A Justiça de Santa Catarina uma liminar proibindo a continuidade da exibição de alguns dos episódios do reality show da Amazon Prime Video, “Soltos em Floripa”. A juíza Ana Luisa Schimdt Ramos alega que o reality viola o direito à intimidade dos participantes.

Algumas figurantes do programa já tinha denunciado no Twitter que tinham assinado o contrato de cessão de imagens bêbadas e se sentiram lesadas com o que foi ao ar. Uma delas, a influenciadora digital Ana
Paula, admitiu que cogitava entrar com uma ação judicial contra os produtores do reality show.

Até agora, duas mulheres entraram com ações distintas pedindo para serem
excluídas dos episódios de Soltos em Floripa. Nos autos dos processos, elas
admitem ter firmado contrato para aparecer como figurantes no programa, mas alegam que as cenas eróticas, apesar de previamente consentidas, passaram dos limites do que havia sido acordado.

“Pois bem, se não dá para dizer que a autora autorizou – ou não -, em algum
momento, o uso de suas imagens, uma coisa é certa. Ela agora não quer mais
ver sua intimidade e sua vida privada exposta ao público. Vale dizer: se é que
um dia houve contrato entre elas e as rés, ela agora expressamente revogou
unilateralmente esse contrato e quer ver cessadas imediatamente as condições eventualmente ajustadas”
, afirmou a juíza do caso, no despacho em que proibiu a continuidade da veiculação do programa.

Por fim, Ana Luisa determinou que os episódios — a juíza não especifica quais — de Soltos em Floripa com a aparição das autoras da ação sejam
imediatamente tirados do ar, assim como eventuais materiais publicitários em que elas aparecessem. Caso a decisão não seja acatada, foi determinada multa de R$ 500 por cada dia de desobediência.

A magistrada deu ainda cinco dias, contados a partir da citação das partes,
para que a Amazon e a produtora Floresta apresentem em juízo todos os vídeos, contratos e fotos que estejam sob domínio das produtoras e que envolvam as duas figurantes do reality show.

Fonte: UOL

Share This