As composições do maestro italiano Ennio Morricone fazem parte da trilha sonora de mais de 500 filmes e, principalmente, da vida de muita gente.  Seu trabalho se confunde com a história do cinema mundial, com arranjos que ganharam fama nos aclamados filmes de faroeste italiano – Spaghetti western –, passando por longas policiais, dramas românticos, filmes de terror, de máfia e de época. No ano em que Morricone completa 90 anos, o Centro Cultural Banco do Brasil presta uma homenagem ao maestro e compositor com uma mostra dedicada ao seu trabalho. “SONORA: ENNIO MORRICONE“ exibirá 22 filmes de gêneros e diretores diferentes, mas com algo em comum: a trilha marcante do maestro.

Confira a programação:

Programação – 1º Semana

Quarta, 24 de janeiro
15h30 – A missão (The Mission / 1986 / 2h 5min / Bluray)
18h15 – Três homens em conlito (Il buono, il brutto, il cattivo / 1966 / 2h 41min / Bluray)

Quinta, 25 de janeiro
16h30 – Cérebro do Mal (Il diavolo nel cervello / 1972 / 1h 46min / Bluray)
19h00 – O engima do outro mundo (The Thing / 1982 / 1h 49min / Bluray)

Sexta 26, de janeiro
16h30 – A batalha de Argel (La battaglia di Algeri / 1966 / 2h 01min / Bluray)
19h00 – Por um punhado de dólares (Per un pugno di dollari / 1964 / 1h 39min / Bluray)

Sábado, 27 de janeiro
15h00 – 1900 (Novecento / 1976 / 5h 17min / Bluray)

Domingo, 28 de janeiro
15h30 – Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita (Indagine su un cittadino al di sopra di ogni sospetto / 1970 / 1h 55min / Bluray)
18h00 – Os intocáveis (The Untouchables / 1987 / 1h 59min / Bluray)

Segunda, 29 de janeiro
16h00 – Lolita (1997 / 2h 17min / Bluray)
19h00 – Malena (2000 / 1h 49min / Bluray)

Com curadoria de Rafael Bezerra, a mostra fica em cartaz em São Paulo de 24 de janeiro até 19 de fevereiro. Ao longo do mês, o público poderá conferir filmes de alguns dos mais aclamados diretores, como Terrence Malick, Quentin Tarantino, Brian de Palma, Pedro Almodóvar, Sergio Leone e Bernardo Bertolucci, entre outros. A mostra também terá debate especial no dia 15 de fevereiro com Rafael Bezerra (curador), Filipe Furtado (palestrante) e Vivian Aguiar-Buff (palestrante), após a exibição em 35 mm do filme O Deserto dos Tártaros. Além disso, a mostra contará ainda com uma sessão inclusiva com audiodescrição e intérprete de libras do filme Por um Punhado de Dólares, no dia 19.

– É incrível como Morricone tem uma das assinaturas mais inconfundíveis da história do cinema (a força visual, a carga afetiva, ideias simples em arranjos complexos, instrumentação incomum, sons concretos, uso da voz humana como parte da orquestra, longos silêncios, gags musicais e notas únicas sustentadas por um bom tempo), e, ainda assim, suas músicas, nos melhores casos, conseguem ser absolutamente absorvidas pelos filmes dos quais emergem – afirma Rafael Bezerra.

A programação conta com filmes desde a década de 60, que deram notoridade ao compositor, como os longas de bang bang italiano de Sergio Leone (“Por um Punhado de Dólares“ e “Por um Punhado de Dólares a Mais“), até filmes mais recentes, como “Os Oito Odiados“ (2016), de Quentin Tarantino, que rendeu a Morricone o Oscar de Melhor Trilha Original.

Comments