A série que fala sobre a vida na periferia através das histórias dos personagens Doni, Nando e Rita, que cresceram juntos na mesma favela, influenciados pelo fascínio do funk, está conquistado milhões de fãs em todo o mundo. Sintonia já é um grande sucesso na Netflix. Mas existem muito mais coisas a saber sobre a série do que aquilo que se vê no produto final.

Leia a nossa crítica da primeira temporada

O funk conduz a série e é a liga que une as histórias das personagens, mas não é preciso ser um apaixonado pelo ritmo para assistir Sintonia. E hoje no Brasil não é possível falar de funk sem mencionar pelo menos uma vez o trabalho de Tainá Grando, coreógrafa responsável pelas danças vistas neste novo e ousado trabalho.

Tainá revela um pouco de sua relação com a série e com a produtora: “Eu e a Kondzilla temos história. Houve muita parceria, e sintonia literalmente com a galera da produtora, com o Kond (dono da Kondzilla) e principalmente com o Gabriel, que me dirigiu no meu primeiro clipe com a Kondzilla lá em 2015, um clipe do Livinho. E desde o início, assim, desde a primeira vez que a gente gravou junto, ele sempre apostou e acreditou muito no no meu trampo. Eu tô muito feliz com o sucesso da série por retratarem um cenário da quebrada de São Paulo, do funk, algo que eu vivo e conheço bem”.

A coreógrafa tem uma história também com o funk, assim como os personagens de ‘Sintonia’. Após sete anos como integrante do Balé do Faustão, ela seguiu o seu coração em direção a uma carreira como empreendedora e coreógrafa e acabou se tornou referência neste gênero musical, tendo hoje com mais de 60 trabalhos com a Kondzilla e com artistas como MC WM, Nego do Borel, Anitta, Kevinho, Livinho e tantos outros funkeiros de sucesso.

Tainá conta também que foi necessário muito esforço de toda equipe para que a série acontecesse: “quando eu recebi o briefing do perfil das meninas para compor o balé, imediatamente pensei em levar as minhas amigas do balé do Faustão. Quando eu falei pra elas que era um trabalho para a Netflix, elas toparam imediatamente e fizeram diversos sacrifícios para conciliar as gravações e ensaios na Globo com a série. As gravações foram no final do ano, que é uma época difícil. Eu vi o quanto se esforçaram para me ajudar e foi um trabalho em equipe mesmo. Eu fiquei emocionada com isso, porque eu estava lá e sei o quanto é corrido final do ano, tem gravação todos os dias praticamente. No único dia de folga que tinham deram o seu melhor para participar deste projeto”. As bailarinas escolhidas foram Camila Lobo, Gabriele Cardoso, Mayara Araujo, Nathalia Zannin, Yanca Guimarães e Ana Flávia Simões.

Segundo Tainá, o resultado final da série a emocionou muito: “Todos ficaram emocionados. Eu assisti a série inteira, maratonei num dia só e me vi ali em vários momentos porque é muito do que eu vivo. Muito mesmo e me emocionei”, concluiu.

Uma série original produzida pela Losbragas para Netflix, Sintonia contará com seis episódios de 40 minutos em sua primeira temporada. A série foi criada por KondZilla, Guilherme Quintella e Felipe Braga, e escrita por Guilherme Quintella, Duda Almeida e Thays Berbe, contando com Pedro Furtado como roteirista-chefe.

A produção é de Rita Moraes, Felipe Braga e Alice Braga. Felipe Braga também atua como produtor executivo criativo. O show foi dirigido por Johnny Araújo e KondZilla.

Sintonia integra a diversa lista das séries originais brasileiras da Netflix incluindo 3%, O Mecanismo, Samantha!, Super Drags, Coisa Mais Linda, e as ainda inéditas O Escolhido, Cidades Invisíveis, Ninguém Tá Olhando, Irmandade, Onisciente, Spectros, Futebol, Reality Z e a recém-anunciada, Boca a Boca.

Comments