haviam feito planos para retirar seu coração do corpo do cadete morto. Quando Daniel removeu o coração e a morte de Fry se tornou um mistério, Landor percebe que outra porta se abriu para ele se desligar dos assassinatos. Ele integrou o elemento do ocultismo nas mortes ao remover propositalmente o coração de Ballinger, além das ovelhas e vacas. As práticas ocultas que vêm acontecendo na casa de Marquis dão a ele a oportunidade de transferir as responsabilidades pelas mortes de Fry e Ballinger para Lea e Artemus.

Coincidentemente, o plano dos irmãos para matar Poe acrescenta ainda mais autenticidade às reivindicações/narrativa de Landor. O renomado detetive engana o sistema legal, mas não consegue enganar seu pupilo Poe. O poeta compara o bilhete encontrado na mão de Fry com um bilhete que o detetive guardou para ele perceber que a caligrafia em ambos os bilhetes é a mesma. Com a ajuda de Patsy, ele descobre tudo sobre como Mattie foi estuprada e posteriormente se matou. Poe então liga os pontos e percebe que Landor escreveu a carta para Fry, que o levou ao detetive e, eventualmente, à sua morte.

Augusto Landor morre?

Após a morte de Mattie, Landor vive para vingar o mesmo. Ele exige sua vingança contra Fry e Ballinger para tentar fazer as pazes com as memórias assustadoras de sua filha. No entanto, mesmo após a morte de dois dos três estupradores, Landor não encontra a calma que aparentemente desejava, o que o leva ao penhasco onde Mattie caiu para se matar. Ao liberar um pedaço de pano que pertencia a Mattie, ele pede que ela finalmente descanse, pois ele vingou a tragédia que se abateu sobre ela.

Sem nada e ninguém mais por quem viver, o detetive pode se matar ao cair do penhasco. Como um buscador da verdade, Landor resolveu vários casos importantes e supostamente insolúveis. Para tal homem, ser um assassino é algo inaceitável. Se Landor conseguisse fazer as pazes com seu eu assassino, o detetive teria matado o terceiro estuprador Stoddard em vez de proclamar que ele não tem força e vontade de cometer um terceiro assassinato.

Landor deve estar achando difícil tolerar a si mesmo e suas ações que afetaram gravemente muitos, incluindo Daniel, que terá que viver com o falso entendimento de que seus dois filhos eram assassinos. Como o filme termina com Landor parado na beira do penhasco enquanto enfrenta a floresta, assim como Mattie fez antes de cair do penhasco para se matar, ele pode seguir sua filha para se reunir com ela na vida após a morte. Landor pode achar a morte a mais fácil de abraçar do que a dor combinada de viver como um assassino com as lembranças assustadoras de sua filha.

O que Poe queima? Porque?

Após descobrir que Landor é o verdadeiro assassino, Poe confronta o detetive, que nem tenta enganar o jovem poeta novamente. Quando Poe ouve Landor confessando ter matado Fry e Ballinger, ele confronta a necessidade de entregar o detetive às autoridades ou protegê-lo escolhendo o silêncio. No que diz respeito a Poe, Landor não foi um velho aleatório que o tornou assistente.

O detetive sempre tentou protegê-lo, mesmo quando o enganou, o que torna mais difícil para Poe entregar o detetive às autoridades. Quando Poe descobre a verdade, Landor aceita a possibilidade de prisão e pena de morte. Como não tem pelo que viver, Landor deixa claro para Poe que ele deve provar que o detetive é o assassino usando o pedaço de papel e o bilhete que deixou para este último. Landor pega o bilhete e o entrega a Poe para que ele o apresente às autoridades.

No entanto, Poe queima a nota, tornando impossível para qualquer um provar que o detetive é o assassino de Fry e Ballinger. Poe pode ter percebido que não tem força emocional para levar sua figura paterna à forca, o que o faz destruir as provas cruciais. Desde que ingressou na Academia Militar, Poe só sofreu. Ele tem sido estranho entre seus colegas e não foi o soldado mais brilhante a impressionar seus professores e superiores.

Mas ao contrário de todos eles, Landor vê e reconhece o potencial e as habilidades de Poe, o que motiva o detetive a fazer do jovem poeta seu assistente. Poe pode não querer retribuir a gentileza de Landor entregando-o às autoridades. Ainda assim, ele se despede do detetive como uma punição por enganá-lo, o que pode ter contribuído para a provável decisão de Landor de se matar.

O Pálido Olho Azul está disponível na Netflix.

Leia também: Crítica | O Pálido Olho Azul – Suspense gótico que morre sem ritmo


Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e também no Google News.

Quer receber notícias direto no seu celular? Entre para o nosso grupo no WhatsApp ou no canal do Telegram.

Última Notícia

Mais recentes

Publicidade

Você também pode gostar: