O mês de Junho é marcado por ser o mês do orgulho LGBTQ+, fazendo referência à revolta de Stonewall. Ela ocorreu em Nova York, no dia 28 de junho de 1969, quando um grupo de gays resolveu enfrentar a frequente violência policial sofrida pelos homossexuais. Por isso, o Pipocas Club separou oito filmes para assistir no mês do orgulho LGBTQ+, mostrando histórias diversas e sem esteriótipos. Confira!

Moonlight (2016)

 

Vencedor do Oscar de melhor filme em 2017 (lembram da confusão que teve entre o vencedor ser ele ou La La Land?), o filme é escrito e dirigido por Barry Jenkins. Um verdadeiro estudo de personagem,mostra a jornada de autoconhecimento e crescimento do garoto Chiron. A obra consegue tratar diversas camadas temáticas, como questões de raça e preferência sexual, com sutileza no universo masculino do personagem.

Pariah (2011)

Se você curte filmes com a temática Coming of Age, Pariah é para você. Conta a história de uma jovem negra lésbica, retratando sua relação com família e com os amigos, seu processo de auto descobrimento paralelo ao seu crescimento pessoal. É um filme semi auto biográfico da diretora Dee Rees.

Tangerine (2015)

O filme é protagonizado por duas atrizes amadoras transexuais e conta a história de duas amigas transexuais vivendo nas margens da cidade de Los Angeles. A obra foi totalmente filmada com iPhone.

Divinas Divas (2016) 

O filme é brasileiro e dirigido pela atriz Leandra Leal, conhecida por seus trabalhos em novelas como Cheias de Charme. Ele conta sobre a primeira geração de artistas travestis do Brasil que formaram, na década de 70, o grupo que foi testemunha de uma Cinelândia com muitos cinemas e teatros. Além disso, protesta e provoca muitos costumes da época.

Uma Noiva Para Rip Van Winkle

É um filme sobre relacionamentos, tratando a bissexualidade da protagonista de forma muito natural. O filme se passa em volta de uma jovem que está entediada e fica obcecada com um site de relacionamentos, onde ela faz um amigo que a encoraja a se desafiar.

But I’m a Cheerleader (1999)

 

Como nem só de filme cult se faz o ser humano, esse filme é muito mais para você relaxar e dar risadas com os personagens. Dirigido por uma mulher lésbica, But I’m a Cheerleader conta sobre Megan, uma garota popular na escola, líder de torcida e namorada do jogador mais bonito e famoso do colégio. Seus pais conservadores a colocam contratam os serviços da clínica “Caminhos Verdadeiros”, dedicada a colocar jovens na linha. Nesse caminho de descobertas, o filme se torna uma comédia romântica bem divertida, debochando de esteriótipos e preconceitos sociais.

The Watermelon Woman (1996)

O primeiro longa dirigido por uma mulher negra lésbica assumida. Esse filme mostra uma cineasta negra lésbica tentando produzir um filme sobre uma atriz negra dos anos 30, abordando a questão racial dentro no movimento LGBTQ+, além de retratar assuntos como cinema, representatividade e muito mais.

Fora de Série (2019)

 

Fora de Série saiu agora nos cinemas e tem ganhado o coração de muitos, principalmente os fãs de filmes Coming of Age. Ganhando o nome de ”Superbad feminino”, Olivia Wilde entregou para nós uma comédia adolescente que retrata bem a nossa sociedade atual. Adolescentes engajados em lutas sociais e que não ligam para a binaridade dos gênero são uma das principais coisas que o filme aborda, além de nos deixar com um gosto de nostalgia e vontade de morar dentro do filme. Se você quer saber mais sobre o filme, o Pipocas Club tem uma crítica prontinha pra você!

E ai, gostaram da lista? Já viram algum desses filmes? Deixa aqui nos comentários o que você achou desses filmes e feliz mês do orgulho LGBTQ+!

Comments