A Netflix está flexionando sua força de poder de preço para realizar aumento nas tarifas em 2019 para todos os planos de streaming de vídeo para clientes nos EUA.

O plano mais popular da Netflix, o perfil Standard que oferece duas telas HD, está aumentando em 18%, de US$ 10,99 (R$ 40,86) para US$ 12,99 (R$ 48,29) por mês. O plano Premium, que fornece até quatro telas Ultra HD, está aumentando de US$ 13,99 (R$ 52,01) para US$ 15,99 (R$ 59,44) por mês (aumento de 14,3%). Além disso, a empresa pela primeira vez está fazendo um plano básico, que oferece uma única tela SD, de US$ 7,99 (R$ 29,70) a US$ 8,99 (R$ 33,42) por mês (+ 12,5%).

Os novos preços, que são os maiores aumentos de taxas na história da Netflix, serão aplicados a todos os novos assinantes da Netflix nos EUA imediatamente. Os assinantes existentes serão transferidos para os novos planos de preços “nos próximos meses”, segundo a empresa. Os aumentos de preços da Netflix também se estenderão a cerca de 40 países da América Latina, onde a assinatura é faturada em dólares americanos, incluindo Uruguai, Barbados e Belize. No entanto, o aumento da taxa não entrará em vigor (por enquanto) nos maiores mercados da região, México e Brasil, onde o valor é cobrado na moeda local.

“Alteramos os preços de tempos em tempos, à medida que continuamos investindo em entretenimento e melhorando a experiência geral da Netflix”, disse uma porta-voz da empresa em comunicado.

As ações da Netflix subiram até 6,8% nas negociações da manhã de terça-feira com as notícias dos aumentos de preços, com os investidores otimistas com a evidência de sua crescente influência no mercado.

A empresa está buscando aumentar a receita para compensar os custos crescentes de conteúdo, que devem atingir US$ 13 bilhões em termos brutos em 2018. Para financiar sua farra de gastos de conteúdo, a Netflix levantou bilhões em novas dívidas: ela registrou US$ 8,34. bilhões em dívida de longo prazo em 30 de setembro, acima dos US$ 6,50 bilhões no final de 2017. Também continua a queimar caixa e projetou mais recentemente fluxo de caixa negativo de mais de US$ 3 bilhões para 2018 (versus fluxo de caixa livre negativo de US$ 2 bilhões por ano antes).

A Netflix elevou pela última vez as taxas no quarto trimestre de 2017 – dois anos depois de sua alta anterior – e enfrentou cancelamentos mínimos e nenhuma desaceleração nas adições líquidas de assinantes. Resta saber como os novos aumentos de preço afetam o crescimento dos assinantes em 2019. A Netflix deve divulgar os resultados do quarto trimestre de 2018 na quinta-feira, 17 de janeiro.

Segundo a Netflix, os membros existentes serão notificados por e-mail e dentro do aplicativo Netflix 30 dias antes que os novos preços sejam aplicados às suas contas. O momento exato dependerá do ciclo de faturamento de um membro específico.

A Netflix tinha 58,4 milhões de clientes nos EUA no final do terceiro trimestre de 2018, com um total mundial de 137,1 milhões de membros em streaming.

Fonte: Variety

Comments