Tanto se fala sobre distanciamento social, mas como fica as relações amorosas nessa época em que precisamos estar isolados, distantes e em casa até que a atual situação do mundo possa passar? É em torno dessa premissa que a trama de ‘Carenterners’, nova série nacional da Warner Channel, com produção executiva da dupla Aline Diniz e Erico Borgo, sócios da Huuro Entretenimento, se constrói. Ainda que a ideia seja algo que está sendo explorado à exaustão em diversas outras obras que estão aproveitando o hype do momento, há uma pegada cômica e moderna muito interessante nesta, algo que a diferencia exatamente por ter uma trama recente, já que sua história está acontecendo quase ao mesmo tempo em que os episódios são exibidos na TV. Memes e situações do Brasil atual, que recém surgiram na internet, já fazem parte do texto dos episódios e isso mostra como a produção está correndo contra o tempo para se manter o mais próxima possível do público, em especial, dos jovens adultos, que estão “presos” em casa de quarentena.

Confira também nossa entrevista com o elenco e a produção de Carenteners!

Com base nos dois primeiros capítulos, a proposta é dividir a dinâmica entre os dois protagonistas, no modelo “Eduardo e Mônica”, Cecilia e Marcos, vividos pela dupla Ana Tardivo e Mateus Sousa que, além de espontâneos e divertidos no papel de um casal moderno que recém se apaixona antes do mundo decretar pandemia, também precisam enfrentar o desafio de ser seus próprios diretores, já que a produção está sendo gravada 100% de forma remota, respeitando as normas da OMS para realizações audiovisuais. Essa intimidade acaba, acidentalmente, ajudando o elenco a mergulhar nos personagens com mais coração, algo que talvez não fosse tão natural se a produção estivesse sendo feita da forma convencional. Mesmo quem não está inserido no quesito relacionamento, todos estamos vivenciando as mesmas novidades e dificuldades da quarentena e isso fica visualmente expresso na performance do elenco.

Outro diferencial ótimo da série está na narrativa enérgica e no desenvolvimento da história, feita completamente através das redes sociais no modelo “screen life”, famoso em filmes de terror como ‘Amizade Desfeita’ e ‘Buscando…’. Essa interação multitela é sempre muito divertida de assistir e acompanhar como uma trama pode ser contada do ponto de vista da internet. Ainda mais quando o foco é o humor, além de extremamente moderno, esse modelo funciona ainda melhor na comédia do que no terror e a série prova isso, já que o uso da tecnologia em si já gera situações desconfortáveis, como deixar uma webcam ligada sem perceber quando vai ao banheiro, por exemplo, ou seja, ainda que visualmente tenha um trabalho enorme de pós-produção, quase como uma animação em stop-motion, a estética realmente dá a essa história o ponta pé que faltava para distingui-la das demais.

No entanto, os episódios são curtos (mais ou menos 5 minutos cada um), por conta dessa duração, a história precisa ser dinâmica e direta, porém, acaba ultrapassando alguns limites e se torna corrida demais. Mesmo que o objetivo seja mostrar a emergência do momento, a pressa acaba fazendo alguns detalhes interessantes ficarem em segundo plano, como o próprio começo da relação do casal, que é apresentado em poucos minutos antes da trama partir para as situações cômicas geradas pela pandemia. São diversas telas e muitas coisas sendo desenvolvidas ao mesmo tempo, algo que pode dar um cansaço no público e, com isso, passar batido piadas e detalhes que serviriam para que possamos nos identificar ainda mais com os personagens. Talvez, momentos de pausa poderiam também funcionar para aprofundar o drama. Por outro lado, a narrativa é tão boa no quesito humor, especialmente por fazer referências à filmes e séries, que dá vontade de ver bem mais que apenas cinco minutos.

Com isso, ‘Carenteners’ é um projeto promissor, com uma estética divertida e extremamente atual, por centralizar sua história no exato momento de dúvidas e descobertas que estamos vivendo esse ano. Uma comédia romântica jovem, revigorante e com o gostinho delicioso de ser um produto brasileiro feito com qualidade de produções estrangeiras. O humor ágil lembra a energia de ‘Fleabag’, principalmente por ser uma obra que tem como base um casal contemporâneo e dilemas concretos. De um modo geral, o único grande defeito aparente no começo é que o entretenimento e a vontade de assistir é maior do que a duração dos episódios.

Vale lembrar que ‘Carenteners’ conta com 10 episódios e vai ao ar às terças e quintas, às 21h40, logo após ‘The Big Bang Theory’, a partir de 30 de junho na tela da Warner Channel. Todos os episódios também serão disponibilizados no canal do YouTube da Warner Channel nas quartas-feiras.

Share This