Por que todos episódios de Ripley, da Netflix, são em preto e branco? Entenda

Publicidadespot_img

Ripley’ da Netflix segue as desventuras do personagem titular enquanto ele se encontra à beira de ter a vida luxuosa que sempre desejou. Andrew Scott estrela como Tom Ripley, que é enviado à Itália para convencer Dickie Greenleaf a voltar para casa. No entanto, as coisas não acontecem da maneira que alguém esperava e, no final, torna-se uma confusão da qual parece impossível sair. A série de oito episódios funciona espetacularmente em muitos níveis, e uma das coisas intrigantes sobre ela é a escolha da cor ou a falta dela. O que a escolha do monocromático significa para a história?

A paleta preto e branco dá o tom de Ripley

Se pensarmos em uma história ambientada na Itália, começando por uma pitoresca cidade costeira até os luxuosos hotéis e museus de Roma, uma visão pitoresca do lugar se formará em nossa mente. Você esperaria que fosse algo saído de um cartão postal, com as praias ensolaradas e as estradas de paralelepípedos da cidade com cafés fofos. É uma versão colorida, ganha vida pelas cores que irrompem na imagem. Para fugir dessa imagem, o diretor e roteirista Steven Zaillian decidiu fazer ‘Ripley’ em preto e branco.

A ideia de contar uma versão em preto e branco da história de Tom Ripley surgiu a Zaillian a partir da capa do livro ‘O Talentoso Ripley’, de Patricia Highsmith. Ele revelou que a edição que tinha tinha “uma evocativa fotografia em preto e branco na capa”, que ficou em sua mente, principalmente quando começou a transformar o livro em roteiro. Ao adaptar o livro, do qual é fã há muito tempo, ele quis ser o mais fiel possível ao material original. O formato longo da televisão deu-lhe essa liberdade, e ele a usou para criar a série de uma maneira que o autor teria aprovado.

Uma das principais coisas que Zaillian queria era dar ao público a mesma sensação que teria ao ler o romance de Highsmith. Para ele, ler ‘O Talentoso Ripley‘ era como assistir a uma história noir. Chamando-o de “a versão novelística do filme noir”, o diretor revelou que a ideia de usar cores na série parecia irreal no contexto da história. As cores apresentariam uma imagem ensolarada de uma história perturbadora, dando-lhe uma leveza que Zaillian não queria que tivesse. Ele queria que fosse corajoso e sangrento, e a estética em preto e branco complementa isso muito bem.

Outra coisa que a paleta preto e branco consegue é dar ao show uma aparência distinta dos anos 60. O espetáculo se passa no início dos anos 60 e, sem o uso de cores, a história parece mais datada e estabelece para o público que está vendo a história de uma época diferente. Também dá um visual diferenciado ao show, deixando-o mais bonito mesmo com as cores esgotadas. Dessa forma, ressoa melhor com o personagem de Ripley, acrescentando mais profundidade à história.

LEIA TAMBÉM:


Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e também no Google News

Quer receber notícias direto no seu celular? Entre para o nosso grupo no WhatsApp ou no canal do Telegram.

Última Notícia

Mais recentes

Publicidade

Você também pode gostar: