De arte menor ao status de nona arte, as HQs estão no centro da revolução cultural desde a década de 20. Se no mercado internacional é possível listar infinidade de criações e autores aclamados, quem são os nomes por trás dos quadrinhos brasileiros? A série documental ‘HQuem – A Arte de desenhar Histórias’ trará a resposta por meio de entrevistas com artistas e especialistas da área. Produzido pela FBL Criação e Produção com direção geral de Rozane Braga, o projeto está em fase de filmagens e estreia prevista para 2020 no canal de TV por assinatura Prime Box Brazil.

A pop arte dos anos 60 e a revolução da linguagem a partir dos anos 80 conferiram aos quadrinhos prestígio comparável às demais manifestações artísticas, com quadrinistas clássicos ganhando projeção internacional. Dentro deste contexto, o roteiro da série se aprofundará na produção de quadrinhos brasileiros e a respectiva trajetória profissional de seus criadores, além das HQs do Brasil contemporâneo seja elas do mercado comercial ou independente.

‘HQuem – A Arte de desenhar Histórias’ terá 13 episódios que mostrarão o trabalho desenvolvido por um artista diferente em seu ateliê de criação, espaços públicos e privados que os inspiraram e pontos de encontro da cultura pop. Eles são: Fabiane Langone (personagem Chiquinha); Arthur Garcia (gibis Jaspion, Os Trapalhões e Zorro); Marcelo d’Salete (HQs Angola Janga e Cumbe); Wagner William (HQs O Maestro e O Cuco); Julia Bax (HQs X-Men); Eloar Guazzeli (quadrinhos do Sítio do Picapau Amarelo); Fabio Zimbres (criador da Coleção Mini Tonto de HQs alternativas); Mateus Santalouco (criador da série Mondo Urbano); Cris Peter (Astronauta – Magnetar); Ana Luiza Koehler (ilustradora do romance Awrah); Shiko (graphic novels O Azul Indiferente do Céu e Talvez seja Mentira); Roberta Cirne (HQ Sombras do Recife); e Gabriel Jardim (“Turma do Morro”, releitura dos personagens da Turma da Mônica Jovem).

Especialistas do mercado editorial também serão entrevistados pela série, além de fãs e leitores, para esclarecerem as peculiaridades do universo HQ sob o viés da exigência de capacidade interpretativa, tanto visual quanto verbal. Alguns dos nomes são Xico Sá (escritor e jornalista), José Roberto Lovetro, o Jal (cartunista e criador do Troféu HQ Mix); Sonia Luyten (especialista em mangás); e Ramon Vitral (referência em jornalismo de quadrinhos no Brasil). “A série passeará pela experimentação estética e brinca com os limites entre o imaginário do quadrinista, seja através de recursos videográficos, seja através de efeitos sonoros”, revela a diretora Rozane Braga.

Comments