O detetive da Polícia de Nova Iorque que fez as primeiras prisões no caso dos Cinco do Central Park que foi transformado em minissérie da Netflix, Olhos que Condenam, afirma que a série é inflamada e cheia de mentiras.

Eric Reynolds prendeu Raymond Santana e Kevin Richardson no notório caso. Ele disse ao Daily Mail que a produção da Netflix está repleta de informações imprecisas.

Reynolds alega que os Cinco do Central Park não eram espectadores inocentes, mas faziam parte de um bando de jovens que foram “selvagens” no parque em abril de 1989. A noite resultou no fato de a atleta Trisha Meili ser estuprada e espancada. Reynolds também discordou do retrato do adolescente sendo espancado durante a sua prisão.

“Por favor, alguém, mostre-me as fotos deles”, disse Reynolds ao Daily Mail. “Mostre-me os ferimentos, mostre-me os olhos negros, mostre-me os rostos inchados, porque cada um deles que saiu daquele recinto não tinha nada disso.”

Reynolds disse que havia evidências forenses do envolvimento do grupo com o ocorrido. Matias Reyes mais tarde confessou o estupro de Meili, com provas de DNA provando seu envolvimento, e os jovens foram totalmente exonerados e indenizados pela cidade de Nova York.

A promotora Linda Fairstein também criticou a série da Netflix, que ela disse ser “tão cheia de distorções e falsidades a ponto de ser uma invenção completa”. Isso gerou alguns tweets irados, aos quais a diretora da série, Ava DuVernay , respondeu: “Esperado e típico. Para frente …”

A Netflix disse que Olhos que Condenam foi vista por mais de 23 milhões de contas em todo o mundo desde meados de junho.

Baseado em uma história real que tomou conta dos Estados Unidos, Olhos que Condenam narra o caso notório de cinco jovens negros, rotulados como os Central Park Five, que foram condenados por um estupro que não cometeram. A série retrata sobre os adolescentes do Harlem – Antron McCray, Kevin Richardson, Yusef Salaam, Raymond Santana e Korey Wise. Começando na primavera de 1989, quando foram questionados sobre o incidente, os quatro episódios discorrem por 25 anos, destacando a exoneração em 2002 e o acordo firmado com a cidade de Nova York em 2014.

Olhos que condenam foi criada por Ava DuVernay, que também co-escreveu e dirigiu os quatro episódios. Jeff Skoll e Jonathan King, da Participant Media; Oprah Winfrey, da Harpo Films; e Jane Rosenthal, Berry Welsh e Robert De Niro, da Tribeca Productions, são os produtores executivos da série limitada, ao lado de DuVernay, por seu selo, o Forward Movement. Além de DuVernay, Attica Locke, Robin Swicord e Michael Starrbury também atuam como escritores da série limitada. A série é estrelada pelo indicado ao Emmy® Michael K. Williams, a indicada ao Oscar® Vera Farmiga, o ganhador do Emmy® John Leguizamo, o indicado ao Oscar® e vencedor do Emmy® Felicity Huffman, a indicada ao Emmy® Niecy Nash, o ganhador do Emmy® e duas vezes indicado ao Globo de Ouro Blair Underwood, o vencedor do Emmy® e do Grammy® e indicado ao Tony Award® Christopher Jackson, Joshua Jackson, Omar J. Dorsey, Adepero Oduye, Famke Janssen, Aurora Perrineau, William Sadler, Jharrel Jerome, Jovan Adepo, Aunjanue Ellis, Kylie Bunbury, Marsha Stephanie Blake, Storm Reid, Chris Chalk, Freddy Miyares, Justin Cunningham, Ethan Herisse, Caleel Harris, Marquis Rodriguez e Asante Blackk.

Junto do lançamento de Olhos que Condenam, a Participant Media, em colaboração com a Color Of Change, Vera Institute of Justice, Institute for Innovation in Prosecution at John Jay College e The Opportunity Agenda, entre outros, lançará uma campanha de impacto social que visa apoiar o trabalho do movimento de reforma da justiça criminal. A campanha se concentrará em mudar as percepções dos jovens negros e pardos na cobertura da mídia e ajudar os promotores com novas abordagens baseadas na dignidade humana e na eqüidade racial.

Fizemos um vídeo recentemente indicando a série. Dá uma olhada aqui em baixo:

Comments