Titanic: 20 anos de um dos maiores filmes de todos os tempos

[et_pb_section bb_built=”1″][et_pb_row][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text]

De fã para fã: esta semana é muito especial para quem curte cinema. Dia 19 de dezembro Titanic fez 20 anos desde lançamento. Mas qual a importância desse filme que muitos já perderam as contas de quantos vezes já assistiriam? Caso você assista ao filme hoje em dia, vai perceber que de tão bem feito que é, nem parece ter 20 anos. Foi a primeira vez que um estúdio de cinema liberou 200 milhões de dólares para um diretor que, apesar de ter feito o maravilho Exterminador do Futuro II e ter uma visão única de cinema até hoje, não havia produzido nada parecido. E esse filme rompeu barreiras incríveis fora dos EUA também. Aqui no Brasil, Titanic ficou quase 1 ano em cartaz. Sim, você não leu errado!

De acordo com o site de estatísticas FiveThirtyEight, 85% dos americanos já assistiram ao filme. Sua bilheteria é a segunda maior de todos os tempos com 2,2 bilhões de dólares arrecadados, atrás somente de Avatar, também do diretor James Cameron, e o filme teve 14 indicações ao Oscar, ganhando 11 e, junto com Ben Hur e Senhor dos Anéis, são recordistas na maior premiação do mundo. Mesmo com tantos números, tantos recordes, Titanic, na minha opinião, tem como maiores destaques duas coisas: a maior química entre um casal que já vi e uma das trilhas sonoras mais marcantes que já ouvi.

Quando James Cameron estava procurando o parceiro para atuar com Kate Winslet, Leonardo DiCaprio não era a primeira opção para a Fox. Matthew McConaughey (Interstellar) era o que os chefões do estúdio queriam, mas aí que entra os detalhes da genialidade de um diretor. Cameron insistiu a tal forma que finalmente convenceu que DiCaprio fosse o escolhido e isso nos rendeu a provável melhor química entre um casal que Hollywood já viu. Não sei você, mas eu sou simplesmente fascinado com as cenas que Jack e Rose estão juntos. A do desenho, a do primeiro encontro, a do cuspe e a da morte dele. Todas lindas.

A trilha sonora, composta pelo também genial e falecido James Horner (Avatar e Coração Valente), tão conhecido por fazer composições celtas, recheadas de gaita de fole, é, senão a mais conhecida, uma das 3 trilhas mais conhecidas de todos os tempos. Quem aí nunca ouviu My Heart Will Go On pelo menos uma vez na vida? E o instrumental Hymn to the sea? Não reconhece pelo nome? Então ouve aí:

Apesar de não ter visto Titanic nos cinemas em 1997, fui ver em 2012 no seu relançamento. Veria de novo! São 2h40 de filme que me fazem sentir emoções únicas. Mesmo sabendo tudo o que vai acontecer, toda a tragédia que foi o acontecimento, o destino de cada personagem, ouvir “foi há 84 anos” é algo que mexe com a maioria dos cinéfilos de plantão. Não adianta espernear, xingar ou dar uma de pseudo-cult. Como diria Pablo Villaça, Titanic é uma aventura cinematográfica. Fica a seu critério embarcar nela ou não. Caso embarque, saiba que será muito feliz. 😉

#Titanic20anos

 

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Spread the love

Comments

comments

Share This