Turismo Macabro | Governo do Japão considera entrar com ação contra a Netflix, após episódio em Fukushima

[et_pb_section bb_built=”1″][et_pb_row][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text]

A Agência de Reconstrução do Japão e o Governo da Província de Fukushima estão considerando uma ação legal sobre o episódio de Turismo Macabro da Netflix, que visitou lugares ainda lidando com o resultado do triplo colapso nuclear de março de 2011.

O episódio, o segundo da série divulgado no dia 20 de julho, mostra o jornalista neozelandês David Farrier visitando o Japão, com apenas mais da metade do programa seguindo ele em uma excursão de ônibus organizada pelas áreas próximas à Usina Nuclear Fukushima Daiichi.

Farrier e os outros turistas ficaram preocupados, pois as leituras em seus contadores Geiger mostraram radiação mais alta do que se esperava deles e o que é considerado um nível seguro. O grupo eventualmente decide interromper a turnê, mas não antes de comer em um restaurante na área e Farrier deixar o grupo para entrar em uma arcada de jogos fora do limite. Enquanto no restaurante, Farrier fala sobre suas preocupações sobre a comida ser insegura, antes de terminar sua refeição.

“Estamos examinando o conteúdo do vídeo”, disse um alto funcionário da prefeitura à agência de notícias Jiji.

As partes do vídeo às quais as autoridades se opuseram são a seção mostrando os altos níveis de radiação, mas não dizendo onde foram filmadas, a especulação sobre a contaminação de alimentos e a excursão de Farrier para a área proibida.

Estima-se que quase 100.000 turistas estrangeiros tenham visitado Fukushima no ano passado em viagens de turismo nuclear.

Quase 20.000 pessoas morreram em março de 2011, quando um enorme terremoto desencadeou um tsunami devastador que derrubou os sistemas de resfriamento da usina nuclear, levando a três reatores da Daiichi em processo de degelo.

O governo local e nacional tem trabalhado para que as proibições de comida produzidas na área sejam revogadas, o que elas vêm obtendo gradualmente.

Durante o episódio, Farrier também visita a floresta Aokigahara, uma área conhecida por suicídios. O YouTuber Paul Logan enfrentou uma reação no início do ano depois de postar um vídeo da floresta, onde descobriu um cadáver. Farrier também fica em um hotel dirigido por robôs e faz um tour até a ilha abandonada de Hashima. Uma vez que era uma mina de carvão, o terreno baldio industrial da ilha tem atraído turistas e atenção nos últimos anos, aparecendo no filme 007: Operação Skyfall.

Outros episódios apresentam turismo relacionado a vodu, barões da droga, assassinos em massa e sobreviventes.

Fonte: The Hollywood Reporter

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Spread the love
Share This