Estar na ativa por tanto tempo, ainda mais dentro de um único gênero, pode ser desgastante para alguns. A falta de energia existe e surge quando a repetição é a única dominância. Astros como Gerard Butler, por exemplo, cujos filmes (com poucas exceções) são extremamente semelhantes entre si, ainda mais os mais recentes de sua carreira, caem na exaustão com facilidade. E essa maldição se amplia também para a comédia, onde abraça talentos como Jim Carrey, Adam Sandler e Jennifer Aniston, que não conseguem sair do convencional, mesmo que seus atuais projetos para a Netflix busquem ressaltar essa nostalgia das comédias “sessão da tarde”, a falta de intensidade e originalidade pendura para o lado negativo. E para esses dois últimos, pesa plenamente no fraquíssimo ‘Mistério no Mediterrâneo’ (Murder Mystery), nova empreitada da dupla após sete anos de ‘Esposa de Mentirinha’.

A trama, que busca mesclar comédia romântica pastelão com suspense (ao melhor estilo da escritora Agatha Christie), fracassa firmemente em ambos, e olha que o roteiro é de James Vanderbilt, uma das mentes por trás do ótimo e sombrio ‘Zodíaco’. Aqui, o emaranhado de clichês, convenções do gênero e falta de humor dos protagonistas são os maiores destaques.

A história segue um policial (Sandler) que se acha detetive, e sua esposa (Aniston) que, após 15 anos de casados, decidem passar a tão sonhada lua de mel na Europa, no entanto, durante a viagem, eles conhecem o ricaço personagem vivido por Luke Evans (A Bela e a Fera) no voo, daí por diante, são inseridos em uma trama sem pé nem cabeça, que envolve assassinatos, mistérios mal resolvidos e muita forçação de barra para fazer o humor escrachado funcionar, enquanto parece que estamos inseridos em uma partida do jogo de tabuleiro Detetive.

Por incrível que pareça, nem Jennifer Aniston nem Adam Sandler conseguem sustentar seus personagens dentro do campo da comédia, sendo que Sandler ainda consegue ser pior do que o esperado, com excesso de maneirismos e uma atuação que mais parece estar desconfortável e desanimado com o projeto. O carisma típico de ambos se dissipa dentre da direção precária e convencional de Kyle Newacheck (do péssimo ‘Perda Total’), deixando a sensação de que o talento, mesmo que desgastado dos dois, serve para absolutamente nada dessa vez, já que apenas cumprem seus papeis sem nenhum improviso ou ousadia, algo que funciona até bem dentro do desinteresse da trama de fazer algo fora do convencional.

Além disso, a montagem é precária. Falta música para guiar o quase inexistente ritmo do filme, que mais se assemelha a esquetes de programas de comédia, não conversando entre si de um corte para outro, principalmente no primeiro ato do filme, antes da viagem. Mesmo que o humor seja monótono por toda a obra, nesse começo é ainda mais constrangedor e o relacionamento entre os protagonistas, que deveria ser íntimo por tantos anos juntos, não convence, assim como falta química entre eles e os demais personagens caricatos e sem profundidade que o roteiro não explora. A subtrama de mistério é puramente replicada de clichês do gênero e plot twits ineficientes, ou seja, não tem para onde fugir, o humor é sem graça e o suspense, que poderia ser o grande diferencial, é previsível, ao achar que está seguindo os passos de ‘Assassinato no Expresso do Oriente’.

Dessa forma, ‘Mistério no Mediterrâneo’ tem poucas piadas que realmente funcionam e mostra o desgaste de Sandler e Aniston na comédia, com uma trama monótona, sem graça e um suspense tedioso e clichê. Mais uma empreitada da Netflix que desperdiça o carisma de bons atores em troca de um filme brega, que não faz jus a suas carreiras excepcionais.

Comments