Dois jovens do Rio de Janeiro resolveram protestar contra a corrupção, sem ter dinheiro nenhum no bolso. Eles estão rodando a minissérie “LADRÃO” sem investimentos, patrocínios, mas com um roteiro rico em criatividade.

A trama conta a história de um criminoso que se une a quatro jovens “nerds” com o objetivo de roubar de políticos tudo o que eles tenham roubado do país, a começar pelo discricionário ministro da cultura.

Essa espécie de “Robin Hood” moderno e cibernético saiu da cabeça de 8 jovens, entre eles o diretor, Guilherme Pedro, de 16 anos, e a roterista Larissa de Oliveira, com 18 anos. “Ao todo somos 22 participantes entre criadores, equipe técnica, atores e figurantes. Todo mundo trabalhando por amor a causa em época que se vê tantas prisões, denúncias e Lava Jato” – afirma o jovem diretor.

As gravações continuam e o grande sonho do grupo é fazer a série extrapolar o YouTube, e ir parar na Netflix ou até mesmo na TV aberta. “Quem tem acompanhado as gravações e já viu o teaser dos primeiros capítulos tem se surpreendido não apenas pelo roteiro, mas pela qualidade técnica que não deve nada a series já consolidadas”.

Na série, um especialista em roubos, conhecido como Ladrão (Victor Grimoni), apaixonado pelo que faz, decide dar um jeito na corrupção na política brasileira. Para isso, junta 4 nerds, João (João Ferraz), Marcolina (Lethícia Farnochi), Caio Luiz (Pedro Ottoni) e Antônio Carlos (Rafael Gouveia), cada um com habilidades específicas e uma jornalista, chamada Paola (Gabi Neves), afim de documentar todo o processo. A Jornalista tem muita insegurança, mas deseja chegar ao topo dos noticiários, seu ponto de partida é uma estagiária na empresa em que trabalha e que recebe muita pressão do seu chefe (Fávio Vidaurre). Para dar fim a corrupção, o Ladrão decide começar pelo Ministro da Cultura, Marco Antônio Palassi (Jupy Azevedo.) Ao longo de tudo isso, muitos problemas ainda deverão ser superados. O que você acha? Ladrão que rouba de Ladrão, merece mesmo 100 anos de perdão?

Assista ao trailer:

Comments