Avatar: O Último Mestre do Ar | O que aconteceu com o olho do Príncipe Zuko? Como ele conseguiu a cicatriz?

Publicidade

Avatar: O Último Mestre do Ar’ da Netflix segue as jornadas tumultuadas de seus vários personagens, todos os quais passam por suas próprias provações e tribulações que testam sua coragem e influenciam seus objetivos. Embora existam todos os tipos de personagens na série, cada um com suas personalidades e desafios únicos, o Príncipe Zuko se destaca como o personagem com um dos arcos mais interessantes da série. 

Ele começa como um vilão, mas à medida que nos aprofundamos em sua história, fica claro que ele é muito mais do que apenas um vilão. Ele é um personagem complexo, movido por coisas erradas que o levam ao caminho certo. Existem vários marcadores de sua jornada, mas nenhum é tão memorável quanto a cicatriz no lado esquerdo do rosto. Como ele conseguiu isso?

ALERTA DE SPOILERS!

Como Zuko ganhou a cicatriz em Avatar: O Último Mestre do Ar?

A cicatriz do príncipe Zuko é um lembrete de seu fracasso em ser implacável

Crédito da imagem: Robert Falconer/Netflix

O Príncipe Zuko nasceu como herdeiro da Nação do Fogo. O primogênito do Senhor do Fogo Ozai, ele sabia que algum dia assumiria o trono. Quando atingiu idade suficiente para se juntar ao pai no conselho de guerra, preparou-se para o papel de príncipe. Ele decidiu dar o melhor de si e mostrar ao pai que foi feito para o papel e, se houver alguma deficiência, ele está pronto para superá-la rapidamente para que algum dia possa se colocar no lugar do pai. No entanto, seu pai o vê sob uma luz diferente.

Por mais que tente se apresentar como um homem totalmente implacável, o Príncipe Zuko tem um coração bondoso. Ele pensa nos outros e, para seu pai, esse é seu maior defeito. Em seu primeiro dia no conselho de guerra, Zuko é questionado sobre qual estratégia seria melhor para atacar uma fortaleza que está fora de seu alcance há muito tempo. Zuko não esperava falar muito durante a reunião do conselho, então ficou surpreso com a pergunta. Todas as respostas que ele dá são completamente insatisfatórias para seu pai, que retorna aos outros oficiais para obter respostas.

Um dos oficiais sugere um plano que levaria à vitória certa, mas também significaria enviar uma unidade de seus soldados para a morte certa. A perspectiva de enviar conscientemente os soldados para a destruição não agrada Zuko. Ele se manifesta contra isso, chamando-o de plano estúpido. Ele pede compaixão por seus soldados e não acredita que seu pai permitiria tal coisa. Esta discórdia no conselho leva seu pai a declarar que o assunto será resolvido por Agni Kai. Zuko espera lutar contra o general que elaborou o plano, mas fica chocado ao descobrir que seu pai seria o adversário.

Ozai diz que ao protestar contra o plano do conselho de guerra, Zuko estava protestando contra o próprio Ozai. O príncipe questionou o intelecto e as intenções do Senhor do Fogo, e isso não era algo que ele pudesse suportar, muito menos de seu próprio filho. Zuko implora a seu pai para não prosseguir com o duelo, mas a decisão do Senhor do Fogo está tomada. A regra de Agni Kai sugere que só terminará quando um oponente queimar o outro. No duelo, chega um ponto em que Zuko leva vantagem e quase queima o pai. No entanto, ele hesita, e isso convence Ozai de que Zuko é fraco.

Para ensinar uma lição a Zuko, especialmente que nunca se deve mostrar compaixão por seu inimigo, pois isso levará à sua própria derrota, Ozai queima Zuko. Ele faz isso bem na cara do príncipe para que ele nunca esqueça a lição que seu pai queria lhe ensinar e se tornar o príncipe implacável que ele deveria ser se realmente quisesse se tornar o Senhor do Fogo. Para Zuko, a cicatriz é uma lembrança de seu fracasso, e cada vez que ele olha para si mesmo, ele se lembra de seu banimento subsequente, e isso o leva ainda mais a provar seu valor para seu pai.

LEIA TAMBÉM:

Última Notícia

Mais recentes

Publicidade

Você também pode gostar: