Com a estreia da segunda temporada na última sexta-feira de julho, The Umbrella Academy voltou a ficar no coração de todos nós que estávamos órfãos desse mundo maluco de viagens no tempo, violinos assassinos e chimpanzés mordomos.

Mas, como toda série que maratonamos desenfreadamente, tudo acaba muito rápido e nós ficamos com um gostinho de quero mais. Para isso, separamos alguns dos motivos pelos quais você deveria correr atrás dos gibis que deram origem à série da Netflix. 

5 – É curto e fácil de achar 

Umbrella Academy: Hotel Oblivion #1 | Dark horse comics, Mike ...

Muitas vezes o problema em indicar um gibi para quem gostou das adaptações é a quantidade de material original necessária pra você consumir. No caso de The Umbrella Academy, é totalmente o contrário. A obra conta com 3 volumes, todos lançados oficialmente no Brasil pela Devir e disponíveis na Amazon. Começando pela Suíte do Apocalipse e depois com Dallas, você pode conferir de onde saíram tantas ideias malucas para a primeira temporada da série. Em Hotel Oblivion você tem ideia do que os autores queriam  para a segunda temporada, já que o terceiro volume foi lançado depois que a série já estava próxima de ser lançada. 

Clique aqui para comprar a HQ

4 – Gerard Way 

Gerard Way on the end of My Chemical Romance:'It wasn't fun any ...

Muitos de vocês devem conhecer esse rostinho bonito da banda de emocore My Chemical Romance, mas Gerard Way estudou comunicação na faculdade e chegou até mesmo a ser estagiário na DC Comics, mas não atuou na área logo de cara porque a banda decolou antes que ele tivesse a oportunidade de trabalhar com histórias em quadrinhos. Em 2007, após o lançamento do álbum Black Parade, Way vendeu a ideia do que viria a ser Umbrella Academy para a editora Dark Horse, que adorou a ideia. Discípulo do autor britânico Grant Morrison, Gerard logo deixou claro que muito da loucura de seu mentor estaria presente em suas obras. O resto você confere nas páginas do próprio Umbrella Academy. 

3 – Gabriel Bá 

Gabriel Bá – Wikipédia, a enciclopédia livre

Hoje em dia temos muitos brasileiros entre os grandes nomes da indústria de quadrinhos, mas a verdade é que existiu um tempo em que esse mercado era tudo mato. Nessa época, Gabriel Bá, junto de seu irmão, Fábio Moon, despontavam como os brasileiros referência da indústria. Bá já era um grande nome quando foi chamado para ser o cara por trás da arte de The Umbrella Academy em 2007. Trabalho que lhe renderia um Eisner (o Oscar dos quadrinhos) no ano seguinte. Gabriel não entrou no projeto por acaso, seu estilo único é responsável por destacar Umbrella dos demais gibis do gênero. 

2 – Visuais malucos 

Umbrella Academy: Hotel Oblivion #5: The Interval - Comic Watch

Como eu já exaltei no tópico anterior, o visual de Umbrella Academy é uma obra de arte por si só. Num misto de homenagem e paródia ao mundo dos super-heróis, a histórias dos irmãos poderosos ganha uma singularidade justamente pelo modo como são retratados. Claro que a série também se destaca nesse ponto, mas, mesmo com toda liberdade que o Streaming dá em relação à tv, ainda existem certas limitações que as HQs permitem. Nesse sentido, tudo que a série faz parecer maluco, nos quadrinhos é muito mais. 

1 – A loucura  

Como já dito anteriormente, mesmo que você tenha achado que a série tenha atingido algum limite de insanidade ou algum ponto totalmente fora da curva, pode acreditar: Nas HQs é muito pior. E eu falo isso no melhor dos sentidos. Todos os motivos que me fizeram gostar da série foi o quão inesperado cada capítulo se tornava. Claro que a obra original extrapola isso também então temos muito mais paradoxos temporais, linhas do tempo, sangue, explosões e macacos (sim, macacos!). 
 
Esses são apenas alguns dos motivos pelos quais você deveria ir agora ler um gibi de Umbrella Academy! Se ainda não te convencemos, então dá uma lida na nossa crítica da segunda temporada. 

E caso queira comprar os quadrinhos, é só clicar aqui.

Share This