Mank’ estreou na Netflix em dezembro de 2020, mas explodiu agora. O filme está concorrendo ao Globo de Ouro em 5 categorias (Melhor Filme de Drama; Melhor Diretor; Ator de Drama; Roteiro em Filme; Melhor Atriz Coadjuvante). Mas, você sabe quem é ele? 

Talvez você seja um crítico de cinema e saiba exatamente a história de ‘Herman J. Mankiewicz’, ou não. Talvez você seja só uma pessoa que gosta de assistir aos filmes premiados, mas ainda não decorou o nome de todos os diretores, roteiristas e também não se lembre da Era de Ouro de Hollywood. E, tudo bem. 

Produzido pela Netflix, o filme ‘Mank’ mostra como o jornalista/roteirista Herman Mankiewicz dá vida ao aclamado filme ‘Cidadão Kane’ (1941). Além disso, a autoria desse filme foi uma confusão e esse é o ponto do filme, que se passa a partir da década de 30. 

Conheça Herman Mankiewicz:
‘Herman Mankiewicz’

Nascido na cidade de Nova York, em 1897, Mankiewicz era filho de imigrantes alemães, e tinha dois irmãos mais novos – Erna e Joseph. Em 1917, Mank se formou em filosofia pela Universidade da Columbia. Mas, foi quando estudou em Berlim, na Alemanha que sua vida começou a mudar. 

Mank virou correspondente do jornal Chicago Tribune, e como jornalista enviava resenhas de teatro para o New York Times. A partir de 1920, seus textos começaram a ser bastante elogiados e ele se tornou o primeiro crítico teatral regular da revista. Até que, em 1926 recebeu convite para trabalhar na Paramount Pictures, em Hollywood, e se mudou.

A vida em Hollywood: 

A posição de Herman no estúdio era ótima, tinha um ótimo salário e cresceu sua carreira como roteirista. De acordo com o IMDb, ele colaborou com mais de 90 projetos. Um tempo depois, a vida de Mank começou a mudar, isso porque, o mundo se aproximava de Segunda Guerra Mundial, onde Hitler tomaria poder e vocês sabem o que aconteceu. 

Desse modo, Mank por ser filho de imigrantes alemães sabia o que acontecia na Europa, além de que o mundo começou a sofrer com os acontecimentos. Assim como, os estúdios de cinema. Estes, com medo de perder o público alemão e a abertura para exibir seus filmes nos cinemas do país não comentavam ou tomavam partido sobre o nazismo. Muito menos falar sobre isso nos filmes. 

Contudo, não bastava não criticar ou falar sobre o nazismo, a censura tomou conta do cinema. E, em 1935, quando Mank era roteirista na Metro-Goldwyn-Mayer (MGM – estúdio de Hollywood), recebeu uma notificação alertando que se seu nome estivesse nos créditos de produções, os longas poderiam ser barrados na Alemanha. 

E claro, como vocês podem imaginar, o jornalista/roteirista deixou de creditar muitas das suas obras para que isso não acontecesse. Só que, no final dos anos 30, sendo um roteirista de sucesso em Hollywood, a vida de Mank não girava em torno apenas dos estúdios. Assim como muitos casos de celebridades que conhecemos, Mankiewicz era alcoólatra e viciado em jogos. Claro que isso afetou sua vida profissional, fazendo-o perder todo o dinheiro conquistado. 

O início do projeto de ‘Cidadão Kane’:

No entanto, a luz no fim do túnel apareceu, e Mank se juntou ao novo projeto de Orson Welles. Que, mais para frente, o projeto viria a se tornar o aclamado filme ‘Cidadão Kane’. Durante o processo de roteiro do longa, ele estava passando por uma recuperação após um acidente de carro e como já era de costume, não levou os créditos. 

Contudo, a repercussão do filme foi tão grande, que Mank decidiu consertar isso e ir atrás dos seus direitos. E, ainda bem. Pois, o longa foi indicado a 9 categorias do Oscar, mas ganhou apenas uma, a de melhor roteiro, que Herman Mankiewicz dividiu com Welles

Infelizmente, vítima de uremia, uma condição ligada aos rins que causa acúmulo de resíduos, ele veio a falecer em 1953, aos 55 anos. E por mais que, Welles ganhe toda a notoriedade da obra de ‘Cidadão Kane’, a discussão de que o roteiro todo foi escrito apenas por Mank permanece até hoje. 

‘Mank’ está disponível na Netflix 

O filme em preto e branco traz um elenco de peso e uma produção e fotografia de elogios. Até como podemos ver por todas as indicações que ganhou no Globo de Ouro, e provavelmente vai ganhar no Oscar.

O protagonista do filme é interpretado por Gary Oldman, e temos ainda Amanda Seyfried como Marion Davies; e Lily Collins como Rita Alexander. O elenco conta também com Tom Burke, Tuppence Middleton, Charles Dance e Arliss Howard.

Leia também: Crítica | Mank é um filme sobre “fazer filmes”

Melhores séries Rua do Medo: 1666 – PARTE 3 – Final #Crítica Atypical Interrompemos a Programação #Crítica