A história real por trás de “História de um Crime: O Cabeleireiro das Estrelas”

Dirigido por Jacques Toulemonde Vidal, o filme de mistério da Netflix ‘História de um Crime: O Cabeleireiro das Estrelas‘ gira em torno das mortes brutais de um famoso estilista de celebridades colombiano chamado Mauricio Leal e de sua mãe Marleny Hernández. Após a descoberta dos cadáveres, um jovem detetive tem apenas vinte dias para resolver o caso, mas o policial primeiro precisa determinar se o mesmo é um homicídio-suicídio ou duplo homicídio. O filme é baseado na investigação real das misteriosas mortes do famoso estilista colombiano, cuja clientela incluía várias personalidades e modelos populares da televisão do país, e sua mãe!

A história real que inspirou “História de um Crime: O Cabeleireiro das Estrelas

Em 2021, aos 47 anos, o estilista Mauricio Leal era considerado o “menino gênio” nos círculos de modelagem e show business da Colômbia. Ele estava ansioso para colaborar com o Miss Universo e a marca de moda Victoria’s Secret, mas o mesmo não se concretizou, pois foi encontrado morto em sua mansão em La Calera, ao lado do corpo sem vida de sua mãe Marleny Hernández, em 22 de novembro de 2021. A impressão inicial foi que o estilista assassinou a mãe e depois se matou. As autoridades descobriram no local um bilhete escrito por Mauricio. “Eu te amo, me perdoe, não posso continuar. Deixo tudo para meus irmãos e primos. Com todo meu amor, me perdoe, mãe”, dizia o bilhete.

As autoridades não encontraram sinais de violência, arrombamento ou roubo na cena do crime. A mão de Maurício segurava a faca, que estava cravada em seu abdômen, que o matou. A autópsia descobriu vários ferimentos graves no corpo de Mauricio, o que convenceu as autoridades de que o estilista não se matou. As autoridades começaram então a investigar as mortes como um caso de duplo homicídio. Concluíram que Mauricio conhecia o assassino, o que explicava a falta de arrombamento. Logo, o irmão mais velho de Mauricio, Jhonier, tornou-se o principal suspeito, especialmente depois de ter sido visto retirando uma enorme quantia de dinheiro das contas bancárias da família.

O que aconteceu com Jhonier Leal?

Quando a investigação começou, Jhonier propôs um álibi na noite em que seu irmão Mauricio Leal e sua mãe Marleny Hernández morreram. No entanto, as imagens da câmera de segurança coletadas na área residencial onde fica a mansão de Mauricio negaram o álibi, pois mostravam o primeiro entrando na casa no dia 21 de novembro de 2021. Uma busca realizada no imóvel levou os policiais a uma toalha que continha vestígios de sangue supostamente deixada para trás por Jhonier, conforme a acusação, que alegou que o irmão mais velho deixou para trás a toalha enquanto procurava uma segunda faca depois que a primeira quebrou.

Outra prova significativa contra Jhonier é que as feridas infligidas a Mauricio, destro, foram feitas por um canhoto. Como o suspeito do assassinato é canhoto, as autoridades conseguiram construir um caso sólido contra o primeiro. Na acusação contra ele, a promotoria alegou que Jhonier primeiro matou a mãe e depois foi para o quarto do irmão, apenas para colocar Mauricio em “estado de indefesa” e obrigá-lo a escrever e assinar o bilhete descoberto na cena do crime antes de matar ele. Zopiclone, medicamento usado para induzir o sono, foi descoberto no organismo de Mauricio durante a autópsia.

Durante a busca realizada no imóvel, os investigadores também encontraram números de contas e registros patrimoniais dos bens de Mauricio que Jhonier deveria herdar, o que estabeleceu o possível motivo. Em uma reviravolta dramática, Jhonier acabou se declarando culpado de matar seu irmão e sua mãe. Ele buscou o perdão de sua família, de seus filhos e de “toda a Colômbia pelos acontecimentos ocorridos”. No entanto, ele então retirou sua admissão de culpa e começou a afirmar que não matou Mauricio e Hernández. Ele disse que confessou os assassinatos após se sentir “pressionado psicologicamente” a fazer um acordo com o Ministério Público.

Jhonier acrescentou que foi mal aconselhado pelo seu advogado a admitir a culpa, uma vez que não tinha fonte de rendimento para pagar a sua defesa. Durante o julgamento, ele se declarou inocente e acrescentou que provaria o mesmo pela “mão de Deus”. Enquanto a acusação tem solicitado a pena máxima para Jhonier por homicídio qualificado e manipulação de provas materiais, a defesa tem adiado o julgamento, apenas para que o mesmo seja adiado quatro vezes. O último adiamento aconteceu em 31 de agosto de 2023, por conta dos “problemas de saúde” da advogada de defesa Ana Julieth Vásquez.

O promotor Mario Burgos solicitou ao tribunal que designasse um perito em medicina forense para avaliar o estado de saúde de Vásquez para que o julgamento por duplo homicídio prosseguisse. Em setembro de 2023, Vásquez renunciou ao cargo de advogada de defesa. O julgamento do duplo homicídio ainda não foi concluído e Jhonier está atualmente preso na prisão de La Picota, em Bogotá.

Leia também: Napoleão | O que é verdade e o que foi inventado no filme?


Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e também no Google News

Quer receber notícias direto no seu celular? Entre para o nosso canal no WhatsApp ou no Telegram.

Última Notícia

Mais recentes

Publicidade

Você também pode gostar: