As melhores séries de 2021 (até agora!) para assistir no streaming




E o ano de 2021 chegou na sua metade, hora perfeita para selecionar as melhores séries do ano até agora, todas disponíveis no streaming no Brasil. Desde aclamadas produções da HBO até surpresas no Prime Video, vem conferir nossa lista de dicas para assistir e ficar por dentro das futuras indicadas ao Emmy.

11 – Invencível

A animação adulta sobre um super-herói em construção sem dúvida choca pelo nível de violência gráfica, mas diverte e empolga. A promissora Invincible já está até mesmo renovada até a 3ª temporada

Sinopse: O adolescente Mark Grayson é um jovem como qualquer outro, exceto que seu pai é o super-herói mais poderoso do planeta, Omni-Man. Conforme Mark desenvolve seus poderes, ele descobre que o legado de seu pai pode não ser tão heroico quanto parece.

10 – DOM

De longe umas das melhores produções brasileiras, a série da Amazon Prime Video explora a vida de um dos criminosos mais formosos do país, mas proporciona também uma aventura sobre amor, família e até onde seus erros podem te levar. Dom está renovada para a 2ª temporada.

Sinopse: Um drama policial inspirado na história verídica de pai e filho em lados opostos da guerra às drogas no Rio de Janeiro. A série conta a história de um belo rapaz da classe média carioca que foi apresentado à cocaína na adolescência, colocando-o no caminho para se tornar o líder de uma gangue criminosa que dominava os tabloides cariocas no início dos anos 2000: Pedro Dom. Alternando entre ação, aventura e drama, também acompanha o pai de Pedro, Victor Dantas, que, na adolescência, faz uma descoberta no fundo do mar, denuncia às autoridades e acaba ingressando no serviço de inteligência da polícia. A série mostra a jornada de pai e filho vivendo vidas opostas, muitas vezes se espelhando e se complementando, enquanto ambos enfrentam situações que confundem os limites entre o certo e o errado.

Conheça a terrível história real por trás de DOM!

9 – Manhãs de Setembro

Carregada de representatividade, a grande produção LGBTQIA+ do ano, a série protagonizada pela cantora Liniker, desconstrói a imagem da “família tradicional”, emociona e provoca uma forte reflexão sobre respeito, empatia e amor. A produção ainda não foi renovada.

Sinopse: Conta a história de Cassandra (Liniker), uma mulher trans que trabalha como motogirl em São Paulo e que tem na música sua maior força. Ela precisou abandonar sua cidade para realizar seu sonho de se tornar cover de Vanusa, cantora brasileira que fez sucesso na década de 70.

8 – WandaVision

A Marvel Studios chegou chegando no streaming e a primeira minissérie do Disney+, WandaVision, faz retornar aquela gostosa euforia dos filmes do estúdio. Apesar de produções como Falcão e o Soldado Invernal e Loki terem sido lançadas também no primeiro semestre do ano, é a série protagonizada por Elizabeth Olsen e Paul Bettany que mostra o poder e a magia que a Marvel inegavelmente possui.

Sinopse: Vivendo vidas suburbanas perfeitas, Wanda e Visão começam a suspeitar que nem tudo é o que parece.

7 – The Handmaid’s Tale (4ª temporada)
A 4ª temporada de The Handmaid’s Tale conseguiu fazer o mais difícil em uma série de longa data: resgatar sua essência e dar fôlego para mais história. Além disso, Elisabeth Moss se supera, tanto na direção de alguns episódios quanto na atuação. Um ótimo retorno que ruma para o desfecho em breve. A série já está renovada para a 5ª temporada.
Sinopse: June (Elisabeth Moss) está de volta em sua luta contra Gilead como uma feroz líder rebelde. Mas os riscos que ela assumiu trazem novos, inesperados e perigosos desafios.

6 – Hacks

De longe a melhor comédia dramática do ano até o momento, a série é estrelada pela excelente Jean Smart e se mostra uma das melhores produção da HBO Max pelo tom hilário e comovente da trama.

Sinopse: Enfrentando a decadência e a falta de humor, a protagonista se vê compelida a contratar uma jovem estrela da internet para lhe escrever novas piadas, mas as duas se odeiam à primeira vista. Entretanto, o desprezo de uma pela outra logo acaba se revelando o ingrediente ideal para uma boa parceria.

5 – It’s A Sin

A minissérie LGBTQIA+ sobre o avanço da AIDS é uma belíssima joia britânica que está disponível na HBO Max e que conquista pelo carinho e honestidade de como lida com o tema denso e com os diversos personagens carismáticos.

Sinopse: A série explora a vida de Ritchie, Roscoe e Colin enquanto iniciam uma nova vida em Londres, no início dos anos 80. Estes jovens homossexuais e a sua melhor amiga Jill (West), encontram-se e partilham aventuras.

4 – Sweet Tooth

A fantasia produzida por Robert Downey Jr. é a única série da Netflix que merece destaque nesse primeiro semestre. Ótimo elenco, história encantadora e narrativa que fisga do começo ao fim. Merece uma 2ª temporada pra ontem.

Sinopse: Sem saberem se os híbridos são uma causa ou um resultado do vírus, muitos humanos temem-nos e caçam-nos. Após uma década a viver em segurança na sua recôndita casa na floresta, um rapaz-veado chamado Gus (Christian Convery) forma uma amizade inexplicável com um nómada solitário chamado Jepperd (Nonso Anozie).

3 – Them

O terror com questões raciais navega na vibe de Corra! e Nós e, apesar de chocar com o nível cruel de violência, merece atenção por conta sua produção cinematográfica, elenco impecável e calafrios que vão tirar o seu sono. A série do Amazon Prime Video ganhará uma 2ª temporada, mas será antológica.

Sinopse: Uma família negra se muda da Carolina do Norte para um bairro totalmente branco de Los Angeles em 1953, onde sua casa dos sonhos se torna o marco zero para forças malévolas.

2 – The Underground Railroad

Com produção do aclamado cineasta Barry Jenkins (Moonlight), a minissérie do Amazon Prime Video impressiona pelo nível de qualidade técnica, pela atuação espetacular do elenco e pela trama densa, triste e bastante reflexiva. Sem dúvida, uma das maiores obras primas desse ano e que deve marcar forte presença no Emmy.

Sinopse: Cora (Thuso Mbedu) é escrava e enfrenta desde cedo as dificuldades da vida. Ela trabalha em uma plantação de algodão no estado americano da Geórgia, onde não parece se enturmar com os outros escravizados. Mas tudo começa a mudar quando ela conhece Caesar (Aaron Pierre), um recém-chegado na região e que possui informações sobre uma ferrovia subterrânea que pode servir como uma rota clandestina de fuga. Ao longo de sua jornada, Cora se vê perseguida por Ridgeway (Joel Edgerton), um caçador de recompensas obcecado em levá-la de volta à fazenda da qual escapou – especialmente porque a mãe dela, Mabel (Sheila Atim), é a única que ele nunca conseguiu capturar. Enquanto viaja pelo país, Cora precisa lidar com o legado de sua mãe, que a abandonou, e com sua própria luta para alcançar a liberdade.

1 – Mare of Easttown

Não tem para ninguém! A produção original da HBO, que está disponível na HBO Max, é a melhor série do ano. Ou minissérie, já que ainda não foi renovada para uma 2ª temporada. Kate Winslet mostra a força da atuação que possui e a história, repleta de mistério e reviravoltas, prende nossa atenção do começo ao fim. Impecável!

Sinopse: Uma detetive de uma pequena cidade investiga um assassinato local enquanto sua vida desmorona.




Últimas Notícias