Com o intuito de criar conteúdo nacional para preencher as exigências da nova lei de incentivo ao audiovisual, o canal Space Brasil desenvolveu uma interessante proposta de suspense denominada ‘Pacto de Sangue’, uma criação de Lucas Vivo, com direção do brasileiro Tomás Portella e do uruguaio Adrián Caetano e roteiro do argentino Patrício Veja, que tem como objetivo seguir a boa safra de filmes e seriados brasileiros, que estão tomando conta da TV, como a série ‘1 Contra Todos’, por exemplo. E já que o cinema de horror nacional também está em alta, porque não criar uma trama com toques de terror, porém, tendo tráfico de drogas e turismo sexual como plano de fundo.

O cenário também foge, na medida do possível, do núcleo Rio-São Paulo, tendo seu protagonista, Silas Campello (vivido pelo carismático Guilherme Fontes), um repórter simpático e pouco conhecido, trabalhando em uma pequena emissora de TV localizada em Belém do Pará. Uma mudança bem-vinda, afinal, é importante mostrar que outros lugares do Brasil também podem e devem situar boas histórias.

O episódio piloto começa em um ponto crucial para entender a genialidade do protagonista, mostrando o repórter indo atrás de uma história que iria lhe render fama e dinheiro, mesmo que tenha que passar por cima de alguns ideais para essas conquistas. Sendo assim, a trama jornalista se aprofunda em importantes temas como fake news, manipulação da mídia e notícias sensacionalistas, ao “editar” a realidade contada e alterar sua real essência. Já podemos perceber desde aí que há uma certa ambiguidade no caráter de Silas, algo que também é explorado no núcleo policial, com o rebelde e atormentado Moreira (Ravel Cabral) e sua busca inicial pelas garotas desaparecidas.

E são dessas garotas misteriosas que vem a parte “sobrenatural”, típica do canal Space, no entanto, apesar de uma cena macabra envolvendo nudez e muito sangue, faltou um pouco de empolgação, algo que pode sim crescer com força nos próximos episódios, mas que serviu como uma introdução leviana ao núcleo que possivelmente dá nome à série. Definitivamente, não fica claro nesse começo se o intuito do roteiro é apresentar uma história sinistra ou se tudo não virá a ser apenas uma subtrama, encoberta pelo drama familiar da menina viciada em drogas ou pela visão policial dos desaparecimentos. Só nos resta esperar para ver.

Enquanto a direção é boa, com planos pontuais e precisos, somados à boa construção de atmosfera, a fotografia às vezes é escura demais sem necessidade, às vezes lavada demais. Já as atuações também não estão excepcionais, mesmo com grandes nomes no elenco, a sensação que fica é que tudo ainda está começando a ganhar forma e os atores ainda estão compreendendo a profundidade de seus personagens, algo até comum em um piloto de série, nada que seja preocupante, mas ainda assim, é um problema que pode afastar o espectador da veracidade da trama.

Mesmo que, inicialmente, dê vontade desistir, ‘Pacto de Sangue’ segue um ritmo bom e a última cena até ousa em mostrar uma peça macabra em plena luz do dia, indicando que o que está por vir pode ser chocante e diferente de tudo que está sendo exibido na TV. Se esse gancho narrativo não te fisgar, vale lembrar que os personagens Gringa (Mel Lisboa) e Trucco (Jonathan Haagensen) serão inseridos nos próximos episódios e devem dar o gás que a série necessita para decolar.

‘Pacto de Sangue’ estreia nesta segunda-feira, dia 27 de agosto, às 22h30, com episódio duplo, sem intervalos, no canal Space Brasil.

Comments