Festival MIMO de Cinema 2018 anuncia programação de Paraty

[et_pb_section bb_built=”1″][et_pb_row][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text]

Nos dias 28, 29 e 30 de setembro, a cidade de Paraty receberá o MIMO Festival 2018, um dos mais importantes festivais multiculturais do Brasil, apresentado pelo Bradesco e Ministério da Cultura. Totalmente gratuito, o projeto que nasceu em Olinda há 15 anos já reuniu 1,5 milhão de pessoas e cerca de 3.500 artistas. Consolidado como o maior festival gratuito do país, o MIMO Festival anuncia a programação da primeira cidade brasileira na edição de 2018.Durante três dias, Paraty vai receber mais de 20 atrações, entre shows, concertos, filmes inéditos, poesia, fórum de ideias e workshops.

O Festival MIMO de Cinema Paraty acontece em paralelo à programação de concertos, com uma das melhores safras do cinema musical nacional dos últimos tempos, e será apresentada pela primeira vez no recém-inaugurado Cinema da Praça, com nove filmes sobre grandes personagens como o Ultraje a Rigor, os músicos Marcelo D2, Planet Hemp, Lanny Gordin e muitos outros.

No total, foram 30 produções selecionadas entre as mais de 180 inscritas, para serem exibidas nas edições de Paraty, Rio de Janeiro,São Paulo e Olinda. O público poderá assistir os longas-metragens “Ultraje”, de Marc Dourdin, “Semente da Música Brasileira”, de Patrícia Terra, “Inaudito”, de Gregório Gananian, e “Legalize Já – Amizade Nunca Morre”, de Johnny Araújo e Gustavo Bonafé. Para o público infanto-juvenil, o festival escalou a animação, “Os Under Undergrounds, o começo”, de Nelson Botter Jr.

Também na programação os curtas 6 por 20, de Daniel Tumati, Marina Gerasso, Maria Fernanda Genuncio, Vitor Rodrigues e Luna Gámez, sobre o Viaduto Negrão de Lima, ponto de encontro clássico da música da Zona Norte do Rio de Janeiro; É Por Isso que Estou Aqui, de João França, em que o diretor acompanha uma residência artística na península de Gaspé, Canadá, e vai a fundo nas conexões entre os participantes; Tetê, com direção de Clara Lazarim, no universo da compositora e intérprete Tetê Espindola; e Travessia, de Thiago Antunes, que mostra o percurso de jovens poetas do ritmo nas Rodas Culturais da Zona Norte do Rio de Janeiro, nas chamadas Batalhas de Sangue e de Poesia

A curadoria é de Rejane Zilles, cineasta e diretora do Festival MIMO de Cinema, que avaliou os filmes junto à Comissão de Seleção, formada este ano pelo crítico de cinema Marcelo Janot e pela cineasta Anna Azevedo. “Estamos muito satisfeitos com a seleção deste ano. Fomos surpreendidos com um aumento considerável na quantidade de filmes inscritos e também com a qualidade das produções que elegem a música como tema. Percebo que o Festival MIMO de Cinema confirma, cada vez mais, sua importância como plataforma de exibição e lançamento destes filmes. Esta sinergia entre música e cinema está a pleno vapor”, comenta Zilles.

Confira abaixo a programação:

28 de Setembro

18H

6 POR 20 (curta-metragem)

DANIEL TUMATI, MARINA GERASSO, MARIA FERNANDA GENUNCIO, VITOR RODRIGUES E LUNA GÁMEZ.

DOC | 11’ | 2017 | RJ | 10 ANOS

O Viaduto Negrão de Lima, localizado no bairro de Madureira, ponto de encontro clássico da Zona Norte do Rio de Janeiro, cobre carros e ônibus em trânsito, mas também pés que, em ritmos diferentes, batem no chão. Lugar de expressão e de ocupação. “Madureira é o lugar”!

ULTRAJE (longa-metragem)

MARC DOURDIN. DOC | 92’ | 2017 | SP | 12 ANOS

Documentário sobre Ultraje a Rigor, um dos mais influentes e irreverentes grupos da história do rock brasileiro. O filme aborda a história da banda desde o sucesso da música “Inútil”, hino das Diretas Já, passando por diversas formações e transformações, até os dias atuais, revelando uma trajetória de mais de três décadas de fidelidade ao rock’n’roll.

20H

É POR ISSO QUE ESTOU AQUI (curta-metragem)

JOÃO FRANÇA. DOC | 22’ | 2018 | SP | LIVRE

Nesta poética exploração de som, silêncio, movimento e lugares, um brasileiro oferece seu olhar sobre o encontro de músicos de diferentes idades, que se reúnem para vivenciar as possibilidades da improvisação colaborativa de música, dança e arte visual. O diretor acompanha uma residência artística na península de Gaspé, Canadá, e vai a fundo nas conexões entre os participantes.

SEMENTE DA MÚSICA BRASILEIRA (longa-metragem)

PATRÍCIA TERRA. DOC | 94’ | 2018 | RJ | LIVRE

O filme conta a história de um grupo de músicos responsáveis pela revitalização do bairro boêmio da Lapa, que ocorreu no final dos anos 90, a partir de encontros no pequeno palco do Bar Semente, fechado em outubro passado quando completaria 20 anos. No elenco, estão Yamandu Costa, Teresa Cristina, Pedro Miranda, Roberta Sá, Zé Paulo Becker, Nicolas Krassik e muitos outros.

29 de Setembro

16H

OS UNDER UNDERGROUNDS, O COMEÇO (longa-metragem)

NELSON BOTTER JR. ANI | 106’ | 2018 | SP | LIVRE

Heitor foi expulso de sua banda por não ser “cool” o bastante. Magoado, distrai-se na volta para casa e cai em um bueiro em obras, indo parar em uma cidade subterrânea muito diferente. Nesse lugar, habitado por criaturas humanoides muito “esquisitas”, ele finalmente encontra o que buscava: amigos leais e, mais

18H

TETÊ (curta-metragem)

CLARA LAZARIM. DOC | 25’ | 2018 | SP | 10 ANOS

O documentário explora o universo da compositora e intérprete Tetê Espindola, investigando seu trabalho de pesquisa criativa – em especial a forte ligação com a natureza como tema e fonte de inspiração. A narrativa transita livremente por diferentes épocas – da projeção nacional pop ao experimentalismo – na tentativa de transcender o discurso histórico e trazer à tona a artista.

INAUDITO(longa-metragem)

GREGÓRIO GANANIAN. DOC | 88’ | 2017 | SP | LIVRE

O guitarrista Lanny Gordin foi um dos personagens fundamentais na transformação da música brasileira a partir da década de 60: eletrizou o som de Gal Costa, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Jards Macalé, entre outros. No filme, Lanny nos revela o seu processo libertário de composição e pensamento atual através de uma odisseia pela China, local onde nasceu, e pelo Brasil, país onde vive.

20H

TRAVESSIA (curta-metragem)

THIAGO ANTUNES. DOC | 13’ | 2017 | RJ | LIVRE

O percurso de jovens poetas do ritmo nas Rodas Culturais da zona norte do Rio de Janeiro, nas chamadas Batalhas de Sangue e de Poesia. Mais do que o desafio do RAP nas fases que definem a disputa, o documentário ilustra, sensivelmente, a travessia da palavra, viva como a nossa língua, transformada em instrumento de luta e resistência da juventude favelada e periférica.

LEGALIZE JÁ – AMIZADE NUNCA MORRE (longa-metragem)

JOHNNY ARAÚJO E GUSTAVO BONAFÉ. FIC | 95’ | 2017 | SP | 16 ANOS

Como o encontro entre dois jovens, que vendiam camisetas e fitas cassete no centro do Rio de Janeiro para se sustentarem, pode dar origem a uma das bandas mais populares do Brasil na década de 1990? LEGALIZE JÁ narra esse momento transformador na vida de Marcelo – futuramente, conhecido como Marcelo D2 – e Skunk, que culminou na formação do Planet Hemp.

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Spread the love

Comments

comments

Share This