Dias Perfeitos | Por que ele chora? Entenda o desfecho do filme indicado ao Oscar

Publicidadespot_img

O filme japonês, Dias Perfeitos, dirigido pelo cineasta alemão Wim Wenders, traça uma história comovente sobre a vida comum de um homem e suas extraordinárias e silenciosas revelações. Seguindo Hirayama, um zelador que limpa banheiros públicos, a narrativa gira em torno da vida rotineira do homem, com cada dia se desenrolando em padrões semelhantes. 

No entanto, à medida que o homem se desloca de um parque público para outro, os dias – pacíficos na sua monotonia – também trazem algo distinto à vida de Hirayama. À medida que algumas mudanças ocorrem em seu caminho, mais significativamente na forma de sua sobrinha fugitiva, a chegada de Niko – parte de seu passado vem à tona, informando seu futuro que está por vir.

A história de Hirayama mantém um ritmo pitoresco e fluido enquanto o homem segue os movimentos de sua vida cotidiana estruturada. Consequentemente, a tensão aumenta gradualmente e de forma mais sutil, permitindo aos espectadores uma visão mais autêntica das flutuações da vida. Portanto, à medida que sua história chega ao fim, os espectadores podem ficar com algumas questões sobre a qualidade de vida de Hirayama e o que isso diz sobre o homem. 

A trama de Dias Perfeitos

Todas as manhãs, Hirayama acorda ao amanhecer ao som de uma mulher varrendo a estrada em frente ao seu pequeno apartamento. Seus rituais matinais incluem arrumar a cama, cuidar de seu pequeno exército de vasos de plantas e comprar um café na máquina de venda automática do lado de fora antes de embarcar em sua van para cumprir suas tarefas de zeladoria. 

Como um relógio, ele faz suas rondas em diferentes banheiros públicos do Tokyo Toilet Project, situados em diferentes parques. Eventualmente, ele se junta a seu júnior, Takashi, que está muito mais interessado em impressionar Aya do que em seu trabalho.

Embora Hirayama desempenhe uma tarefa vital ao garantir que esses bens públicos essenciais permaneçam em condições imaculadas, continua a ser um trabalho ingrato. No entanto, ele não se incomoda com o mesmo, gosta de trabalhar sob o sol da manhã, aproveitando o almoço à sombra de uma árvore do parque. 

Ao mesmo tempo, o homem mais velho também tira fotografias antigas de Komorebi – os raios solares que se filtram através das folhas das árvores. Após o término do trabalho, no início da tarde, o homem vai a um balneário, onde pode assistir a algumas partidas de sumô.

Da mesma forma, Hirayama também assiste beisebol quando sai para comer em um restaurante local. Porém, à parte da mesma, o homem permanece desligado da tecnologia moderna, satisfeito com seu estilo de vida analógico. Antes de dormir, ele lê um livro sob o abajur de cabeceira até que a noite o leva a sonhos de memórias confusas em preto e branco.

A única ocasião em que os dias de Hirayama fogem da rotina estabelecida é no fim de semana, quando, em vez de seu trabalho regular, o homem faz o trabalho doméstico, visita a livraria local em busca de sua próxima leitura e visita um barzinho barato. . Além disso, ele revela suas fotos e as classifica em caixas de lata, tendo reunido quase um armário cheio de lembranças.

Mesmo assim, Hirayama não se opõe às mudanças ocasionais que surgem em seu caminho, como o beco sem saída da vida amorosa de Takashi ou um jogo da velha que um estranho sem rosto joga com ele ao longo de alguns dias. Mesmo assim, a chegada repentina de sua sobrinha, Niko, em sua casa, continua sendo a maior mudança em sua vida. 

Niko surpreendentemente se encaixa em sua vida, acompanhando-o em seu trabalho e demonstrando um interesse semelhante pela fotografia da natureza. No entanto, sua presença também traz questões sobre a saída de Hirayama de sua família e estilo de vida passado em favor de seguir a carreira de zelador com uma vida sem aventuras.

Hirayama e o ex-marido do barman

Acontece que Niko continua sendo apenas uma presença temporária na vida de Hirayama. A jovem fugiu de casa para visitar o tio, que havia cortado todo contato com a família. Pela mesma razão, ela queria buscar respostas sobre ele e suas complicações com a mãe e o resto da família. No entanto, Hirayama não pode fornecer tais respostas a ela. Em vez disso, ele só pode mostrar o quão satisfeito se sente na nova vida que construiu para si mesmo.

A casa de Hirayama não é grande o suficiente para oferecer espaço confortável para duas pessoas – fazendo com que o homem arrume sua cama dentro de um armário. Seu trabalho, limpar banheiros, não lhe rende nenhum reconhecimento do público, que se beneficia de seus serviços. E, por último, sua vida permanece cíclica, repleta dos mesmos passeios matinais com fitas cassete de rock, intervalos para almoço e leituras à meia-noite. Ainda assim, Hirayama encontrou a felicidade neste ciclo.

Depois que a mãe de Niko e a irmã de Hirayama chegam à sua porta para levar a filha de volta, a mulher percebe o mesmo, para sua surpresa. O breve reencontro dos irmãos permanece civilizado, com a lembrança de sua irmã de seus chocolates favoritos sugerindo que ela nunca se esqueceu dele. Mesmo assim, Hirayama recusa o convite para visitar o pai enquanto ele está deitado em seu leito de morte, sugerindo uma história tensa por trás disso.

Da mesma forma, a sequência a seguir, em que Hirayama encontra o ex-marido do barman local, sugere sutilmente um horror semelhante do passado de Hirayama. No fim de semana após o retorno de Niko, depois de alguns dias difíceis de trabalho, Hirayama faz uma visita ao bar local para se consolar. Porém, durante o mesmo, ele acidentalmente presencia um momento de ternura entre o barman e um homem, que se abraçam de verdade.

Depois, o homem procura Hirayama quando este chega à margem do rio à noite para beber algumas latas de cerveja na solidão. Durante o encontro inesperado, o estranho revela que é o ex-marido do barman. Embora os dois tivessem um divórcio amigável, como o homem já havia se casado novamente, ele ainda queria visitá-la depois de saber do diagnóstico de câncer.

Enquanto o estranho encara a morte inevitável sem outra escolha a não ser recorrer ao seu destino, Hirayama é capaz de proporcionar alguns momentos de capricho ao homem, encorajando-o a se envolver em um jogo de sombra com ele. O momento mostra um surpreendente senso de honestidade no personagem de Hirayama. Apesar dos horrores que a vida lançou sobre o outro homem, Hirayama encontra uma maneira de proporcionar-lhe um momento de descanso.

Como tal, não podemos deixar de nos perguntar se Hirayama aprendeu esta lição – de encontrar a felicidade quando confrontado com um beco sem saída – a partir de uma experiência pessoal. Devido à visita de Niko, sabemos que a família de Hirayama está financeiramente bem. Pela mesma razão, surge a questão de por que exatamente Hirayama vive uma vida de solidão como zelador, acompanhando as moedas nos pratos.

Ainda assim, a satisfação de Hirayama com sua vida atual permanece evidente. Ele pode ficar triste ao ver sua irmã partir novamente, com Niko a reboque, mas está feliz por passar seus dias como zelador, livre para viver de acordo com as regras da vida e mergulhar na beleza tranquila da existência. 

Mesmo que não saibamos o que o levou a trocar um SUV pela van de um zelador – seja uma doença, complicações familiares ou algo mais sombrio – o fato é que ele superou seu passado e vive uma vida contente agora. Assim, uma vez confrontado com um homem que vive com tempo emprestado, Hirayama sabe como incutir nele um momento de esperança – através das sombras na calçada à beira do rio que lembra Komorebi no chão de um parque.

Hirayama está feliz? Por que ele riu e chorou no final?

Colocar em perspectiva a interação de Hirayama com sua família e o estranho com diagnóstico de câncer lança uma luz diferente sobre a vida do homem. Ele pode viver uma vida de tédio, mas seu passado indescritível sugere experiências tumultuadas e possivelmente traumáticas que vieram antes desta vida tranquila para Hirayama. Como tal, tudo – desde seu hobby de fotografia até sua extensa coleção de rock – contém um pedaço de sua vida passada.

Portanto, à medida que o filme chega ao fim, com a narrativa optando por parar de documentar a vida de Hirayama no caminho para o trabalho, ele mostra como seus dias evoluíram. Seja qual for o seu passado, ele está vivendo uma vida mais feliz, livre para se entregar à monotonia – ou estabilidade, em outras palavras. No entanto, ele não apagou seu passado. As experiências pelas quais passou antes de escolher uma vida melhor para si ainda o prendem. Assim, ele criou uma realidade agridoce para si mesmo.

Em última análise, a cena final está aberta à interpretação dos espectadores, permitindo que outros projetem as suas experiências na história de Hirayama. Ainda assim, a mensagem subjacente da nuance justaposta da vida permanece. Talvez o ator Koji Yakusho, que interpreta o personagem central de Hirayama, tenha explicado isso melhor em uma entrevista ao Movie Web.

“[Mas] Uma coisa que posso dizer com certeza é que os humanos não riem ou choram apenas quando estão felizes ou tristes”, disse Yakusho. “Pode ser o contrário. Naquele momento, ele poderia estar rindo porque não sabia por que estava chorando. Mas por outro lado, acho que ele teria um futuro muito feliz. Uma vida feliz. E para mim, foi um momento de muita esperança.”

Sobre Dias Perfeitos

Um retorno aguardado ao cinema de ficção de Wim Wenders (Paris, Texas, Asas do Desejo), Dias Perfeitos leva o roteirista e diretor a Tóquio para contar uma história que celebra as alegrias ocultas e as minúcias da cultura japonesa. Koji Yakusho (13 Assassinos) estrela como Hirayama, um homem de meia-idade contemplativo que vive uma vida modesta e serena, passando os dias equilibrando seu trabalho de zelador obediente dos numerosos banheiros públicos de Tóquio com sua paixão pela música, literatura e fotografia. À medida que nos juntamos a ele na sua rotina diária metódica, uma série de encontros inesperados começa gradualmente a revelar um passado oculto em sua vida feliz e harmoniosa.

Leia também: Dias Perfeitos, indicado ao Oscar, é baseado em uma história verdadeira?


Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e também no Google News.

Quer receber notícias direto no seu celular? Entre para o nosso grupo no WhatsApp ou no canal do Telegram.

Última Notícia

Mais recentes

Publicidade

Você também pode gostar: