Não é fácil dizer adeus a uma série, e para Game Of Thrones esse adeus vai sendo dado por partes. Desde que foi anunciado que a série só iria até a oitava temporada, os fãs vem amargando o gosto da despedida. Tivemos uma temporada com estreia atrasada devido o tempo de gravação ser estendido porque “o inverno chegou”, tivemos episódios a menos, e outra grande preocupação estava no fato de que os livros que encerram As Crônicas de Gelo e Fogo ainda não foram lançados.

Pois bem, com apenas 13 episódios para terminar a série e ainda muita trama para desenrolar a série voou para conseguir entregar tudo, deixou de lado algumas enrolações, atropelou outras mas no geral divertiu e alegrou os fãs.

Game-of-Thrones-Temporada-7

Duas grandes guerras são evidentes em Game Of Thrones: A guerra contra os White Walkers e a Guerra pelo Trono de Ferro. A primeira, Jon Snow encabeça e tem durante toda a temporada a missão de convencer as demais grandes líderes a lutar juntos pela sobrevivência dos reinos dos vivos. Na segunda, temos de um lado Daenerys voltando para Pedra do Dragão e se articulando para invadir Porto Real, do outro temos Cersei, percebendo que o cerco está se fechando e tentando conseguir novos aliados na injusta guerra contra uma inimiga que possui três dragões.

No Norte, temos a Casa Stark aos poucos se reunindo, com a chegada de Bran (que agora é o Corvo de Três Olhos) e logo depois a de Arya (que agora é Ninguém). A volta dos Starks para Winterfell retoma a virada por cima de tudo o que a família passou ao longo das temporadas da série. Neste caminho houveram mortes, derrotas, traições, sofrimento (Sansa que o diga), mas agora parece que finalmente chegou a hora do Norte se reerguer. Temos Jon Snow, que mesmo sem pedir virou o Rei do Norte. Sansa, que representa uma das maiores evoluções de personagens da série, que sofreu porém conseguiu extrair várias lições e está pronta para as responsabilidades de uma lady de Winterfell. Arya ainda busca ardentemente a vingança a todos os malfeitores de sua casa. Bran carrega agora consigo o peso de saber tudo o que aconteceu no passado e o que está acontecendo, e tem em si o grande segredo que mudará de vez o jogo dos tronos (e que vai ficar para a próxima temporada).

Uma das maiores queixas dos fãs se deu pelo fan service presente na temporada. As reclamações fazem sentido por Game Of Thrones sempre fugir do óbvio e nos deixar loucos pelos seus plots. Porém, com tanto fandom e tantas teorias criadas ao longo dos anos, é evidente que chegaria uma hora que tudo teria que seguir o curso normal dos contos. Teve Jonerys, teve Dragão de Gelo, diálogos previsíveis, volta de personagens, em certo momento pareceu que estávamos diante de um grande novelão, porém reforço, tem pouco tempo de tela para muita coisa ainda acontecer. E se alguma coisa precisava ser deixada de lado, isso foi a consistência. A temporada não perdeu tempo de viagem, ou diálogos explicativos, tudo tinha que acontecer e em troca ganhamos sete episódios de tirar o fôlego.

got6

Não podemos deixar de mencionar o quanto a produção se superou neste ano. Destaque para os dragões que foram responsáveis pelos mais belos “Dracarys”. As locações e efeitos especiais de Game Of Thrones deixam algumas obras cinematográficas para trás. Ao fim da série, poderemos dizer que houve televisão Antes e Depois de Game Of Thrones. Se pensávamos que a Batalha dos Bastardos era algo já grandioso, os episódios quatro e seis dessa temporada nos fez lembrar que sempre podemos ser surpreendidos por uma batalha maior em GOT.

Ainda que tivemos um show diante dos nossos olhos, nos bastidores dessa temporada a HBO passou por uma sequência de exposição de sua fragilidade e tivemos uma terceira guerra: contra os hackers. Houve vazamentos dos roteiros da temporada completa, houve episódio vazado e para completar a HBO Espanha transmitiu um dos episódios antes do tempo. Claramente os números da série não foram afetados por isso, GOT manteve superando recordes de audiência durante toda temporada, porém expôs ao mundo o quão vulnerável a emissora está de um grande ataque. Abre o olho para a última temporada, HBO!

E no momento R.I.P. da crítica podemos destacar pelo menos quatro grandes perdas da série nesta temporada:

– Olenna Tyrell, que se despediu em grande estilo revelando a Jaime o envenenamento de Jorah;

– Viseryon, nosso querido dragão que morreu para a Dany, mas viveu para os White Walkers;

– Tio Benjen, que apareceu apenas para reforçar o quão Deus Ex-Machina é o Jon Snow;

– E por fim, a tão comemorada morte de Mindinho!

emilia-clarke-as-daenerys-targaryen-and-kit-harington-as-jon_gxuv.1920

A guerra contra os White Walkers não acabou, ao final dela a outra será retomada. A teoria R+L=J não apenas foi confirmada, mas comprovada que o Jon é filho legítimo, graças a anulação do casamento entre Rhaegar Targaryen e Elia Martell e o casamento em seguida com Lyanna Stark em Dorne. E já que incesto nunca foi problema em GOT, Jon (que continua não sabendo nada) e Daenerys, terminaram a temporada juntos, na tentativa de gerar filhos que não sejam dragões.

A promessa é que então teremos uma oitava temporada ainda mais intensa e menor e  que nos resta agora é esperar até 2019 para ver o grande desfecho dessa que é a maior série da atualidade.

Comments