Após a merecida vitória do aclamado ‘Parasita’ no Oscar 2020, se torando o primeiro filme estrangeiro em 92 anos de cerimônia a ganhar como Melhor Filme, o criativo, curioso e violento cinema sul-coreano voltou a ser destaque dos holofotes do mundo.

Pensando nisso, separamos aqui na redação do Pipocas 6 excelentes filmes para você que deseja conhecer mais do cinema coreano e para mergulhar na fantástica carreira de Bong Joon-ho, diretor que também levou Oscar para casa após comandar ‘Parasita’ com muita eficiência e talento.

Assista ao vídeo ou leia o texto abaixo:

Oldboy:

Uma das temáticas mais exploradas no cinema asiático, como um todo, é a violência e ‘Oldboy’, lançado em 2003 e dirigido por Park Chan-wook, talvez seja o mais violento dessa lista e isso não é um demérito. O drama com suspense segue a jornada por vingança de um homem que foi sequestrado e mantido em cativeiro por 15 anos.

As cenas de ação e luta são um espetáculo à parte, que colocou o filme nos holofotes do mundo, rendendo até mesmo uma indicação ao Critics’ Choice Awards como Melhor Filme Estrangeiro e um remake hollywoodiano lançado em 2013. É brutal, intrigante é um dos filmes coreanos mais aclamados de todos os tempos.

O Hospedeiro:

Ainda no começo da carreira, o diretor ganhador do Oscar por ‘Parasita’, Bong Joon-ho, realizou um filme de monstro muito interessante chamado ‘O Hospedeiro’, em 2006. Na época, o longa de suspense foi considerado como um dos melhores filmes do gênero, que influenciou outras obras, como o americano ‘Cloverfield’, por exemplo. Na trama, após o surgimento de uma criatura gigante nas margens do rio Han, na Coreia do Sul, uma menina desparece a família precisa enfrentar o monstro de frente para recuperá-la.

Na época do lançamento, o filme foi um dos grandes destaques do Blue Dragon Film Awards, uma espécie de Oscar da indústria sul-coreana e até hoje é um dos filmes mais comentados da carreira do diretor.

Eu vi o Diabo:

Outra obra cuja violência é seu forte, ‘Eu Vi o Diabo’, lançado em 2010, tem direção de Jee-Woon Kim e segue a jornada sinistra de um noivo que busca vingança após o amor de sua vida ter sido assassinado a sangue frio por um psicopata que mata por prazer.

Além de ser proibido para menores de 18 anos na maioria dos países onde foi exibido, o filme precisou ser reeditado em seu próprio país, para ser autorizado nos cinemas comerciais comuns. Na versão original, recebeu a menção “restrito”, a mesma dada aos filmes pornográficos. Aclamado pela crítica internacional, também foi destaque do Blue Dragon Film Awards.

A Criada:

Com direção de Park Chan-wook (de Oldboy), o longa, lançado em 2016, completa a chamada “trilogia da vingança” dentro da filmografia do diretor e, assim como seus outros filmes, segue por um caminho interessante entre a violência gráfica e o drama emocional. A trama acontece na Coréia, em 1930, e segue a vida da jovem Sookee (Kim Tae-ri), contratada para trabalhar para uma herdeira que leva uma vida isolada ao lado do tio autoritário. Só que Sookee guarda um segredo: ela e um vigarista planejam desposar a herdeira, roubar sua fortuna e prendê-la em um sanatório.

A espera por seu lançamento foi tamanha, que o longa foi pré-vendido para 116 territórios antes mesmo da estreia nos cinemas coreanos.

Invasão Zumbi:

Sem dúvida, um dos melhores filmes de zumbis da década e sucesso de público na Netflix, ‘Invasão Zumbi’ tem direção de Yeon Sang-ho e acompanha a fuga desenfreada de trem de um pai e sua filha para a cidade de Busan, após um vírus mortal transformar as pessoas em mortos-vivos e se espalhar de forma devastadora pela Coreia do Sul.

O drama é instigante, criativo e aclamado pela crítica internacional. Vale lembrar que uma sequência também já foi anunciada para esse ano.

Okja:

Uma das obras mais importantes da carreira de Bong Joon-ho antes de ser aclamado por ‘Parasita’ é o drama ‘Okja’, da Netflix, lançado em 2017 e estrelado por Tilda Swinton, Paul Dano, Ahn Seo-hyun e Jake Gyllenhaal. Apesar de ter um grande elenco americano, o longa acompanha a vida de uma jovem coreana que mora com seu avô em uma isolada casa no interior e tem sua vida mudada quando uma poderosa multinacional sequestre sua melhor amiga, uma porca gigante, geneticamente modificada, chamada Okja.

O roteiro é poderoso e aborda questões como o consumo desenfreado de carne animal no mundo e os maus tratos contra os animais. Além disso, competiu pelo Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes de 2017 e detém uma classificação de aprovação de 86% no site Rotten Tomatoes. É realmente sensacional e uma experiência inesquecível.

Share This