Cena do Crime | Quem foi Alexander M? Quem o matou?

Publicidade

2012 foi um ano de horror em Berlim, pois a cidade viu uma série de assassinatos semelhantes chegando às manchetes. Embora os investigadores tenham garantido que não deixaram pedra sobre pedra, eles pareciam estar um passo atrás do assassino. Todo o caso é abordado em ‘Cena do Crime: Assassinatos na Alemanha’ da Netflix, que fornece aos espectadores todos os detalhes intrincados. Além do perpetrador, o documentário criminal também se concentra na vida das vítimas, uma das quais foi Alexander M.

Alexander M. foi encontrado morto em seu apartamento por sua mãe

Nascido no final da década de 1970, Alexander M. foi particularmente próximo de sua avó Regina Luck enquanto crescia. Sendo uma presença alegre e prestativa na vida dos outros, Alexandre foi descrito como uma boa pessoa por seus conhecidos, desde sua família até seus amigos. Adorava ficar na companhia de seus amigos e companheiros, fazendo-os rir com seu senso de humor seco. Para comemorar seus aniversários, ele e seus amigos costumavam ir ao Mar Báltico.

Um dia, em abril de 2012, Alexander não compareceu ao trabalho sem aviso prévio, o que era improvável da parte dele. Então, quando seu colega de trabalho informou o mesmo à mãe, ela mesma tentou contatá-lo. Mas quando nem ela conseguiu entrar em contato com o homem de 34 anos, ela decidiu ir até o apartamento dele e verificar se ele estava em casa ou não. Para sua consternação, ela encontrou o filho deitado de bruços na cama de seu apartamento na Holzmarktstrasse, em Friedrichshain, inconsciente e sem vida.

Quando a polícia foi chamada, eles correram para o local do crime e começaram a procurar qualquer tipo de evidência. As autoridades notaram que a porta do apartamento estava destrancada e seus pertences pessoais, como mochila, celular e carteira, estavam faltando, ambos altamente suspeitos, pois Alexander não era o tipo de pessoa que deixava a porta destrancada. Embora sua família considerasse esses detalhes suspeitos, os investigadores não prestaram muita atenção a essas alegações, pois acreditavam firmemente que Alexander morreu enquanto fazia experiências com drogas.

No entanto, algumas semanas depois, quando foi realizada a autópsia, descobriu-se que ele havia morrido de overdose de ecstasy líquido ou ácido gama-hidroxibutírico (GHB). Usado como analgésico e para tratar a narcolepsia, o GHB é bastante popular como droga recreativa desde a década de 1990. Embora proporcione um efeito estimulante em doses controladas, uma dosagem elevada pode ter alguns efeitos consequentes na saúde, incluindo insuficiência respiratória.

Alexander M. foi morto por um amigo online

À medida que a investigação da morte de Alexander M. avançava, os detetives verificaram seu telefone para descobrir com quem ele havia interagido ao telefone. Era um cara chamado Dirk P. Ao aprofundar, a polícia descobriu que poucos dias antes de sua morte prematura, ele havia se conectado com Dirk em um site de namoro online. Eles trocaram várias mensagens e decidiram se encontrar na casa de Alexander em algum momento da última semana de abril de 2012. Dirk o visitou no apartamento do terceiro andar, onde os dois pretendiam se conhecer conversando e bebendo.

Encontrando a oportunidade certa, Dirk misturou uma alta dose de ecstasy líquido à bebida de Alexander quando este saiu da sala por um tempo. Quando o efeito da droga fez efeito, Alexander começou a se sentir desorientado e foi direto para a cama, segundo Dirk. Em seguida, ele roubou seus pertences pessoais, inclusive sua jaqueta, e fugiu do local. Quando a avó de Alexander lembrou que ele lhe contou sobre um novo amigo seu de Saarbrücken, que foi notícia porque um assassino havia comprado as passagens para aquele lugar. Ela informou a polícia e logo Dirk foi levado para interrogatório.

A polícia entrevistou Dirk sete vezes no total e, em cada vez, ele conseguiu inventar histórias diferentes, revelando apenas o que a polícia já havia provado. No entanto, ele confessou os crimes e admitiu ter assassinado Alexander M. e alguns outros homens em Berlim, sem lhes contar a razão exata pela qual cometeu os atos. Naturalmente, ele foi preso pelas acusações de homicídio contra ele e recebeu pena de prisão perpétua por triplo homicídio. Mas ele não cumpriu totalmente a pena, pois apenas nove meses após o veredicto, ele morreu por suicídio enquanto estava na prisão.

Leia também: Cena do Crime | Quem era Peter? Como ele morreu?


Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e também no Google News

Quer receber notícias direto no seu celular? Entre para o nosso grupo no WhatsApp ou no canal do Telegram.

Última Notícia

Mais recentes

Publicidade

Você também pode gostar: