Segundo analista, em 10 anos a Netflix vai atingir 90 milhões de assinantes nos EUA

Algumas pesquisas divulgadas esta semana mostram um futuro quase otimista para a Netflix, com um analista prevendo que o serviço crescerá nos EUA de 57 milhões de assinantes hoje para 90 milhões em 10 anos.

Para uma nota de pesquisa, Todd Juenger da Bernstein encomendou uma pesquisa para determinar, “Quem nos EUA não assinou a Netflix”, e os resultados dizem que ainda há 80 milhões de adultos no país que têm a internet, mas não assinaram ao serviço. Cerca de 24 milhões deles têm entre 18 e 49 anos, que é o grupo demográfico mais popular da Netflix.

Entre os “Netflix-nevers” – aqueles que nunca se inscreveram – 45% dizem que a razão é que estão satisfeitos com os planos de tv a cabo ou satélite. Entre os “clientes”, aqueles que já assinaram, mas cancelaram, 10% disseram que o fizeram para economizar dinheiro e 8% não estavam satisfeitos com o conteúdo da Netflix.

A Netflix, no entanto, está gastando muito para melhorar seu conteúdo, tendo gasto cerca de US$ 6,5 bilhões no ano passado e gastando US$ 8 bilhões neste ano, principalmente para criar programação original.

E quanto àqueles que, até agora, preferem um pacote tradicional de TV, é provável que mudem de idéia quando considerarem a diferença de preço, considerando que a Netflix nos EUA cobra cerca de US$ 11 por mês em comparação a uma média de US$ 90 por mês para TV a cabo.

As metas de aquisição de assinantes da Netflix são os 24 milhões de adultos entre 18 e 49 anos que têm acesso à internet, mas não assinam o Netflix, além dos 32 milhões de idades entre 50 e 64 anos e outros 24 milhões com mais de 65 anos, diz Juenger.

Um pouco de água fria nessa análise otimista foi uma pesquisa divulgada na quarta-feira pela Parrot Analytics, que afirma que 49% dos americanos não querem pagar por nenhum serviço de streaming de vídeo.

A Parrot, no entanto, diz que na Itália, Alemanha e Reino Unido, muito mais estão dispostos a pagar não só por um único serviço, mas por múltiplos serviços, sugerindo que a Netflix tem muito espaço para crescer em todo o mundo, mesmo se estiver se aproximando de uma saturação nos EUA.

No final do trimestre mais recente, Netflix ostentava 125 milhões de assinantes em todo o mundo e a empresa ostentava uma capitalização de US$ 173 bilhões do mercado, superando os US$ 155 bilhões da Disney e Comcast.

Fonte: The Hollywood Reporter

Share This