Com estreia simultânea nos cinemas e nas plataformas digitais dia 16 de maio, o drama romântico gay “45 dias sem você”, escrito e dirigido por Rafael Gomes, apresenta ao público o ator Rafael de Bona em seu primeiro papel como protagonista. O filme também marca a estreia de Gomes, criador de séries de sucesso e consagrado como diretor de teatro, na direção de um longa-metragem.

Filmado com recursos próprios e equipe reduzida em cinco países (Inglaterra, França, Portugal, Argentina e Brasil), “45 dias sem você” traz ainda no elenco a atriz Mayara Constantino (“Sessão de Terapia”, “Tudo o que É Sólido Pode Derreter”) o ator, diretor e dublador Fábio Lucindo (por quase duas décadas a voz brasileira do protagonista da série Pokémon), Ícaro Silva (atualmente no ar na novela “Verão 90” e na série “Coisa Mais Linda”), além da estreante Julia Correa. No filme, todo o elenco é apresentado ao público com o próprio nome, borrando os limites entre realidade e ficção. Outro detalhe curioso é que na vida real os atores já viveram nas cidades por onde Rafael, o protagonista, passa ao longo da história. “45 dias sem você” é, portanto, uma história de ficção com personagens documentais.

“O roteiro é todo baseado em acontecimentos verdadeiros. A gente diz que os personagens são documentais porque são mesmo: a Julia, o Fábio e a Mayara de fato moravam nas cidades em que eles aparecem no filme. As casas, os amigos, os lugares que frequentam, tudo é de verdade, e ao mesmo tempo tudo é autoficção. Eu queria fazer um filme de sentimentos e um filme de viagens, dois ‘gêneros’, por assim dizer, que eu acho que a cinematografia brasileira explora pouco. Além de ter um protagonista gay sem que isso seja uma questão, o que também acontece menos do que deveria na nossa produção audiovisual”, comenta o diretor.

No longa conhecemos Rafael, que espera 45 dias por um amor que não retorna. Para curar seu coração partido, decide exilar‐se de si mesmo e parte rumo a três diferentes destinos. Em três capítulos, vemos o protagonista conviver com amigos que, por motivos diversos, abandonaram o mundo em que viviam: Júlia na Inglaterra, Fábio em Portugal e Mayara na Argentina.

O longa-metragem foi selecionado para os festivais Cinema Diverse: The Palm Springs LGBTQ Film Festival 2018, OUTShine Film Festival 2018, San Antonio QFest – LGBT International Film Festival 2018, para a Mostra Competitiva de Longas-Metragens do Festival Mix Brasil (2018) e para o encerramento do Curta Santos 2018.

Criador e roteirista das séries “Tudo que é Sólido Pode Derreter” (Cultura), “3 Teresas” e “Vizinhos” (ambas para o GNT), Rafael Gomes possui também uma premiada carreira como autor e diretor de teatro. Assinou recentemente a remontagem do clássico “Um Bonde Chamado Desejo” de Tennessee Williams (vencedora de três Prêmios Shell) e de “Gota d’Água”, de Chico Buarque e Paulo Pontes. Possui ainda um marcante histórico de realizações no universo digital, tendo realizado o pioneiro curta-metragem “Tapa Na Pantera” e o projeto musical “Música de Bolso”.

Os produtores do premiado longa-metragem “Hoje eu quero voltar sozinho” (Diana Almeida e Daniel Ribeiro) são os coprodutores de “45 dias sem você”, título que inaugura uma trilogia cinematográfica do diretor, com os três títulos já filmados.

“Eu chamo de trilogia dos Corações Sentimentais, mas não existe continuidade de história nem de personagens – depois de “45 Dias Sem Você”, os outros títulos são “Música Para Cortar os Pulsos” e “Meu Álbum de Amores”. O que existe é bem forte é o recorte temático (amor na juventude), diversos atores que estão em mais de um filme, a presença maciça de personagens gays, e a forte presença da música como motor narrativo das histórias. A tal ponto que o terceiro filme é um musical (com canções originais de Arnaldo Antunes e Odair José). Fora essa circunstância de três longas serem produzidos em tão curto intervalo de tempo e serem lançados no espaço de um ano, representando muito claramente um capítulo dentro de uma filmografia.”

A produção é da Substância Filmes & Outras Misturas, com coprodução da Lacuna Filmes. A distribuição nos cinemas e plataformas digitais é da O2 Play.

Comments