Warrior é baseada em uma história verdadeira? Conheça a inspiração da série

Publicidade

Warrior é um drama de época que acompanha o protagonista Ah Sahm depois que ele imigra da China para São Francisco em busca de sua irmã. Mas, no processo, ele também se envolve com as notórias Guerras das Tongs.

A trama se passa na década de 1870 e imediatamente chama sua atenção. No entanto, não podemos deixar de nos perguntar como exatamente o show surgiu. Bem, não se preocupe, porque aqui tentamos responder a essa pergunta!

Warrior é baseado em uma história verdadeira?

Não, Warrior não é baseado em uma história verdadeira. No entanto, a trama central é na verdade ideia de Bruce Lee. Sua ideia original era a de um artista marcial chinês viajando pelo Centro-Oeste. No entanto, estávamos na década de 70 e os estúdios de Hollywood se recusaram a escalar um protagonista não-branco. Muitos acreditam que a proposta original de Lee foi o que levou a Kung Fu, estrelado por David Carradine. Porém, Ed Spielman, que criou esta série nos anos 70, afirmou que a baseou em suas experiências na Chinatown de Nova York.

Lee deixou para trás um tratamento de 8 páginas de sua ideia, que foi então encontrado por sua filha, Shannon Lee, que disse: “Sempre fez parte da tradição de Bruce Lee que isso acontecesse. Mas foi só no final de 2000, quando assumi a responsabilidade pelo legado do meu pai, que o arquivo passou a estar em minha posse – todos os escritos, fotos e recordações do meu pai. No processo de análise, me deparei com o tratamento deste programa e uma série de notas e rascunhos.”

O programa está repleto de muitas experiências de imigrantes chineses na década de 1870, especialmente considerando que a Lei de Exclusão Chinesa foi aprovada na mesma época. Portanto, o enredo abrange o racismo, as tensões comunitárias e a história do povo sino-americano, incluindo as Guerras Tong. O criador Jonathan Tropper escreveu o roteiro do piloto tendo em mente a luta dos imigrantes que Bruce Lee queria trazer à tona com seu trabalho.

Justin Lin, o cineasta também conhecido por Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio, atuou como produtor executivo de Warrior. Ele disse: “O gênero das artes marciais muitas vezes foi relegado à ação de nível B. E isso não é algo que queríamos fazer. Partindo do material original de Bruce Lee, queríamos construir algo que fosse voltado para os personagens, que tivesse temas importantes e que também se passasse em uma parte da história americana sobre a qual raramente se fala. Isso para mim faz com que seja algo que você nunca viu antes.”

Na verdade, Warrior emprega um elenco principalmente asiático, e muitos sentem que o show é um passo à frente na representação adequada da comunidade asiática na tela. A trama também explora o sexismo que muitas mulheres chinesas ainda enfrentam. Olivia Cheng, que interpreta Ah Troy, falou sobre como os problemas destacados na série ainda prevalecem hoje.

Ela acrescentou ainda: “Mergulhamos em uma época em que o homem asiático era tão emasculado na mídia e através das lentes americanas. Não temos medo de mergulhar nessa percepção e brincar com ela como forma de responder à injustiça social da época.”

Chame isso de intervenção divina, destino ou pura sorte, mas se Shannon Lee não tivesse encontrado o documento envolvente de seu falecido pai, então há uma boa chance de que Warrior nunca tivesse visto a luz do dia.

Claramente, o programa não é diretamente inspirado em uma história verdadeira, mas definitivamente captura a xenofobia, a violência e o racismo reais da época, que indiscutivelmente ainda atormentam nossa sociedade até hoje.

Warrior, série da HBO Max, já está disponível na Netflix.

Leia também: O Abismo | Conheça a IMPRESSIONANTE história por trás do filme da Netflix


Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e também no Google News

Quer receber notícias direto no seu celular? Entre para o nosso canal no WhatsApp ou no Telegram.

Última Notícia

Mais recentes

Publicidade

Você também pode gostar: