Com uma segunda temporada absolutamente fantástica e repleta de reviravoltas, ‘The Umbrella Academy’ está se tornando uma das séries de super-heróis mais criativas da atualidade, porém, por envolver viagens no tempo e paradoxos temporais, muitos fãs ficaram confusos sobre o desfecho da temporada e sobre alguns personagens digamos “diferentes” que surgem na história. Quer saber mais sobre a tal Academia Sparrow e como deve influenciar os nossos heróis daqui pra frente? Então vem entender, mas cuidado com possíveis spoilers!

Leia a nossa crítica da 2ª temporada! e conheça os poderes de todos os membros da Umbrella Academy.

Para começar a explicação, vale fazer uma retrospectiva da temporada e compreender que os irmãos são enviados por Número Cinco de 2019 para a década de 1960 após quase morrerem no apocalipse provocado por Vanya, no desfecho da 1ª temporada. Após viverem um período de tempo no passado, Cinco retorna em 1963 para avisar que o tal apocalipse os seguiu e vai acontecer ali também, novamente provocado pelo descontrole de Vanya, que será na exata hora e lugar onde o presidente John F. Kennedy seria assassinado, em 22 de novembro de 1963 em Dallas, Texas. Sua explosão de poder acabará evitando esse acontecimento histórico e isso, mais pra frente, desencadeará uma enorme guerra nuclear entre Estados Unidos e União Soviética.

Efeito Borboleta

Após Cinco e o grupo descobrir que tudo precisa ser desfeito para que eles possam retornar em segurança para 2019 e, com isso, evitar esse apocalipse precoce, eles conseguem interromper a explosão de Vanya, graças a ajuda de Ben, que atravessa seu campo de energia e a convence parar o que estava fazendo. Dessa forma, Vanya não se descontrola e isso não interrompe a morte de Kennedy. Até aí, tudo bem, mas é preciso compreender o conceito de Efeito Borboleta para entender o que vem após isso, afinal “até mesmo o bater de asas de uma borboleta pode provocar um tsunami do outro lado do mundo…”.

Desde o começo da história, eles nascem em um mundo onde a morte de Kennedy nunca havia acontecido. Esse fato é o principal responsável pelo nascimento das crianças com super-poderes mais pra frente e, sem isso, a Academia Umbrella nunca teria acontecido. No entanto, como uma boa obra de ficção científica, isso é explicado na 2ª temporada, que mostra eles indo para o passado e sendo eles mesmos os agentes que fazem essa morte do presidente nunca acontecer. Um perfeito paradoxo temporal. Porém, seguindo as regras básicas do efeito borboleta, cada alteração que provocam no passado acaba repercutindo fortemente no futuro. E põe alterações nisso, já que eles se envolvem com pessoas da década de 1960 e modificam suas vidas, Vanya deixa o jovem menino com super-poderes, Alisson deixa uma carta para seu marido, o amor de Klaus se alista na guerra antes do previsto, Lila desaparece, e a principal delas, Kennedy inevitavelmente acaba morrendo, como acontece em nosso mundo real.

Com isso, como consequência de todas essas alterações, o futuro de 2019 não é mais o mesmo quando eles retornam. De primeira, a mansão da Academia parece ser a mesma, porém, Diego nota que agora há um enorme quadro de Ben, o irmão falecido do grupo, pendurado sobre a lareira, indicando que Ben não só está vivo, como também deve ser uma espécie de líder. Após isso, o pai dos jovens, que também já havia falecido, Sir Reginald Hargreeves, aparece e diz que “sabia que, cedo ou tarde, vocês apareceriam…”, indicando que ele já estava ciente dessas mudanças no tempo de alguma forma, mas demonstra surpresa quando Luther diz que ele está vivo, ou seja, ele não previu sua própria morte em outra linha temporal.

Nesse novo 2019, o grupo conhecido como Academia Umbrella parece nunca ter existido, porém, no lugar deles, há a tal Academia Sparrow, liderada por Ben, mais cinco pessoas e uma espécie de caixa verde flutuante, cujas identidades não são reveladas. Esse novo grupo parece não ter gostado da chegada dos sete irmãos e uma rivalidade deve nascer disso na possível 3ª temporada.

Mas o que diabos é essa tal Academia Sparrow afinal?

Formada por 6 pessoas (incluindo Ben) e um cubo verde flutuante, a série termina sem revelar a identidade dos novos super-heróis. Porém, será que há indícios desse grupo nas HQ’s? Então, a reposta é sim e não. O showrunner Steve Blackman revelou, em entrevista recente, que são personagens novos, desenvolvidos para a série e não apareceram ainda nos quadrinhos, porém, há sim citações desse grupo na 3ª HQ, denominada ‘Hotel Oblivion’. Vale lembrar que os irmãos contaram para o pai adotivo, Reginald, sobre seus poderes, quando ainda estavam no passado, ou seja, é possível imaginar que ele tenha desenvolvido à partir disso uma Academia mais funcional e com menos problemas, formadas por super-heróis mais poderosos (ou quem sabe super-vilões) no lugar dos irmãos, que se tornou a Sparrow. Mas será que esses membros são versões diferentes dos personagens que conhecemos? Sendo assim, como há seis membros, quem seria o irmão morto dessa vez?

Partindo desse principio, se analisarmos as silhuetas do novo grupo, parece que está faltando um homem com as características do Klaus, ou seja, pode ser Klaus, o fantasminha camarada nessa nova realidade, algo que até faz sentindo com sua ligação com os mortos. Ou talvez ele esteja dentro do tal cubo verde (e meio fantasmagórico) e só saia quando necessário. Será? Porém, caso siga os passos da HQ cujo grupo é levemente citado, é possível que esse grupo seja formado por novos heróis, que acabam ajudando a Academia Umbrella na luta contra vilões que eles não conseguem lidar. Nessa história, o grupo também tem numerações iguais aos irmãos, porém, suas identidades não são reveladas antes do final da história, como acontece na série.

E você, qual teoria acha mais provável? Conte para nós nos comentários!

Share This