A nova série da Netflix, Sombra e Ossos estreou recentemente e está fazendo sucesso. Baseada em uma trilogia da autora Leigh Bardugo chamou a atenção de muitos leitores que não conheciam. 

Ao todo são sete livros que fazem parte do Grishaverso, mas para o desenvolvimento da série, a Netflix não seguiu uma ordem cronológica. Diferente da série, os livros são divididos em uma trilogia, uma duologia dos Crows e uma próxima duologia que não chegou no Brasil ainda. Ou seja, o arco dos protagonistas (Alina e Darkling) não faz parte dos mesmo livros que contam a história de Kaz Brekker, Inej e Jesper. 

Contudo, se você gostaria de ler e conhecer mais a fundo este universo, saiba a ordem para ler. 

A trilogia: 
IMG_2195.jpeg

O primeiro passo é começar pela trilogia: Sombra e Ossos; Sol e Tormenta; e Ruína e Ascensão. Nesses livros, o leitor irá conhecer o arco dos protagonistas da série, e vale ressaltar que nenhum dos personagens de Kerch estão presentes aqui. 

Duologia: 
IMG_2196.jpeg

Nesta duologia, os leitores passam a conhecer as histórias dos moradores de Kerch, do clube do corvo, um spin-off. No entanto, tudo que vemos na série sobre os três amigos não existem nos livros. Já que sua aparição começa após todo arco de Alina, ou seja, a Netflix baseou-se no primeiro livro da Duologia para nos apresentarmos esses personagens, mas criou uma história nova. Clique aqui para adquirir os livros Six of Crows: Sangue e Mentiras e Crooked Kingdom: Vingança e Redenção.

Nova duologia:
IMG_2197.jpeg

Os livros King of Scars e Rule or Wolves são mais um spin-off do Grishaverso. Contudo, esses ainda não chegaram no Brasil. 

Por fim, Jessie Mei Li e Ben Barnes fazem parte do elenco da adaptação da Netflix de Sombra e Ossos. Dos mesmos criadores de Stranger Things, a série é voltada para o público jovem adulto, e os oito episódios da 1ª temporada estão disponíveis na plataforma

Leia mais: Sombra e Ossos | Conheça o elenco da nova série de sucesso da Netflix 

Estreias de agosto da Disney+ Melhores Filmes da Netflix em 2021 Melhores séries Rua do Medo: 1666 – PARTE 3 – Final #Crítica Atypical