A Netflix está em negociações para comprar o histórico Egyptian Theatre em Hollywood. O preço de venda está nas dezenas de milhões.

A proprietária atual, a Cinemateca Americana – uma organização independente sem fins lucrativos dedicada a preservar e celebrar imagens em movimento de todas as formas – continuaria fortemente envolvida se essa venda fosse fechada. A organização organizava a programação do fim de semana, enquanto o streamer reproduziria seus títulos durante a semana, pelo menos para o futuro próximo.

O acordo cumpre duas tarefas: dá à Netflix um lugar privilegiado durante a temporada do Oscar e outras épocas do ano sem ter que entrar no mercado de reservas de cinema, e isso ajuda a garantir um futuro para o Egyptian,  o cinema construído por Sid Grauman em 1922 e foi anfitrião de inúmeras estreias de Hollywood.

Uma venda também proporcionaria um impulso financeiro para a Cinematheque, onde o diretor de conteúdo da Netflix, Ted Sarandos, faz parte do conselho. E seria a primeira vez que a Netflix entrava no negócio de tijolo e argamassa.

Durante o outono e o inverno, a Netflix pôde usar o Egyptian para estreias e mostrar seus concorrentes. Fontes dizem que o streamer continuaria a reproduzir seus filmes originais em outros cinemas independentes em Los Angeles, como o Landmark (grandes circuitos não agendarão um filme da Netflix, já que a companhia não honra a tradicional janela de exibição).

O pacto não envolve o Cinema Aero em Santa Monica, onde a Cinemateca tem contrato de 10 anos.

A Cinemateca Americana comprou o Egyptian em 1988. O cinema é uma das poucas locações que podem ser reproduzidas com nitratos, e também está equipado para reproduzir 70mm. Além das exibições, a Cinemateca usa o site para festivais – incluindo o TCM Classic Film Festival, que tem início na quinta-feira – retrospectivas e painéis de cineastas.

Ao apoiar a organização e o cinema, a Netflix promove sua incursão no tradicional negócio cinematográfico, depois de se tornar o primeiro membro não-estúdio da Motion Picture Association of America.

No ano passado, houve rumores de que a Netflix havia feito consultas informais sobre a compra do Landmark, o maior circuito independente dos EUA. Mas essa aquisição envolveria a operação de 56 locais em todo o país.

Fonte: The Hollywood Reporter

Comments